conecte-se conosco


Nacional

Justiça aceita denúncia contra acusados pela morte de idosa e diarista

Publicado

Nacional

Os pintores, que foram flagrados por câmeras de segurança do prédio onde Martha Maria Lopes Pontes e Alice Fernandes da Silva foram mortas
Reprodução

Os pintores, que foram flagrados por câmeras de segurança do prédio onde Martha Maria Lopes Pontes e Alice Fernandes da Silva foram mortas

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia proposta pelo Ministério Público contra William Oliveira Fonseca e Jhonatan Correia Damasceno, acusados de latrocínio (roubo seguido de morte), extorsão qualificada e incêndio contra a aposentada Martha Maria Lopes Pontes, de 77 anos, e sua diarista, Alice Fernandes da Silva, de 51.

A dupla havia realizado um serviço no apartamento de luxo, no Flamengo, na Zona Sul do Rio, e retornou ao imóvel no último dia 9, quando  cortou o pescoço das vítimas e ainda queimou o corpo da patroa.

Na decisão, o juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal, decretou a prisão preventiva de William Oliveira Fonseca. Jhonatan teve a prisão em flagrante convertida em preventiva no dia 12 de junho, durante audiência de custódia . No caso de Oliveira, foram consideradas as hipóteses de conveniência da instrução criminal, garantia da ordem pública e asseguramento da aplicação da lei penal.

Ao chegarem no prédio na Avenida Rui Barbosa, foram autorizados a subir no apartamento de Martha e recebidos na porta dos fundos pela diarista. Nesse momento, Willian partiu para cima da funcionária, a amordaçando e amarrando suas mãos com uma fita durex que estava na cozinha da residência. Jhonatan então direcionou-se à idosa, que estava sentada em seu escritório, aproximando-se por trás e dizendo: “Fica calma, só quero seu dinheiro”.

Willian amarrou as mãos de Martha com um lacre e as pernas com um lençol e também a amordaçou. Com as duas vítimas imobilizadas e com suas liberdades restritas, Jhonatan pegou um talão de cheques no quarto da idosa e a obrigou a preenchê-los e assiná-los . Na posse das folhas, ele se dirigiu a uma agência bancária, na Rua Marquês de Abrantes, e efetuou três saques de R$ 5 mil. Os dois fugiram após o crime.

Segundo o laudo de exame de necropsia, a causa da morte de Martha e Alice foi esgorjamento — lesão profunda que atingiu a garganta das vítimas e que foi provocada por ação corto-contundente, possivelmente uma faca. Em depoimento prestado na DHC,  Jhonatan confessou participação no caso, mas responsabilizou o comparsa pela morte das vítimas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Homem tenta furtar cabos de galeria subterrânea e morre eletrocutado

Publicado

Corpo estava dentro de galeria subterrânea da Avenida Presidente Wilson
Reprodução – 08.07.2022

Corpo estava dentro de galeria subterrânea da Avenida Presidente Wilson

O corpo de um homem foi encontrado na madrugada desta segunda-feira, em uma galeria subterrânea de energia da Light, na Avenida Presidente Wilson, no Centro do Rio. Segundo a concessionária de luz, quem achou o corpo foram técnicos da empresa “após serem acionados para atuar em ocorrência na rede”. Ainda de acordo com a Light, o homem morreu “após tentar furtar cabos de energia, no interior de uma caixa” que fica embaixo da terra.

O homem estava só de bermudas. A empresa diz que “acionou o Corpo de Bombeiros para a retirada do corpo e está realizando os reparos necessários na rede, danificada pelo ato de vandalismo”.

Em nota, a PM disse que “na manhã desta segunda, equipe do 5ºBPM (Praça Harmonia) realizava policiamento pela Avenida Presidente Wilson, no Centro da Cidade do Rio de Janeiro, quando foi informada por funcionários da Light que havia um corpo em uma galeria subterrânea. No local, os policiais constataram o fato e isolaram a área. O Corpo de Bombeiros Militar (CBMERJ) e a perícia foram informados”, disse o comunicado.

Sobre furtos, a empresa de energia disse que “o furto de cabos prejudica a qualidade do fornecimento de energia, além de poder ocasionar acidentes, muitas vezes fatais, como o caso de hoje”. E a Light fez um alerta. “Apenas profissionais da Light, ou de empresas prestadoras de serviço, devidamente treinados e equipados, estão autorizados a fazer intervenções junto à rede elétrica. Neste sentido, a Light pede para que o cliente, ao perceber qualquer movimentação diferente próxima à rede da companhia, entre em contato pelo telefone 0800-021-0196.”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Ceperj: Contratados em ‘folha secreta’ receberam Auxílio Emergencial

Publicado

Prédio da Ceperj no Rio de Janeiro
Reprodução Google – 07.08.2022

Prédio da Ceperj no Rio de Janeiro

Cerca de cinco mil funcionários da  Fundação Ceperj, órgão acusado de criar uma “folha de pagamento secreta” dentro do governo do Rio, foram beneficiários do Auxílio Emergencial. Um cruzamento feito pelo GLOBO entre a lista de mais de 27 mil contratados pela Ceperj e o rol de beneficiários dos pagamentos do programa do governo em setembro de 2021 identificou 5.325 pessoas que aparecem nas duas listas.

Tanto os extratos dos pagamentos da fundação quanto a lista de beneficiários do Auxílio Emergencial incluem o nome e parte do CPF de todas as pessoas. Para realizar o cruzamento, o GLOBO considerou apenas quando as pessoas tinham o mesmo nome e seis dígitos do CPF idênticos nas duas listas. O GLOBO já havia revelado que, das 36 pessoas que receberam mais de R$ 20 mil da Ceperj de uma só vez, quatro também receberam Auxílio Emergencial. Além delas, duas faziam parte do Bolsa Família. Ou seja, são pessoas registradas como em situação de pobreza ou extrema pobreza.

Na quarta-feira da semana passada, a Justiça do Rio determinou que a Ceperj e o governo do estado interrompam imediatamente essas remunerações, bem como as contratações temporárias, sem que haja prévia divulgação dos dados em portal eletrônico. Segundo promotores do Ministério Públicos do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), os pagamentos desse pessoal contratado ocorria “na boca do caixa” de agências do Bradesco, somando um total de quase R$ 226,5 milhões em todo o estado.

Ganhos de R$ 80 mil

A média recebida por pessoa entre as que aparecem nas duas listas foi de R$ 8,4 mil. Mas entre os funcionários que receberam valores da Ceperj e também do Auxílio Emergencial existem alguns que chegaram a ganhar, somados, mais de R$ 80 mil, o que seria equivalente a um salário de R$ 6 mil por mês em um ano. Para receber o benefício do governo, a renda por pessoa da família não poderia passar de R$ 550, e o ganho total não poderia ser maior do que R$ 3,3 mil.

Os dados entregues pelo Banco Bradesco apontam a presença de mais de 91 mil ordens de pagamento para 27.665 pessoas diferentes. O documento aponta também uma expansão progressiva da “folha de pagamento secreta”, em função do aumento do volume de mão de obra remunerada por meio das ordens de pagamento bancário ao longo deste ano.

A lista inclui também pessoas ligadas a políticos e até candidatos. O GLOBO revelou que pelo menos 20 pessoas que figuram na lista de cargos secretos da Fundação Ceperj, vinculada ao governo do Rio, disputaram eleições no estado desde 2018.

Na análise dos planos de trabalho de cinco dos projetos do Ceperj, a maior previsão de contratação de pessoal era justamente a do Esporte Presente, com 8.640 profissionais. A Casa do Trabalhador e os respectivos projetos Agentes de Trabalho e Renda e Agentes de Empregabilidade demandariam 7.037 contratados. O terceiro projeto que previa mais pessoal era o Cultura para todos, com 1.251, seguido pelo Observatório do Pacto RJ, com 827.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso