conecte-se conosco


Internacional

Assessor especial da Casa Branca se reúne com presidente do Brasil

Publicado

Internacional

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta terça-feira (24), em Brasília, com o assessor especial do governo dos Estados Unidos (EUA) para a 9ª Cúpula das Américas, Christopher Dodd. O encontro ocorreu no Palácio do Planalto e durou cerca de uma hora. 

Horas após a reunião, a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil distribuiu um comunicado de Dodd, um ex-senador do Partido Democrata, para informar sobre a conversa. Segundo ele, a visita foi para reforçar o convite para que Bolsonaro participe da cúpula. 

“Nesta manhã, em meu encontro com o presidente Bolsonaro, reiterei o nosso desejo de que o Brasil seja um participante ativo da Cúpula, pois reconhecemos a responsabilidade coletiva de avançar para um futuro mais inclusivo e próspero”, afirmou o norte-americano.

A Cúpula das Américas será realizada entre os dias 6 e 10 de junho em Los Angeles (EUA). O evento reúne líderes de quase todos os países das Américas. O Palácio do Planalto não se pronunciou sobre a reunião entre Dodd e Bolsonaro. Se decidir ir à Cúpula, o presidente brasileiro poderá ter seu primeiro encontro com o presidente dos EUA, Joe Biden, que assumiu o cargo em janeiro do ano passado.  

Ainda em seu comunicado, Christopher Dodd citou os temas principais que serão discutidos durante o evento e reforçou a importância da presença do Brasil. “A Cúpula das Américas se concentrará em algumas das questões mais importantes e compartilhadas de todo o hemisfério, como a garantia de que a democracia seja uma realidade para cada país, nossas metas climáticas compartilhadas, uma resposta mais colaborativa à covid-19 e a abordagem mais profunda do crime organizado e da instabilidade econômica.”

Segundo Dodd, o Brasil tem muito a contribuir nestes temas com os demais presidentes dos países das Américas que participarão da Cúpula. “Valorizamos muito a voz do Brasil enquanto discutimos soluções que ajudarão a construir vidas melhores para as pessoas do nosso hemisfério”, disse.
 

Edição: Fábio Massalli

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Cerimônia no Japão marca 77 anos do fim da Segunda Guerra Mundial

Publicado

Cidadãos no Japão celebram hoje 77 anos desde o fim da Segunda Guerra Mundial. No dia 15 de agosto de 1945, foi transmitido pelo rádio um pronunciamento do imperador Showa anunciando que o Japão havia se rendido. Nesta segunda-feira (15), o governo realizou uma cerimônia para homenagear aqueles que morreram na guerra.

Cerca de mil pessoas compareceram ao evento em Tóquio, onde é realizado anualmente. Os participantes observaram um minuto de silêncio quando os relógios marcaram o meio-dia para homenagear as pessoas que foram mortas em decorrência da guerra.

Dos mortos, mais de 2 milhões faziam parte do então Exército Imperial do Japão, enquanto cerca de outros 800 mil eram civis.

O imperador Naruhito e a imperatriz Masako participaram do evento. O imperador disse que “olhando para o longo período de paz que se sucedeu à guerra, refletindo sobre o nosso passado e mantendo vivo o sentimento de profundo remorso, eu espero honestamente que os horrores da guerra nunca mais se repitam. Junto com todo nosso povo, eu agora presto minha sincera homenagem a todos que perderam suas vidas na guerra, tanto dentro como fora dos campos de batalha, e rezo pela paz mundial e pelo contínuo desenvolvimento do nosso país”.

O premiê Kishida Fumio também fez um discurso durante o evento. Ele disse que “conflitos continuam sendo uma constante neste mundo, mas a nossa nação irá, sob a bandeira da contribuição proativa para a paz, trabalhar com comprometimento junto da comunidade internacional para resolver os múltiplos desafios que o mundo enfrenta”.

Um dos parentes das vítimas da guerra que compareceu à cerimônia foi Otsuki Kenichi, de 83 anos de idade. Seu pai deixou o Japão para lutar na China enquanto sua mãe ainda estava grávida dele. Seu pai morreu sem saber que ele havia nascido. Otsuki disse que “o mundo continua atormentado por conflitos, como a invasão russa à Ucrânia. Eles fazem com que famílias percam seus entes queridos todos os dias, como nós também perdemos. É a nossa sincera esperança que a paz prevaleça no mundo o mais cedo possível.”

Fonte: EBC Internacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Risco de desastre nuclear é cada vez mais forte em Zaporijia

Publicado

A União Europeia e mais 42 países assinaram declaração exigindo a “retirada imediata” das tropas russas da Central nuclear de Zaporizhia, na Ucrânia, a maior da Europa. Os confrontos ocorrem em vários pontos do país.

Em Kharkiv, a Rússia anunciou que eliminou mais de uma centena de mercenários estrangeiros e que feriu 50, após ataque com mísseis de alta precisão.

Em Mykolaiv, vários bombardeios russos atingiram uma escola e um hotel nos arredores da cidade, de madrugada. Não há registro de vítimas. O ataque ocorreu no dia em que a Rússia dá início aos Jogos Internacionais do Exército e ao Fórum do Exército 2022.

O presidente russo, Vladimir Putin, comparecerá à apresentação anual dos novos produtos da indústria militar.

*É probida a reprodução deste conteúdo.

Fonte: EBC Internacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso