conecte-se conosco


Tecnologia

Instagram testa scanner de rosto para checar idade dos usuários

Publicado

Tecnologia

source
Instagram testa nova forma de verificar idade dos usuários
Unsplash/Kate Torline

Instagram testa nova forma de verificar idade dos usuários

O Instagram está testando novos métodos para conferir a idade de seus usuários, incluindo um sistema de inteligência artificial que consegue ler o rosto da uma pessoa e definir sua idade.

Para ter uma conta no Instagram, é necessário ter ao menos 13 anos de idade mas, durante anos, a rede social não se esforçou para checar os dados fornecidos pelos usuários. Atualmente, já é possível que adolescentes confirmem sua idade ao enviar fotos de documentos, mas novas opções estão surgindo.

Em meio a polêmicas e acusações de que não faz o suficiente para proteger os mais jovens na rede social, o Instagram está testando duas novas formas de conferir a idade nos Estados Unidos. Uma delas é a verificação por terceiros: três seguidores mútuos adultos são convidados a checarem a idade de um adolescente. A outra forma é através de inteligência artificial.

Para isso, o Instagram está utilizando o sistema da empresa terceirizada Yoti, que consegue definir a idade de uma pessoa ao obter uma selfie em vídeo. “A estimativa de idade é baseada em uma técnica de computação conhecida como rede neural, que treinamos para poder estimar a idade humana usando um processo de aprendizagem de máquina”, afirma a empresa.

De acordo com uma tabela de taxa de erro da própria Yoti, a ferramenta falha mais em mulheres e em pessoas com tons de pele mais escuros. A margem de erro pode ser de 1,56 ano para pessoas entre 13 e 17 anos e 2,22 anos para usuários entre 18 e 24 anos.

Além disso, a ferramenta pode ser burlada. Testamos a tecnologia da Yoti, que está disponível  neste site , e foi possível enganar o sistema ao colocar a foto de uma pessoa mais velha em frente a câmera. Apesar disso, a inteligência artificial acertou as idades durante os testes, embora classifique as pessoas em um intervalo de quatro anos.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

iPhone 14 Pro Max poderá ser celular mais caro da história da Apple

Publicado

Linha iPhone 14 deve ter acréscimo de preços
Divulgação/Apple

Linha iPhone 14 deve ter acréscimo de preços

O iPhone 14 Pro Max pode ser o smartphone mais caro já lançado pela Apple, de acordo com o vazador TheGalox. Segundo ele, a nova linha de celulares, que deve ser lançada em setembro, chegará com aumento de US$ 100 por modelo.

No ano passado, o iPhone 13 Pro Max com 1 TB de armazenamento, o modelo mais avançado até então, foi lançado por US$ 1.599. Neste ano, o esperado é que a Apple lance o iPhone 14 Pro Max de 1 TB por US$ 1.699, o valor mais alto para um celular na história da empresa.

Além do modelo avançado, o iPhone 14 Pro também devem ter um acréscimo de US$ 100 em seu valor, enquanto o iPhone 14 deve manter seu preço. O vazador TheGalox também revelou quanto deve custar o iPhone 14 Plus, novo modelo da linha. Com a versão Mini de fora, não haverá um modelo começando em US$ 699, como havia no último lançamento. Confira:

  • iPhone 14 – A partir de US$ 799
  • iPhone 14 Plus – A partir de US$ 899
  • iPhone 14 Pro – A partir de US$ 1.099
  • iPhone 14 Pro Max – A partir de US$ 1.199

O aumento pode pesar ainda mais no bolso dos brasileiros, já que o Brasil costuma ser um dos países mais caros para se comprar um iPhone. No ano passado, por exemplo, enquanto o iPhone 13 Pro Max de 1 TB custava US$ 1.599 nos Estados Unidos (cerca de R$ 8,6 mil, em conversão direta), o celular era vendido no Brasil por R$ 15.499 .

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Carro autônomo da Tesla falha e quase bate em VLT; assista ao vídeo

Publicado

Carro da Tesla quase bate em VLT
Unsplash/Bram Van Oost

Carro da Tesla quase bate em VLT

O Model 3, carro autônomo da Tesla, protagonizou mais um evento que poderia ter resultado num acidente grave. Durante um teste do canal Beta Tech OG, o veículo tentou atravessar na frente de um VLT (veículo leve sobre trilhos), na cidade de Denver, Colorado, nos Estados Unidos.

O motorista assumiu o controle do volante a tempo de evitar o acidente. Como o teste estava sendo filmado – mostrando, inclusive, outros pequenos erros de navegação – o episódio ficou registrado em vídeo. Veja:

Não ficou claro o motivo do problema, mas é possível ver, na tela do painel de controle do carro, que o sistema autônomo detectou a presença do VLT.

Outros casos

Esta não é a primeira vez que modelos autônomos da Tesla se envolvem em algum acidente. Em fevereiro deste ano, outro Model 3, que estava no modo Full Self-Driving (direção totalmente autônoma), foi visto colidindo com um poste de barreira de ciclovia durante testes.

Em outros registros, o Model 3 parece ultrapassar um sinal vermelho, tenta descer uma ferrovia e depois uma pista de bonde por conta de falhas no software. Até mesmo bater em um jatinho estacionado numa pista de aeroporto já aconteceu.

Os vídeos fizeram com que a Tesla fosse forçada a fazer um recall de quase 54.000 carros e SUVs, por conta dos problemas no software de direção autônoma.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso