conecte-se conosco


TURISMO

Conhecemos: restaurante em SP se inspira no bastidor de sets de cinema

Publicado

TURISMO

source
Bife de chorizo do restaurante Backstage Meat e Heat
Divulgação

Bife de chorizo do restaurante Backstage Meat e Heat

Ao se aproximar de uma esquina da Vila Mariana, na Zona Sul de São Paulo, é possível sentir um cheiro diferente que, à primeira inalada, é difícil de identificar, mas trata-se de lenha de macieira. O Backstage Meat e Heat é um restaurante de comidas feitas na brasa, desde legumes, grelhados até os mais suculentos hambúrgueres, todos com um aroma diferente que é possível sentir ao degustar os pratos. O iG Turismo recebeu um convite para conhecer o restaurante que entra para o roteiro do turismo gastronômico de São Paulo.

A casa tem este nome porque o empresário e diretor executivo, Flavio Vonlantem, trabalhou por muitos anos no audiovisual e trouxe dos bastidores luzes de set de filmagens, um cardápio em forma de script, uma parede de chroma key, microfone boom, playlist com temas de filmes famosos, cartazes de longa-metragens e séries e até um mural com autógrafos de profissionais da área.  

“Foram 10 anos de experiência de produção e de fazer churrasco no fundo do quintal da produtora. Todo o processo de desenvolvimento do sabor veio desses anos assando carnes no fundo da produtora, apesar de já fazer churrasco para os amigos há 20 anos”, lembra. “Fazia todo sentido amarrar o nome do restaurante, Backstage, a um set audiovisual porque tudo começou no fundo da produtora, então amarrei esse conceito e trouxe para dentro do restaurante essa temática”, detalha.

A ideia do estabelecimento é fazer um casual dinner: o cliente toma um chope, come uma comida “um pouquinho mais elaborada”, como explica o empresário, nada complicado e o cliente se diverte em um ambiente seguro, numa região considerada tranquila. O cardápio tem uma colaboração mútua entre Flávio, o chef Diego Carvalho e outros dois sócios, que trabalham com consultoria para restaurantes.

“A gente sempre tem elementos reconhecíveis e tenta adicionar um pouco da nossa característica, que é a fumaça. Queremos trazer esse grelhado com a fumaça”, explica. “Esse toque do defumado com cheiro da lenha de macieira vem da minha experiência com os churrascos na produtora, mas sempre trabalhamos em grupo para evoluir o cardápio”, declara.

O menu é sempre dinâmico para não cair na mesmice, então se demora para voltar ao restaurante é bem provável que ele vá encontrar tudo reformulado, diferente. A ideia do empresário é ter um cardápio enxuto, trocando para ter sempre uma novidade.

“A gente já teve um sanduíche vegetariano de cogumelo que ia para a brasa, mas agora trocamos e temos um de beterraba. Nossa ideia é trabalhar essa brasa, então obviamente que a carne acaba sendo nosso principal, mas tudo que a gente puder jogar lá, vai. Queremos fazer legumes, berinjela, abacaxi tudo na brasa. Por uma questão conceitual, a gente não tem opções veganas, mas temos opções vegetarianas”, salienta.

Avaliações de preço e localização

De entrada, o iG Turismo experimentou a croquete de cogumelos cremosa com mix de cogumelos e funghi seco para compartilhar (R$ 32), que estavam deliciosos, porém um pouco frios por dentro. Já os pratos principais estavam sem defeitos: um bife de vazio, semelhante à fraldinha, tradicional no churrasco argentino, com chumichurri e vinagrete (R$ 59) e uma copa lombo de leitão, conhecida como o ancho suíno, um dos cortes mais macios do porco, preparado na brasa e defumado, servido com vinagrete de abacaxi tostado (R$ 59). O acompanhamento foi uma salada cremosa de batata, maionese e cebola crispy da casa, que já está incluído no prato, mas pode ser pedido separadamente por R$ 13.

“Não queremos ser caros. A ideia é conseguir por no cardápio tudo o que tenha custo condizente, com qualidade, e que resulte num produto com uma percepção de valor boa. Isso para nós é interessantíssimo”, afirma Flavio.

Como o cardápio é dinâmico, o empresário já dá um spoiler: “O próximo prato que entra neste fim de semana é a Glazed Ribs, uma costelinha glaceada na cerveja com chips de cará”.

A casa fica na Rua Bartolomeu de Gusmão, 78 – Vila Mariana, tem espaço para poucas pessoas no lado interno, o que pode ser uma desvantagem para quem tem um grupo de amigos grande, mas o lado positivo são as janelas grandes, viradas para as duas ruas, que fazem o ar circular perfeitamente. Justamente por conta do tamanho diminuto, para os dias frios, os clientes precisarão se acumular no lado interno ou ficar na calçada mesmo em baixas temperaturas.

“A gente aposta muito nessa esquina para tomar um chope, comer uma carne. É um ambiente mais casual, que é uma característica dessa região. Quando entrei neste ponto, eu disse ‘é aqui’. Inauguramos dia 26 de novembro do ano passado e no calor fica lotado”, complementa.

Não há estacionamentos por perto, mas a rua é tranquila e o cliente pode deixar o carro pelas redondezas, inclusive em frente ao restaurante.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
publicidade

TURISMO

Food Truck cria atmosfera brasileira com açaí e coxinha em Israel

Publicado

Clientes nos espaços de convivência do Pipa Food Truck
Arquivo pessoal

Clientes nos espaços de convivência do Pipa Food Truck

A brasileira Rafaela Stambowsky Moses e seu marido israelense Dean Moses abriram no verão de 2021 o Pipa Food Truck , ponto de encontro de brasileiros e israelenses em Atlit, um município de Israel. Nascida no Rio de Janeiro, a jovem foi para Israel sozinha com 16 anos para participar de um programa de estudos no país após convencer seus pais e, desde 2008, permanece no país do Oriente Médio.

“Eu viajava uma vez ao ano para o Brasil para visitar minha família no início. Porém, depois de tanto tempo aqui, houve uma época que não fui ao país por quatro anos. Agora, o objetivo é visitar de dois em dois anos”, conta a carioca.

Entretanto, o Pipa Food Truck, que recebe o nome da praia localizada no Rio Grande do Norte , surgiu de surpresa na vida do casal. Isso porque, Rafaela é formada em propaganda e marketing e trabalhava na área, mas quando foi diagnosticada com a doença de Crohn, uma enfermidade inflamatória gastrointestinal, precisou deixar o emprego na área. Após se curar, ficou um tempo trabalhando na antiga empresa de limpeza de estofados do marido.

Antes de abrirem o Pipa, Rafaela e Dean também já tiveram um projeto que fornecia uma experiência de acampamento com mais infraestrutura. Porém, no meio disso, a prefeitura israelense publicou um edital que apoiaria a criação de um estabelecimento. Dois meses depois, receberam a notícia de que haviam sido escolhidos. Foi neste momento que o Pipa nasceu. O empreendimento atualmente está na praia de Hof Hamivtzar , mas já esteve em Neve Yam, vilarejo no norte de Israel.

“Desde o início houve muita mudança, primeiramente porque ele não tinha o objetivo de ter comidas brasileiras, apenas aperitivos e comidinhas de praias que fazem sucesso globalmente, como batata frita, hambúrguer, frutas, saladas e bebidas. O açaí surgiu porque também já fazia sucesso aqui em Israel e pedi para meu marido adicionar no cardápio”, explica.

Ela conta que foi a partir do açaí que os clientes gostaram do negócio, porque tinha a cara do Brasil: “Eles misturam o açaí com outras coisas aqui, e a gente só colocava banana e granola no início”. O açaí segue liderando nas vendas.

No avanço para consolidar o sucesso do quiosque móvel, ela cita que quem teve a ideia de dar uma cara brasileira para o local, foi, na verdade, seu marido. Ela amou a ideia e embarcaram nessa juntos. 

“Ele já foi para o Brasil, morou um tempo e até aprendeu a falar português fluentemente. Dean ficou apaixonado pela nossa cultura. Foi ele quem deu o nome de Pipa, pois adorou a praia no Rio Grande do Norte. Além disso, ele também já trabalhou um tempo como guia turístico de alguns israelenses que queriam viajar para o Brasil”, narra a publicitária.

A carioca começou a divulgar o food truck entre grupos de brasileiros que moram em Israel e deu certo. “Nessa rede, eu também passei a conhecer outros estabelecimentos de brasileiros que moram aqui, tanto os que já existiam, quanto os outros que começaram a nascer”.

Logo após o sucesso, surgiram as outras receitas brasileiras no cardápio. Hoje, vendem brigadeiro , pão de queijo , pastel de carne e de queijo , coxinha de frango , caipirinha água de coco . Mas salienta que, também vendem receitas israelenses, como o sanduíche sabich e a sobremesa malabi , e continuam com as mais universais.

Além disso, fora do empreendimento, ela passou a realizar eventos servindo as comidas brasileiras. “Em eventos também servimos a feijoada , que é um sucesso”, completa.

“Muitas pessoas pensam que o espaço só atraí brasileiros, mas não: aqui os clientes são bem diversificados, os israelenses também têm um carinho pelo Brasil e gostam da nossa culinária. E aqueles que já viajaram para o Brasil [e conhecem a culinária] sempre falam que amam nossas receitas”, adiciona.

Casados desde 2019, tiveram uma filha recentemente, e precisaram se adaptar, o que fez com que precisassem arranjar parceiros para ajudá-los no dia a dia. “Contamos com a ajuda da Sandy Feldman, que ajuda na preparação dos brigadeiros, a Val Buchbinder ajuda na preparação do pão de queijo, coxinha e a feijoada, e o Wanderley Pereira auxilia com os pastéis”, diz. Para o açaí, eles utilizam a fornecedora da marca Sambazon que existe no país.

Como mudaram de praia, Rafaela comemora algumas facilidades que vieram com isso. “No começo a gente precisava tirar o food truck da praia com um trator, agora nós deixamos ele em um lugar coberto dia e noite, pois essa nova praia tem mais infraestrutura e nos dá mais segurança”.

O Pipa também oferece atração musical com foco em gêneros de música brasileiras; já passaram por lá gêneros como o MPB e o forró. “Gostamos de criar essa atmosfera brasileira em Israel”.

Outro ponto que ela levanta é que mesmo com o conflito de Israel e Palestina, o seu negócio nunca foi afetado, pelo contrário. “As pessoas gostam de vir até aqui, pois traz paz para elas”.

A carioca também fala do seu desejo de ampliar o lugar no futuro, criando um espaço fixo: “O food fruck faz com que a gente viva de temporadas, mas não descartamos a possibilidade de um dia abrir um estabelecimento próximo à praia, pois amamos o ambiente”. 

Anteriormente, o lugar abria só aos finais de semana, mas hoje abre todos os dias das 9h às 20h (no fuso horário de Israel). Vivendo no país há 15 anos, ela brinca: “Daqui a pouco faço a mesma idade de quando cheguei aqui”.

Acompanhe o  iG Turismo também pelo Instagram e receba dicas de roteiros e curiosidades sobre destinos nacionais e internacionais.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

TURISMO

Praia do Rio é a única do Brasil a entrar em ranking das mais belas

Publicado

Praia de Grumari - Rio de Janeiro
Reprodução/TripAdvisor

Praia de Grumari – Rio de Janeiro

A Praia de Grumari, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, é a única brasileira no ranking da 50 melhores do mundo em 2022, elaborado anualmente pelo site de viagens Big 7 Travel. O recanto carioca, que ocupa o 38º lugar na lista, ganhou destaque no site por estar perto da floresta e por suas areis finas e limpas e pela água verde esmeralda: “Copacabana e Ipanema detêm toda a fama, mas quem conhece mesmo o Rio corre para a Praia de Grumari”, justifica o site ao incluir o destino brasileiro entre os mais lindos do planeta.

Em primeiro lugar no ranking, está a Playa Conchal, na Costa Rica. Logo em seguida, vêm Turquoise Bay, na Austrália; Grace Bay, nas Ilhas Turks e Caicos; Siesta Beach, na Flórida (EUA); e Punta Mosquito, em Holbox (México). Além do destino brasileiro, o único outro na América do Sul a entrar no cobiçado ranking é Punta del’Este, no vizinho Uruguai.

Confira a seguir o ranking completo, com praias de todos os continentes, algumas já bem conhecidas de turistas e algumas surpresas.

  • 1. Playa Conchal, Costa Rica
  • 2. Turquoise Bay, Exmouth, Austrália
  • 3. Grace Bay, Turks e Caicos
  • 4. Siesta Beach, Flórida, Estados Unidos
  • 5. Punta Mosquito, Holbox, México
  • 6. Secret Lagoon, El Nido, Palawan, Filipinas
  • 7. San Fruttuoso, Itália
  • 8. Pedn Vounder, Cornwall, Inglaterra
  • 9. Boulders Beach, África do Sul
  • 10. Reynisfjara Beach, Vík í Mýrdal, Islândia
  • 11. Whitehaven Beach, Whitsunday Islands, Austrália
  • 12. Zlatni rat (Golden Horn Beach), Brac, Croácia
  • 13. Playa Negra, Puerto Rico
  • 14. Source d’Argent, Seichelles
  • 15. Porto Santo, Ilha da Madeira, Portugal
  • 16. Pig Beach, Bahamas
  • 17. Navagio Beach (Shipwreck Cove), Zakynthos, Grécia
  • 18. Hyams Beach, New South Wales, Austrália
  • 19. Keem Bay, Mayo, Irlanda
  • 20. ​​Seagrass Bay, Laucala Island, Fiji
  • 21. Patnem Beach, Goa, Índia
  • 22. Arquipélago de Bazaruto, Moçambique
  • 23. Mafia Island, Tanzânia
  • 24. Horseshoe Bay, Bermuda
  • 25. Tunnels Beach, Kauai, Havaí
  • 26. Maundays Bay, Anguilla
  • 27. Ao Tanot Bay, Koh Tao, Tailândia
  • 28. Praia Banana, São Tomé e Príncipe
  • 29. Praia do Camilo, Lagos, Portugal
  • 30. Negril, Jamaica
  • 31. Fig Tree Bay, Protaras, Cyprus
  • 32. Cala Pregonda, Menorca, Espanha
  • 33. Naama Bay, Egito
  • 34. Ka’anapali Beach, Havaí
  • 35. Le Morne, Ilhas Maurício
  • 36. Seven Mile Beach, Ilhas Cayman
  • 37. The Saadiyat Beach, Abu Dhabi
  • 38. Praia de Grumari, Rio de Janeiro, Brasil
  • 39. Tuscan Cliff, Malásia
  • 40. Santa Mônica, Califórnia, Estados Unidos
  • 41. Eagle Beach, Aruba
  • 42. Mystic Beach, Vancouver Island, Canadá
  • 43. Diani Beach, Quênia
  • 44. Champagne Beach, Vanuatu
  • 45. Punta del’Este, Uruguai
  • 46. Elafonisi Beach, Grécia
  • 47. Yonaha Maehama, Japão
  • 48. Isla Robeson, Panamá
  • 49. Koekohe Beach, Nova Zelândia
  • 50. Seminyak, Bali, Indonésia

Acompanhe o  iG Turismo também pelo Instagram e receba dicas de roteiros e curiosidades sobre destinos nacionais e internacionais.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso