conecte-se conosco


Saúde

Coreia do Norte tem 1 milhão de casos de Covid em menos de uma semana

Publicado

Saúde

source

BBC News Brasil

Covid na Coreia do Norte: do 1º caso confirmado a 1 milhão com 'febre' em menos de uma semana
Reprodução: BBC News Brasil

Covid na Coreia do Norte: do 1º caso confirmado a 1 milhão com ‘febre’ em menos de uma semana

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, ordenou que o exército ajude a distribuir remédios para a população, em meio a um surto de covid.

Mais de um milhão de pessoas adoeceram, mas Pyongyang tem chamado a doença apenas de “febre”, segundo a imprensa estatal.

Cerca de 50 pessoas morreram, mas não está claro quantas dessas pessoas testaram positivo para covid. A Coreia do Norte não possui muitos testes de covid e, por isso, há poucos casos confirmados.

Analistas apontam que norte-coreanos estão mais vulneráveis ao vírus devido à falta de vacinas e à precariedade do sistema de saúde. Um lockdown nacional está em vigor no país.

A imprensa estatal disse que Kim Jong-un liderou uma reunião de emergência no fim de semana, na qual acusou autoridades de saúde de atrapalhar a distribuição das reservas nacionais de medicamentos.

No sábado (14/5), Kim Jong-un disse que o surto de covid-19 que se espalha rapidamente é um “grande desastre”.

“A propagação dessa epidemia maligna é [o maior] distúrbio a afetar nosso país desde sua fundação”, disse ele à agência de notícias oficial KCNA.

Kim Jong-un impôs “emergência máxima”, com lockdowns e restrições de aglomerações em locais de trabalho.

Ele ordenou que as “forças poderosas” do corpo médico do exército interviessem para “estabilizar imediatamente o fornecimento de medicamentos na cidade de Pyongyang”.

Foto de Kim Jong-un em 18 de junho

EPA/KCNA
Foto de Kim Jong-un em 18 de junho; governo norte-coreano recusou qualquer tipo de vacina

Coreia do Sul oferece ajuda

O país anunciou seus primeiros casos confirmados de covid na semana passada — embora especialistas acreditem que o vírus provavelmente esteja circulando há mais tempo.

A comunidade internacional se ofereceu para fornecer à Coreia do Norte milhões de doses da AstraZeneca fabricadas na China no ano passado, mas Pyongyang disse que controlou a covid ao fechar suas fronteiras no início de janeiro de 2020.

A Coreia do Norte compartilha fronteiras terrestres com a Coreia do Sul e a China, que enfrentaram grandes surtos. A China agora está enfrentando uma onda de ômicron, com lockdowns em suas principais cidades.

A Coreia do Sul se ofereceu para enviar ajuda ao Norte, incluindo doses de vacinas, profissionais de saúde e equipamentos médicos.

Além do impacto direto na saúde, há temores sobre a produção de alimentos na Coreia do Norte, que enfrenta o problema da fome desde os anos 1990. O Programa Mundial de Alimentos estima que 11 milhões dos 25 milhões de habitantes do país estão subnutridos.

Se os trabalhadores agrícolas não puderem cuidar dos campos, dizem os analistas, as consequências para o resto do país serão extremamente sérias.


Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal .

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Entenda os benefícios do banho frio

Publicado

Especialistas recomendam banho frio
Thinkstock/Getty Images

Especialistas recomendam banho frio

Escolher a temperatura da água não é apenas questão de gosto. A preferência por banhos mais quentes ou mais frios traz impactos diretos para a saúde, não apenas da pele, como de todo o corpo. A melhor saída, explicam especialistas, é a água fria. Isso porque as duas opções oferecem benefícios diferentes que devem ser levados em consideração, porém, se for necessário escolher entre as duas temperaturas, o banho gelado é o que traz mais efeitos positivos.

Um dos principais pontos dos banhos mais frios é o aparente efeito estimulante do sistema imunológico. Um estudo conduzido por pesquisadores holandeses, publicado na revista científica PLOS One, com mais de três mil participantes, constatou que, entre aqueles que passaram a adotar uma rotina de água gelada, houve um número de faltas no trabalho por motivos de saúde 29% menor que entre os que tomaram banhos quentes.

Outro impacto é na ativação do sistema nervoso simpático. A água fria, quando entra em contato com o corpo, estimula a liberação da noradrenalina, um hormônio que acelera o batimento cardíaco e aumenta a pressão arterial. O mecanismo promove a sensação de se sentir revigorado e é ligado a desfechos melhores de saúde.

Além disso, o banho frio diminui o fluxo sanguíneo na pele. Mas, quando ele acaba, e o corpo precisa se aquecer, o organismo passa a trabalhar para aumentar esse fluxo na superfície. O estímulo a esse sistema é associado a uma melhor circulação do sangue no corpo.

Há ainda evidências de que a água gelada constante ajuda a acelerar o metabolismo e a perda de peso, e que a liberação da noradrenalina mencionada anteriormente pode ajudar a combater sintomas de depressão. No entanto, pessoas com predisposição para problemas cardiovasculares devem estar atentas. A exposição imediata a águas muito frias pode provocar um choque térmico no corpo, e, em casos mais graves, precipitar um ataque cardíaco.

Apesar de o banho frio de fato oferecer mais benefícios, há também pontos positivos na água mais quente. O mais evidente é a sensação de relaxamento que ela proporciona. Há estudos mostrando que esse efeito pode levar a um sono melhor, ao alívio de fadigas musculares e da tensão corporal.

Temperaturas mais altas também podem ser boas para a circulação, mas de forma diferente da água gelada. Quando expostos ao calor, os vasos sanguíneos se alargam, o que promove um aumento do fluxo sanguíneo.

Esses efeitos, que abaixam a pressão arterial, podem, no entanto, ser negativos para determinadas pessoas. Naqueles mais suscetíveis a quedas de pressão, a água quente pode levar à tontura e até mesmo a mudanças abruptas que levam a quadros de desmaio. No banheiro, isso se torna ainda mais preocupante pois pode provocar um acidente.

Além disso, a água mais quente retira da pele óleos naturais, o que pode promover um ressecamento e, eventualmente, erupções cutâneas, especialmente em pessoas com problemas de pele. As mesmas substâncias também podem ser retiradas do cabelo, deixando-os mais secos e menos hidratados.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Síndrome Respiratória Aguda Grave recua em 21 estados e no DF

Publicado

Os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) apresentam tendência de queda em 22 unidades da federação, segundo o boletim InfoGripe divulgado hoje (11) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). As exceções são Roraima, onde há tendência de alta, e Amazonas, Amapá, Maranhão e Piauí, cujas incidências se mantiveram estáveis.

A análise considera as últimas seis semanas epidemiológicas, período encerrado em 6 de agosto. Em todo o Sul e Sudeste e em boa parte do Nordeste e Centro-Oeste, a probabilidade de queda nos casos de SRAG é maior que 95%.

O monitoramento dos casos de SRAG ganhou destaque durante a pandemia de covid-19, porque as hospitalizações causadas pelo SARS-CoV-2 passaram a dominar os casos virais dessa síndrome. Segundo a Fiocruz, nas últimas quatro semanas, 79,1% dos casos de SRAG viral foram causados pelo novo coronavírus.

Apesar de apenas o estado Roraima apresentar tendência de alta na análise das últimas seis semanas, quando os pesquisadores se debruçam sobre as capitais, há avanço na incidência da SRAG em Belém, Boa Vista e no Recife.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso