conecte-se conosco


Nacional

13 de maio: data recorda o dia em que a Lei Áurea foi promulgada

Publicado

Nacional

source
13 de maio de 1888 – Princesa Isabel assina a lei Áurea
Reprodução/Biblioteca Nacional

13 de maio de 1888 – Princesa Isabel assina a lei Áurea

Tida apenas como simbólica, esta sexta-feira, 13 de maio, recorda o dia em que a Lei Áurea foi promulgada e aboliu a escravidão no Brasil. A não celebração pelo movimento negro, de acordo com historiadoras, se deve ao fato de ainda hoje o país experimentar desigualdades sociais frutos de uma abolição incompleta. Outro ponto defendido é que o feito histórico, há 134 anos, não leva em consideração a resistência de escravizados em busca da liberdade. Ao contrário, protagoniza a princesa Isabel, filha do Imperador Dom Pedro II que assinou a lei.

Registros da história apontam que a formação de coletivos negros para tentar derrubar o sistema escravocrata acontecia desde quando os portugueses colonizaram o Brasil e iniciaram o tráfico negreiro. Algumas movimentações dos escravizados aconteciam nas próprias senzalas, com fugas, desobediências, luta pela alforria e, até mesmo, a partir das idas aos jornais e à Justiça para reivindicar a escravidão ilegal ou porque já tinham pecúlio suficiente pra comprar sua liberdade.

Outros locais de resistência eram os quilombos e centros religiosos de matriz africana, que acolhiam os fugitivos e os davam a possibilidade de viver. No entanto, mesmo com essas descobertas, a historiadora Martha Abreu afirma que a luta do povo preto não é reconhecida devido ao racismo.

— Quando a princesa assina a Lei Áurea, já havia quase que um consenso na sociedade da ilegitimidade da escravidão. O movimento abolicionista foi o primeiro movimento de massas e ganhou as ruas, ganhou os palcos, as áreas rural e urbana e, portanto, é fruto das lutas de negros e negras. Mas, ao admitir isso, você está reconhecendo o talento e as estratégias da população negra, o que não é uma versão que tenha caído no gosto de intelectuais brancos e republicanos. Por isso, a continuidade de uma interpretação que mantém a princesa branca como heroína é, de alguma forma, a reprodução do racismo no campo do não reconhecimento do protagonismo negro — aponta a historiadora.

Fim da escravidão teve interesses econômicos

A professora e historiadora Angélica Ferrarez explica ainda que o fim da escravidão não aconteceu por bondade da realeza, mas sim por interesses políticos e econômicos. A abolição veio depois de mais de três séculos de escravidão e cerca de 4,9 milhões de pessoas africanas traficadas para o Brasil — país com o maior contingente de escravizados e o último a findar o regime.

— O 13 de maio aconteceu segundo um movimento no Brasil que estava em consonância com interesses dos liberais europeus. Não porque eles estavam preocupados com a condição subumana dos negros escravizados na América, mas porque a empresa escravocrata era desinteressante para a consolidação do sistema capitalista — explica Angélica.

O fato de a Lei Áurea ter sido implementada sem nenhuma medida reparativa à população negra é um dos fatores responsáveis pelas desigualdades estruturais que assolam o país em pleno 2022, de acordo com Martha Abreu. A afirmação é percebida em dados do IBGE. Apesar de 56% dos brasileiros se autodeclararem negros, eles são representados como “minoria”, por terem menos acesso à educação, emprego, saúde e moradia.

— A Lei Áurea foi muito sumária, pois só estabelece que daqui (13 de maio de 1888) para frente não há mais escravizados e ponto final. Mas, não teve nenhuma política de indenização, reforma agrária e ação afirmativa. Ao contrário, teve apoio à imigração e à chegada de brancos europeus para o trabalho nas lavouras. O aprofundamento de ideias racistas, que diziam que essa população escravizada estava despreparada para o trabalho e para a cidadania, não os deu os mesmos direitos que o restante da população. Isso é uma estratégia de continuar hierarquizando a sociedade — complementa a historiadora.

Resistência negra é celebrada em 20 de novembro

O processo de libertação contou com a ajuda de importantes personalidades negras. Entre eles Luíza Mahin, ex-escrava que teve papel fundamental nas revoltas dos negros que aconteceram na Bahia do século XIX, sendo a Revolta dos Malês, de 1835, a principal delas, e o seu filho Luiz Gama, poeta e advogado que libertou mais de 500 negros da escravidão. Dentro dos quilombos, dois importantes abolicionistas foram Dandara e Zumbi dos Palmares. Casados, eles tiveram papel fundamental no funcionamento do Quilombo dos Palmares, onde participaram de lutas de capoeira para defender o território das diversas tentativas de invasão. De acordo com os poucos registros históricos, o casal ajudou a constituir a organização social e econômica da comunidade.

Tendo o 13 de maio apenas como data simbólica, o movimento negro considera o 20 de novembro — Dia da Consciência Negra — a verdadeira data do protagonismo negro, de acordo com a historiadora Ana Flávia Magalhães Pinto, da Universidade de Brasília (UnB), uma das articuladoras da Rede Nacional de Historiadores Negros. A data homenageia Zumbi dos Palmares e tem como base seu exemplo de vida.

— O movimento negro criou o 20 de novembro para contestar a história ensinada de que a liberdade foi beneficiada pela elite branca e que não havia existido luta negra por liberdade. A ideia é tirar essa gana de sangue europeu que tudo branqueia — aponta Ana Flávia.

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Passageiros de aeroporto são surpreendidos com vídeo pornô no RJ

Publicado

source
Imagens pornográficas apareceram numa tela do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro
Reprodução – 27.05.2022

Imagens pornográficas apareceram numa tela do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro

Imagens pornográficas apareceram numa tela de mídia no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, chamando atenção de quem passava diante dela nesta sexta-feira. Registros da inusitada exibição já circulam nas redes sociais, impressionando e surpreendendo também internautas, enquanto geram reações cômicas no Twitter.

“A televisão do aeroporto santos dumont HAHAHAH o funcionário desesperado tentando desligar, coitado (sic)”, comentou uma usuária do Twitter, ao compartilhar uma foto.

“Algum gênio conseguiu entrar no totem do aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro e colocou videos pornôs. O meu Rio é literalmente do c*! kkkkk”, postou outro.

“Hackearam um painel do aeroporto Santos Dumont e botaram pornô kkkkkkkkk o brasileiro não tem UM DIA DE PAZ!!!”, escreveu mais um internauta.

“O negócio tava animado no Santos Dumont hoje. Sextou mesmo por lá kkkkkkk”, zoou outro usuário do microblog.

Veja o vídeo:

Procurada pelo GLOBO, a Infraero, administradora do Santos Dumont, informou que “tomou as medidas legais cabíveis”, incluindo “registro de boletim de ocorrência e comunicação à Polícia Federal”, assim que tomou conhecimento da “publicação indevida em um dos monitores publicitários”.

A Infraero esclareceu ainda que a responsabilidade pela tela em questão é de uma empresa terceirizada, que já foi notificada sobre o caso “para tomar providências quanto à segurança das informações veiculadas em totens de mídia nesta sexta-feira”.

“Ressaltamos que o conteúdo exibido nos monitores de mídia é de responsabilidade das empresas exploradoras de publicidade, que utilizam redes lógicas e sistemas próprios de divulgação, não tendo qualquer relação com o sistema de informação de voos da Infraero”, acrescentou. “Nesse sentido, reforçando seu compromisso com a segurança de seus passageiros, informamos que os monitores relacionados ao caso permanecerão desligados em nossa rede de aeroportos até que esteja garantida pela empresa exploradora de mídia sua confiabilidade.”

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

‘Faraó dos Bitcoins’: PF indicia Glaidson por lavagem de dinheiro

Publicado

source
Glaidson Acácio dos Santos, de 38 anos, dono da GAS Consultoria Bitcoin, responsável por comandar esquema que movimentou mais de R$ 2 bilhões
Reprodução

Glaidson Acácio dos Santos, de 38 anos, dono da GAS Consultoria Bitcoin, responsável por comandar esquema que movimentou mais de R$ 2 bilhões

Nove meses após ser preso pela Polícia Federal por suspeita de comandar esquema milionário de lavagem de dinheiro, o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos , dono da GAS Consultoria, foi indiciado novamente pelo órgão, nesta quinta-feira, por lavagem de dinheiro e ocultação de bens. O relatório da PF já está com o Ministério Público Federal (MPF) que analisa se aceita o indiciamento e denuncia o ‘Faraó dos Bitcoins, como é conhecido. Atualmente, o ex-pastor está preso no Complexo de Gericinó, em Bangu.

Este é o segundo indiciamento de Glaidson pela PF. Em setembro do ano passado, o ex-garçom e outras 21 pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal por participação em organização criminosa, gestão fraudulenta e violação do sistema financeiro nacional.

No final do ano passado ele já havia sido indiciado pelo Ministério Público do Rio (MPRJ) por mandar matar Nilson Alves da Silva, o Nilsinho, em 20 de março de 2021, em Cabo Frio, na Região dos Lagos fluminense . Nilsinho sobreviveu ao atentado. Meses depois a Justiça do Rio acatou o pedido do MP e transformou o dono da GAS Consultoria em réu pelo crime.

Movimentou R$ 38 bilhões, diz PF

Ao longo das investigações, a PF descobriu que Glaidson diversificou as suas aplicações e investiu em outra criptomoeda. Até o momento se sabia que ele, sua mulher Myrellis Zerpa e sua empresa GAS Consultoria investiam em bitcoins. De acordo com informações da Polícia Federal, o sistema patrocinado por Glaidson pode ter movimentado algo em torno de R$ 38 bilhões.

As investigações apontam que Glaidson investiu também na moeda digital Dash. Essa criptomoeda é usada em pagamentos online e alguns consideram como uma alternativa aos cartões bancários ou ao dinheiro. Além da conta, Dashcore, os investigadores descobriram a senha usada por Glaidson. O saldo encontrado foi de R$ 90 milhões. Em depoimento à PF e ao MPF, Glaidson não quis falar sobre o novo investimento e nem fornecer as senhas das contas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso