conecte-se conosco


Mulher

Home office: 6 dicas para organizar o ambiente de trabalho

Publicado

Mulher

Home office: 6 dicas para organizar o ambiente de trabalho
Redação EdiCase

Home office: 6 dicas para organizar o ambiente de trabalho

Arquiteta explica o que deve ser priorizado para deixar o espaço confortável e funcional

Por Heloisa Vieira 

Com a pandemia, o home office virou realidade para boa parte das pessoas e se tornou uma tendência que veio para ficar. Com o aumento da produtividade dos funcionários e a praticidade do trabalho remoto, muitas empresas nem pensam em voltar ao regime 100% presencial, investindo, algumas vezes, em formatos híbridos. Com isso, a demanda por um local de trabalho adequado segue alta nos projetos residenciais.

“Muito mais do que mesa, cadeira e computador, o escritório é um cantinho que merece muita atenção. Afinal, passamos boa parte do nosso dia ali”, lembra a arquiteta Carina Dal Fabbro. Além dos móveis corretos e das questões de ergonomia, também vale pensarmos detalhadamente na organização diária desse local para torná-lo ainda mais funcional e estimulante.

Pensando nisso, a arquiteta listou algumas dicas para você ter um espaço especial para trabalhar. Confira!

> 4 dicas para usar itens com valor afetivo na decoração

1. Invista em um mobiliário adequado 

Para que o espaço de trabalho seja perfeito, convém pensar, antes de mais nada, na ergonomia e na organização. “Afinal, é um lugar onde você vai passar várias horas do dia. Nada mais justo do que deixá-lo o mais agradável e confortável possível”, pontua Carina.

A primeira recomendação é que se invista em uma cadeira ergonômica para o escritório e em uma mesa que respeite as dimensões necessárias a fim de evitar desconfortos. “A altura da mesa costuma variar entre 70 e 75 cm, podendo ser maior ou menor quando consideramos a estatura do morador”, orienta a profissional.

Além disso, também é essencial priorizar a iluminação. O ideal é que a mesa fique próxima da janela para que o usuário possa usufruir da luz natural. Para dias mais escuros ou na hora de trabalhar à noite, uma luminária de mesa é providencial!

2. Deixe sobre a mesa somente o necessário 

Após os cuidados com o mobiliário, o primeiro passo para quem quer organizar a mesa de trabalho é deixar sobre a bancada apenas os itens que são utilizados continuamente, ou seja, computador ou notebook, porta-lápis e bloco de anotações.

“Quanto mais coisas sobre o móvel, mais fácil é de chegar ao visual ‘entulhado’. Isso atrapalha a nossa concentração e dá espaço para a bagunça aparecer. Os itens que não são usados com frequência podem ficar armazenados em gavetas, por exemplo”, conta Carina.

> 5 dicas para economizar na hora de decorar apartamentos pequenos

3. Utilize gavetas 

Para manter o propósito de ter à vista somente o essencial, Carina recomenda que, se possível, invista em modelos de mesa com gavetas embutidas. “Assim, é possível organizar e até mesmo setorizar o que não deixamos em cima da mesa. Na primeira gaveta, por exemplo, mantenha documentos, agendas e pastas necessários durante a rotina de trabalho. Nas gavetas seguintes, vale guardar o que é utilizado e consultado esporadicamente”, diz Carina Dal Fabbro.

4. Aplique prateleiras 

Carina recomenda investir, ainda, em prateleiras, nichos e estantes como forma de otimizar o espaço de armazenamento e fazer valer o espaço vertical. Quadros aramados também são uma boa opção e podem servir para acomodar recados e lembretes importantes, como datas de entrega, planejamentos e calendários.

5. Recorra as caixas organizadoras 

Não se pode falar em organização e esquecer das tão famosas caixas organizadoras, não é mesmo?! “No caso do escritório, as mais indicadas são feitas de papelão, que servem para guardar desde pastas a papéis soltos. Além disso, elas também podem ser etiquetadas para que fique mais fácil identificar o que está sendo guardado”, recomenda a arquiteta. “Outro ponto positivo das caixas é que elas podem ser empilhadas, de modo que não ocupam muito espaço no escritório”, continua.

> 5 dicas para escolher um modelo de mesa para sala de estar

6. Aproveite os acessórios 

Além disso, a arquiteta recomenda investir em divisórias ou organizadores internos para as gavetas, que podem ser usados para separar os clips, post-its, canetas, réguas, fitas adesivas e outras miudezas de papelaria que podem se perder ou bagunçar com facilidade. Por fim, o uso de revisteiros no chão ou nas laterais da mesa também é uma boa opção para otimizar o espaço e manter tudo organizado.

Confira mais conteúdos e dicas de decoração na revista ‘Projeto & Decoração’

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
publicidade

Mulher

Flacidez pós-parto: veja como combater

Publicado

Flacidez pós-parto: veja como combater
Redação EdiCase

Flacidez pós-parto: veja como combater

Será que meu corpo vai voltar ao normal? Essa é uma pergunta frequente no consultório, quando a mulher está no período da gestação ou do pós-parto. Entre as aflições mais comuns das gestantes estão a flacidez, as estrias e o ganho de peso.

O que é flacidez?

Para entender o que é a flacidez, devemos pensar que nossa pele é como um elástico formado de colágeno e elastina. Quando esse elástico é esticado além de sua capacidade de suportar, surge a flacidez. E, quando ocorre a ruptura de suas fibras, temos as estrias.

Como evitar a flacidez ?

Os cuidados para evitar a flacidez no pós-parto devem começar durante a gestação. Entre eles, destacam-se: evitar o ganho excessivo de peso, ter uma alimentação rica em proteínas, manter uma boa hidratação da pele, usar roupas que garantam uma boa sustentação e torcer para que a genética nos favoreça.

O que fazer se ela aparecer?

Contudo, muitas vezes, mesmo com todos os cuidados, a flacidez aparece. E agora? Hoje em dia temos muitos tratamentos ao nosso alcance e, quanto mais precocemente iniciarmos, melhor será o resultado. O objetivo dos tratamentos é estimular a produção de colágeno e elastina, e assim melhorar a sustentação da pele. Podemos dividir os tipos de tratamento em domiciliar e o realizado em consultório.

Tratamentos domiciliares

Nos tratamentos domiciliares destaca-se o uso de cremes à base de ácido retinóico ou, ainda, vitamina C. Apesar da correria com o bebê, não devemos nos esquecer de manter uma hidratação profunda da pele com emolientes, silanóis, D-pantenol, ceramidas, entre outros. Uma alimentação equilibrada e rica em proteínas continua sendo imprescindível para voltar mais rapidamente ao peso ideal.

Atividades físicas contra a flacidez

Outro recurso útil é o uso de cintas elásticas para garantir mais sustentação ao abdome e melhorar a postura. Além disso, assim que for liberada pelo ginecologista, a mãe deve tentar voltar às atividades físicas, dando atenção especial aos famigerados exercícios abdominais, pois, à medida que a flacidez muscular diminui, a aparência geral da pele melhora.

Tratamentos no consultório médico

Entre os tratamentos realizados em consultório que podem ser iniciados durante a amamentação destacam-se os peelings (com ácidos ou com cristal), a microdermoabrasão, a radiofrequência, o microagulhamento e os lasers.

Por Meire Gonzaga

Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, preceptora do Curso de Pós-Graduação em Cosmiatria da Faculdade de Medicina do ABC e consultora dermatológica do FEMME Laboratório da Mulher.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Escócia escolhe homem para ser a voz de projeto de dignidade menstrual

Publicado

Jason Grant foi escolhido para dar palestra em projeto sobre  dignidade menstrual
Reprodução/ Gayle McIntyre

Jason Grant foi escolhido para dar palestra em projeto sobre dignidade menstrual

A recente escolha do governo escocês para quem vai estar à frente de um projeto sobre dignidade menstrual gerou controvérsia no país. Jason Grant, um homem cis, que não é um profissional de saúde, foi escolhido para dar palestras para mães e meninas sobre menstruação, o que levantou o debate por aqueles que acreditam que o cargo deveria ser ocupado por uma mulher. 

Entre no canal do  iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

Críticos da decisão consideraram o ato mansplaining, termo em inglês sobre a prática de homens de tentarem explicar assuntos para mulheres que elas já dominam, muitas vezes menosprezando o intelecto feminino. Entre os que se manifestaram, a famosa ex-campeã de Wimbledon, Martina Navratilova, declarou que a escolha era ridícula, enquanto a jornalista Susan Dalgety questionou em como essa decisão poderia ser vista como uma boa ideia. 

Siga também o perfil geral do Portal iG.

“Nós (mulheres) já tentamos explicar aos homens como se barbear ou como cuidar da próstata ou qualquer outra coisa? Isso é um absurdo”, disse Navratilova. 

“Não tenho ideia de como alguém achou ser uma boa ideia nomear um cara”, questiona Dalgety.

Entretanto, Jason Grant  defendeu em um anúncio oficial, que um homem assumir o cargo como porta-voz do projeto ajudará a quebrar bairreiras e a criar uma discussão mais aberta sobre o tema.  

“Acho que ser homem me ajudará a quebrar barreiras, reduzir o estigma e incentivar discussões mais abertas. Apesar de afetar as mulheres diretamente, os períodos menstruais são um problema para todos”, declarou Grant. 

No entanto, para ativistas da causa feminista, além de Grant não ter o conhecimento teórico sobre o período menstrual, ele também não tem a vivência desse momento. Além disso, muitas também afirmam ser importante as mulheres estarem à frente de suas narrativas. 

“Além da sátira, Jason chega ao papel com formação e experiência variadas, exceto a experiência de ter menstruado. É impossível desestigmatizar a menstruação ignorando o conhecimento das mulheres sobre nossos próprios corpos”, afirma a ativista escocesa Claire Heuchan. 

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso