conecte-se conosco


Tecnologia

No metaverso, empresas pagam para você jogar videogame

Publicado

Tecnologia


source
Games recompensam jogadores
Unsplash/Onur Binay

Games recompensam jogadores

Os games e plataformas de metaverso estão em alta no mercado de criptomoedas, superando inclusive o hype do início do ano em torno dos tokens não fungíveis (NFTs) .

Agora, diversos games que pagam seus jogadores por sua interação estão anunciando novidades em busca de atrair mais jogadores.

O metaverso duelista King, por exemplo, teve um tremendo sucesso durante sua primeira venda de 50.000 caixas NFT. A venda ocorreu em 15 de setembro e foi concluída em 45 minutos devido à forte demanda.

Cada caixa foi avaliada em US$ 5 e deu aos usuários uma chance igual de obter cartas raras. Duelist King NFTs tem seis níveis de raridade, de “comum” a “lendário”. Agora, a equipe anunciou a venda do segundo lote de caixas NFT no dia 15 de dezembro de 2021.

Leia Também

Leia Também

Dessa vez, serão somente 20.000 caixas, em comparação com 50.000 caixas na primeira venda. A equipe vai oferecer as vendas do cartão em várias rodadas, cada uma com seu design. Haverá 25 fases de distribuição de cartões, cada uma com 20 designs exclusivos.

Krown

Além disso, quem também está com novidades é o metaverso Krown que lançou uma coleção de 3.010 NFTs de edição limitada.

Os usuários que possuem NFTs Krown são chamados de “usuários Krowned”. Enquanto isso, os usuários sem um NFT são “usuários não proprietários”. Os NFTs de Krown servem como um cartão de membro do clube em todo o metaverso.

No game, aqueles que obtiverem a propriedade de um Krown NFT se tornarão membros do exclusivo Krown Kingdom, um clube para colecionadores de arte rara, cyberpunks com ideias semelhantes e realeza do metaverso.

Os membros de Krown (Krowned) irão supervisionar o reino de Krown e presidir os membros “não-Krown”, permitindo que eles vejam, mas não toquem, na gloriosa obra de arte do reino.

Comentários Facebook

Tecnologia

Como denunciar fake news no Twitter

Publicado


source
Como denunciar fake news no Twitter
Ricardo Syozi

Como denunciar fake news no Twitter

Após lidar com uma enxurrada de críticas do público brasileiro que subiu uma hashtag marcando a empresa, o Twitter finalmente liberou a ferramenta para denunciar fake news em sua rede social. Previamente disponível em países como EUA e Coreia do Sul, o recurso chegou para o público do Brasil junto com outras nações como Espanha e Filipinas. Saiba como garantir a denúncia de conteúdos enganosos.

Tempo necessário: 5 minutos.

Assim que você identificar um tuíte que propaga fake news, você pode denunciar diretamente pelo próprio Twitter.

  1. Abra as opções

    No tuíte que está oferecendo qualquer conteúdo enganoso, clique nos três pontos no canto superior direito para abrir as opções; twitter fake news

  2. Comece a denúncia

    Clique na opção “Denunciar Tweet”; denunciar fake news twitter

  3. Escolha o motivo

    Para denunciar pelo Twitter por causa de fake news, é importante escolher a opção “As informações são enganosas”; denunciar fake news twitter

  4. Defina o tipo

    Três opções vão surgir: “Política”, “Saúde”, “Outra coisa”. Escolha qual o tipo de informação enganosa que você se deparou no tuíte; Twitter

  5. Conclua

    Por fim, você pode clicar no botão “Concluído” para finalizar ou realizar formas de impedir que a fonte do tuíte reapareça em sua timeline. Para isso, há opções como bloquear, silenciar ou simplesmente deixar de seguir. Twitter

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Twitter vai permitir denúncias de posts com fake news no Brasil

Publicado


source
Twitter vai permitir denúncias de posts com fake news no Brasil
Pedro Knoth

Twitter vai permitir denúncias de posts com fake news no Brasil

O Twitter informou em nota nesta segunda-feira (17) que permitirá a denúncia de posts com informações falsas, as chamadas “fake news”. A ideia é que os usuários alertem sobre conteúdos que violem as regras da plataforma. Atualmente, a possibilidade de denúncia funciona em teste apenas nos EUA, Coreia do Sul e Austrália, desde agosto do ano passado.

Além do Brasil, o recurso será disponibilizado na Espanha e nas Filipinas para “colher aprendizados de uma pequena, porém geograficamente diversificada, gama de regiões – incluindo aquelas em que o inglês não é o primeiro idioma – antes de tornar a ferramenta disponível globalmente”. “Além disso – e paralelamente a nossas políticas já existentes em eventos cívicos anteriores -, o fato de 2022 ser ano de eleições no Brasil e nas Filipinas, assim como de meio de mandato nos Estados Unidos, contribuirá para a avaliação de como esta ferramenta de denúncias seria usada em períodos de grandes eventos cívicos”, destacou a plataforma em um comunicado.

A liberação vem na esteira da hashtag “#TwitterApoiaFakeNews”, que ficou no último dia 5 no primeiro lugar entre os assuntos mais comentados do Brasil. A principal crítica dos internautas era quanto à permissão da rede para disseminadores de informação falsa quanto à vacinação. 

A campanha também questionou a verificação de contas bolsonaristas que espalham conteúdos enganosos sobre a vacinação contra a doença, inclusive de investigados por fake news no Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia Também

No comunicado, o Twitter cita que se compromete “a considerar os relatos das pessoas no Twitter” para “entender as conversas e os desafios relacionados a desinformação em nosso serviço”.

Leia Também

Segundo a rede, mais de 50% do conteúdo viola suas regras, mas  “é identificado por sistemas automatizados” e que “a maior parcela do restante é identificada a partir do monitoramento contínuo de nossas equipes internas ou do nosso trabalho com parceiros externos de confiança”.

“Esperamos que a ferramenta de denúncias ajude nossas equipes a entender melhor novas narrativas e tendências em desinformação, em escala, e contribua para que avancemos na capacidade de detectar conteúdo enganoso no Twitter em tempo real”, concluiu a rede social.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso