conecte-se conosco


Mato Grosso

Gefron apreende cerca de 550kg de pasta base avaliada em mais de R$ 10 milhões

Publicado

Mato Grosso


O Grupo Especial de Fronteira (Gefron) apreendeu uma carga de 546 quilos de pasta base de cocaína avaliada em aproximadamente R$ 10 milhões na noite desta quinta-feira (17.03), no município de Vila Bela da Santíssima Trindade (521 km de Cuiabá). Ao todo foram apreendidos 417 tabletes do entorpecente e três homens acabaram presos no momento que transportavam a droga.

Conforme o Gefron, uma equipe de fronteira seguia pela MT-199 sentido Bolívia, quando na região da comunidade Palmital se deparou com cinco pessoas em motocicletas que seguiam sentido a Vila Bela, ao se deparar com as viaturas, os suspeitos, conhecidos que atuavam como batedores, aqueles que fazem a segurança da droga, entraram em fuga no sentido contrário. Logo atrás dos motociclistas estava uma VW Saveiro, com três homens.

Durante abordagem ao veículo, os operadores de fronteira encontraram mais de 10 fardos carregados com tabletes de pasta-base na carroceria do automóvel. Os suspeitos foram presos e encaminhados a base do Gefron em Porto Esperidião, onde após consulta, os agentes identificaram que um deles já possuía passagem por formação de quadrilha.

Integração com a PF

Ainda nesta quinta-feira (17.02), uma operação integrada entre a Polícia Federal e o Gefron terminou com a apreensão de 116 tabletes de entorpecentes que estavam sendo transportados em uma embarcação no rio Guaporé, ainda em Vila Bela. A ação fluvial resultou na apreensão de quatro homens que transportavam o entorpecente. Ao todo foram apreendidos 91 tabletes de pasta base e 25 de maconha.

Os suspeitos presos em ambas ocorrências serão encaminhados à Polícia Federal de Cáceres, juntamente com o entorpecente que passará pelo processo de pesagem, para identificar quantos quilos foram apreendidos e o valor real das cargas.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Pedreiro é condenado a 52 anos de reclusão por homicídio e estupros

Publicado

O pedreiro Jeberson Alves dos Santos foi condenado nesta terça-feira (9), pelo Tribunal do Júri de Barra do Garças (a 509km de Cuiabá), pelo estupro e homicídio qualificado de Rhayany Rhutila Moraes Silva e pelo estupro da filha dela, de 11 anos de idade. O Conselho de Sentença reconheceu que o homicídio foi praticado com emprego de meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e para assegurar a ocultação de outro crime. A pena foi fixada em 52 anos, dois meses e cinco dias de reclusão em regime inicial fechado, bem como negado ao réu o direito de recorrer em liberdade.

De acordo com a denúncia da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Barra do Garças, os crimes aconteceram em novembro de 2020, na residência das vítimas. Jeberson dos Santos teria pulado o muro da casa para roubar, contudo, ao perceber que no local estavam somente mãe e filha, rendeu as vítimas com uma faca e as amarrou. O pedreiro levou as duas para o quarto, onde praticou na criança “atos libidinosos diversos de conjunção carnal”. Depois, levou a mãe para outro cômodo onde a estuprou.

Conforme o Ministério Público, para assegurar a impunidade dos crimes de estupro, Jeberson matou Rhayany asfixiada. O homem chegou a fugir, mas foi preso posteriormente na cidade de Nova Xavantina e confessou a prática dos crimes. O réu, que já possuía outras cinco condenações por crimes como roubo, furto e falso testemunho, respondeu ao processo preso.

Atuou no júri o promotor de Justiça Wdison Luiz Franco Mendes. A sessão em plenário foi presidida pelo Juiz Douglas Bernardes Romão.

Fonte: MP MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Justiça e Universidade de Rondonópolis se reúnem para formar grupo reflexivo para homens agressores

Publicado

O Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio da Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Rondonópolis, irá firmar parceria com a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) para realizar um amplo trabalho de pesquisa e extensão com homens autores de violência contra as mulheres no âmbito doméstico e familiar.
 
O projeto “Serviço de Educação e Reflexão para homens autores de violência contra as mulheres no âmbito doméstico e familiar – 1ª Edição” foi apresentado pelo professor George Moraes de Luiz, da Faculdade de Psicologia do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da UFR, à juíza Maria Mazarelo, titular da vara, na tarde desta terça-feira (09 de agosto), em reunião on-line.
 
George explicou toda a estrutura do projeto, desde os objetivos, operacionalização, conteúdo programático até o cronograma de execução do trabalho, que será realizado por meio de um termo de cooperação técnica que será firmado entre o Poder Judiciário e a UFR, com intermédio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher) e do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
 
Manejo das emoções, inteligência emocional, reparação de danos, paternidade, sexualidade, relações íntimas, relações de gênero, regras de comportamento, violências vividas e praticadas, Lei Maria da Penha, mecanismos de responsabilização, relação do uso de drogas e violência, sentimentos, autocontrole emocional, aspectos emocionais e afetivos de uma relação a dois e saúde do homem são alguns dos tópicos que serão abordados no projeto.
 
A previsão é que sejam formados grupos de 20 homens, que se reunirão uma vez por semana, em encontros de uma hora e meia, com equipe técnica multidisciplinar composta por estagiários, extensionistas, pesquisadores e profissionais colaboradores das áreas de Psicologia, Serviço Social, Ciências Sociais, Direito e Educação.
 
O projeto abrange 14 encontros, sendo 11 reflexivos, dois destinados a palestras e uma oficina de construção de projeto de vida.
 
“O Tribunal de Justiça está empenhadíssimo nessa causa. Uma das bandeiras da presidente Maria Helena Póvoas é combater a violência doméstica no estado de Mato Grosso. Estamos trabalhando em vários projetos dentro do planejamento estratégico para fomentar isso. O senhor chega em um ótimo momento, estou encantada com o profissionalismo, excelência, e com o conteúdo extremamente rico”, afirmou a juíza Maria Mazarelo.
 
O professor também estruturou o projeto baseado em experiências anteriores de grupos reflexivos de homens desenvolvidos em Várzea Grande, Barra do Garças e Livramento.
 
“A violência é uma construção social. Os grupos reflexivos são uma forma de tentar não haver reincidência, oportunizar o tratamento, acolhimento e a reinserção”, pontuou o professor.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Descrição de imagem: Print de tela horizontal da reunião virtual realizada entre a juíza e o professor. Ao centro a tela de apresentação do projeto, projetada pelo professor, e à direita dois quadrantes onde aparecem as imagens dos dois participantes em vídeo.
 
 Mylena Petrucelli
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso