conecte-se conosco


Polícia Federal

PF investiga desvio de verba pública da saúde

Publicado

Polícia Federal

Cruzeiro/SP. A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, (1/7), em Piquete/SP, a segunda fase da operação EQUIDNA, com a finalidade de aprofundar as investigações em torno de irregularidades no contrato de gestão celebrado entre a prefeitura do aludido município e uma organização social.

Nesta fase da operação são cumpridos um mandado de busca e apreensão e medidas de constrição patrimonial em desfavor da ex-prefeita municipal de Piquete/SP, mandatária no período de 2013 a 2020. Durante as investigações, foram verificados indícios de que a entidade foi contratada para gerir a saúde municipal, entre os anos de 2014 a 2019, porém não tinha recursos humanos e materiais para suportar o objeto contratado, passando a realizar a quarteirização ilícita de suas atividades, em contratos com empresas pertencentes aos próprios dirigentes da organização, ou sem objeto específico.

As investigações apontam indícios de que agentes públicos da municipalidade eram coniventes com o expediente espúrio. Cabe mencionar que irregularidades no contrato de gestão da mesma organização social com a Prefeitura de Guarujá/SP deram origem à OPERAÇÃO NÁCAR, que gerou a prisão do prefeito daquele município em setembro de 2021.

Durante as buscas os policiais arrecadaram a quantia de R$ 35 mil em espécie e um veículo de luxo. Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por peculato, fraude a licitações e associação criminosa, cujas penas, abstratamente cominadas, ultrapassam 19 anos de reclusão.

Delegacia de Polícia Federal em Cruzeiro

Comunicação Social Telefone: (12) 2122-2901

Fonte: Polícia Federal

Comentários Facebook
publicidade

Polícia Federal

Polícia Federal apreende grande quantidade de cigarros

Publicado

Maringá/PR – Na quinta-feira (18/8), durante diligências de repressão aos crimes de contrabando e tráfico de drogas, realizadas nas estradas da região de Maringá/PR, equipes da Polícia Federal prenderam um homem envolvido em transporte de cigarro ilícito de origem paraguaia, na cidade de Maringá/PR.

Durante as diligências, que consistiam em barreira policial para inspeção de carga e documentação dos veículos, um motorista dirigindo um caminhão não obedeceu a ordem de parada. Outra equipe policial, posicionada em outro trecho à frente, fez nova tentativa de abordagem, mas quase foi atropelada pelo motorista, que jogou o seu veículo contra os policiais em clara tentativa de homicídio. Em seguida, foi realizado acompanhamento tático, tendo a equipe interceptado o veículo no contorno sul da cidade. Quando a carga foi revistada, constatou tratar-se de cerca de 800 caixas de cigarro paraguaio, o equivalente a 400 mil maços.

O homem, de 35 anos, foi preso em flagrante e responderá pela prática do crime de contrabando, desobediência e tentativa de homicídio.

Comunicação Social da Polícia Federal em Maringá/PR

Telefone: (44) 3220-1436

Fonte: Polícia Federal

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia Federal

PF apreende mais de R$ 14 mil em cédulas falsas no sudeste do Pará

Publicado

Redenção/PA – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (19/8), na cidade de Tucumã/PA, a Operação Hundred Falsus e apreendeu R$ 14.900 em cédulas de R$ 100, todas falsas. Essa foi a maior apreensão da PF na região de Redenção/PA, sudeste paraense.

O caso teve início a partir de comunicação do Setor de Inteligência dos Correios, que alertou a Polícia Federal acerca de uma correspondência com conteúdo suspeito destinada a cidade de Tucumã/PA, ainda no mês de abril.

Com base nas informações recebidas, policiais federais passaram a acompanhar a retirada do objeto da Agência dos Correios de Tucumã/PA, o que acabou por não acontecer, motivando a Polícia Federal a representar em Juízo pela busca e apreensão do objeto e autorização para a abertura da correspondência. Assim, com autorização judicial, a Polícia Federal confirmou a existência das notas falsas no interior do envelope.

A partir da confirmação de moeda falsa, iniciaram-se diligências objetivando a identificação do destinatário da encomenda e, na manhã de hoje, com nova autorização judicial, foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão na residência do suspeito.

Caso confirmada a hipótese criminal de crime de moeda falsa, previsto no art. 289, §1º do Código Penal, o investigado poderá ser condenado a penas que variam entre 3 e 12 anos de reclusão, além de multa.

O nome Hundredum Falsus significa cem falso em latim, em referência à apreensão de 149 cédulas falsas.

Comunicação Social da Polícia Federal em Redenção/PA

Fonte: Polícia Federal

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso