conecte-se conosco


Tecnologia

Steve Jobs queria lançar o primeiro iPhone sem entrada para chip

Publicado

Tecnologia

source
Steve Jobs durante lançamento do primeiro iPhone
Divulgação/Apple

Steve Jobs durante lançamento do primeiro iPhone

O chip virtual (eSIM) foi uma solução popularizada pelo iPhone desde 2018. Mas você sabia que o cofundador da Apple, Steve Jobs, já queria eliminar a entrada para chip de operadora no primeiro iPhone, em 2007? É o que conta um dos responsáveis pelo iPod, Tony Fadell, em uma entrevista dada à jornalista Joanna Stern.

A história gira em torno do chip de operadora colocado na lateral do smartphone. Segundo Fadell, durante o desenvolvimento do primeiro iPhone, Jobs era contrário à ideia de ter um espaço para colocar o cartão SIM. O problema é que, naquela época, soluções como o eSIM ainda não existiam, limitando os seus sonhos.

Mas o cofundador levantou algumas referências para sustentar a sua ideia. O executivo lembrou da operadora Verizon, que utiliza a tecnologia CDMA e não depende de chips para funcionar. Para refrescar a memória, trata-se da solução adotada pela Claro e a Vivo quando ainda se chamavam ATL e Telefônica, respectivamente.

O problema é que a tecnologia não possui uma grande abrangência no mundo. No Brasil, depois que a Oi e a TIM chegaram ao mercado nacional com a tecnologia GSM, a Claro e Vivo abandonaram o CDMA nos anos 2000. O GSM também está amplamente difundido em outras regiões, como a União Europeia, já que o padrão foi feito pelo Instituto Europeu de Normas de Telecomunicações (ETSI, em inglês).

No fim das contas, o iPhone foi lançado com a tecnologia GSM. Depois, em 2011, a Apple chegou a lançar uma versão do iPhone 4 com suporte ao CDMA para atender os clientes da Verizon. Mais tarde, em 2018, o iPhone XR, XS e o XS Max foram lançados com suporte ao eSIM, que tem o potencial de substituir o chip físico no futuro.

Apple se prepara para lançar iPhone sem entrada de chip

O eSIM não é uma tecnologia criada pela Apple, mas que foi popularizada pelo iPhone. A solução deu as caras nos modelos de 2018, levando aos smartphones da marca uma função para lá de esperada: o Dual SIM. Mas, apesar de o uso principal ser voltado ao uso de duas linhas ao mesmo tempo, o recurso tende a decretar o fim do chip físico.

E essa pode ser uma das apostas da Apple para o futuro. Em dezembro, o MacRumors informou que a fabricante pediu para as operadoras americanas se prepararem para um iPhone sem entrada para chip. O prazo final da mudança seria em setembro de 2022, quando a empresa deve lançar a linha iPhone 14.

De um lado, isto é um ponto bom: as fabricantes podem ganhar mais espaço interno para implementar outros componentes. Do outro, esta mudança pode ser uma barreira em algumas regiões. E é justamente este um dos problemas que muitos brasileiros encontram, pois ativar o eSIM no Brasil pode dar bastante dor de cabeça.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Microsoft lançará aparelho Xbox que permite streaming de jogos

Publicado

source
Xbox prepara aparelho que libera streaming de jogos
Arthur Henrique

Xbox prepara aparelho que libera streaming de jogos

A Microsoft planeja lançar um dispositivo Xbox para streaming de jogos, especificamente o serviço Xbox Cloud Gaming. Ideia é que o aparelho, nomeado de Keystone, funcione como um Chromecast. A informação foi divulgada pelo Windows Central.

O aparelho, no entanto, não deve chegar tão cedo às prateleiras. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O Keystone permitiria que os usuários pudessem conectar seus jogos a qualquer TV ou monitor, dispensando o uso de console. 

No ano passado, a Microsoft ventilou a possibilidade de trabalhar em um protótipo semelhante a um Chromecast para utilizar em Smart TVs, mas não havia dado maiores detalhes e nem como funcionaria.

Agora a empresa já fala em entregar o serviço Xbox Cloud Gaming para mais jogadores ao redor do mundo no futuro.

O Cloud Gaming chegou ao Brasil em setembro de 2021 e permite que os usuários joguem a partir de qualquer aparelho com qualidade máxima, apenas necessitando de uma boa conexão.

Entretanto, em abril, a companhia trouxe o streaming de jogos para o Xbox One e Xbox Series X|S em território nacional, o que permite que os assinantes joguem diretamente da nuvem sem a necessidade de instalar o jogo. 



Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

ANPD ‘absolve’ WhatsApp, mas Idec questiona encerramento do caso

Publicado

source
Caso sobre política de privacidade do WhatsApp é encerrado
Unsplash/Mourizal Zativa

Caso sobre política de privacidade do WhatsApp é encerrado

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) divulgou no início do mês uma nota técnica que conclui o caso da mudança de política de privacidade do WhatsApp, que foi tema de polêmica no ano passado. Segundo o órgão, o mensageiro cumpriu 100% de suas recomendações.

Nesta sexta-feira (27), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), afirmou que análises extras deveriam ser feitas pela ANPD, responsável por fazer cumprir a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

O que a ANPD concluiu

A ANPD afirma que fez diversas recomendações ao WhatsApp e que todas elas foram cumpridas pela empresa. “Um dos benefícios gerados pelas recomendações da ANPD foi a alteração do formulário disponibilizado na plataforma para o exercício de direitos. O novo modelo é mais simples e intuitivo e facilita o exercício dos direitos dos titulares – usuários do aplicativo. Algumas mudanças recomendadas trouxeram alterações na plataforma, inclusive em âmbito mundial, conforme informado pelo WhatsApp”, afirma a ANPD.

Além da ANPD, a análise do caso foi feita também pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon).

De acordo com a ANPD, apesar do caso ter sido dado como encerrado, novas investigações serão feitas a respeito do WhatsApp. Um procedimento que analisa especificamente o compartilhamento de dados do WhatsApp com o Facebook já foi aberto pelo órgão.

Além disso, a Autoridade também reservou outros temas específicos, como o tratamento de dados pessoais de crianças e adolescentes e medidas de segurança de privacidade desde a concepção e privacidade por padrão, para análises mais longas, aprofundadas e que contemplem também outras plataformas digitais.

Idec questiona encerramento do caso

Para o Idec, alguns pontos importantes ficaram de fora da análise da ANPD. Mesmo com a abertura de investigações futuras, o Instituto acredita que as pendências deveriam ter tido mais destaque na avaliação encerrada.

“As grandes ameaças à proteção de dados do consumidor não foram avaliadas, isto é, o compartilhamento dos dados dos usuários do aplicativo com o grupo Meta (controlador do WhatsApp e Facebook). Isso significa que os dados dos consumidores continuam sendo coletados e utilizados para finalidades alheias aos serviços de mensagens, muitas vezes sem o conhecimento do próprio usuário”, justifica a advogada do programa de Direitos Digitais e Telecomunicações do Idec, Juliana Oms. 

O Idec ainda afirma que toda a política de privacidade do WhatsApp deveria ser analisada, e não apenas as mudanças estabelecidas em 2021. “Consideramos que uma análise da política de privacidade como um todo, independente se originada em 2016 ou em 2021, seria mais benéfica ao consumidor. No entanto, entendemos que as mudanças que ocorreram ou vão ocorrer são positivas”, afirma Oms.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso