conecte-se conosco


SAÚDE

Práticas integrativas e complementares em saúde no cuidado em hanseníase é tema de web aula

Publicado

Destaque

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio do projeto Telessaúde MT em parceria com as Coordenadorias de Atenção às Doenças Crônicas e de Promoção e Humanização da Saúde, realizará, nesta quinta-feira (11.11), às 15h, uma web aula sobre o Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICs) no cuidado em hanseníase. A proposta é capacitar profissionais e estudantes da área da saúde pública e privada para aprimorar a assistência prestada à população.

Os interessados em participar da aula podem acessar o canal do Tele Educa MT no YouTube 15 minutos antes do início da respectiva transmissão e se inscreverem gratuitamente.

Ficarão à frente da web aula a bióloga Maria Suely Sampaio, especialista em acupuntura e políticas públicas em gestão ambiental, e os servidores da SES Gonçalo Gomes Souza, enfermeiro especialista em gestão em saúde e vigilância em saúde ambiental, e Janaína Ribeiro Souza, farmacêutica mestre em ciências da saúde.

Sobre hanseníase

A hanseníase é uma doença crônica, transmissível mediante contato próximo e prolongado, preferencialmente no ambiente domiciliar. Ela é uma doença que tem cura e o diagnóstico e tratamento precoces, ofertados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), impedem o acometimento de incapacitações físicas.

A coordenadora de Atenção às Doenças Crônicas da SES, Ana Carolina Machado Landgraf, explica que as PICs foram reconhecidas e incorporadas pelo SUS contribuindo para o cuidado à pessoa com hanseníase, acolhendo-a em sua totalidade.

“Por meio dessas práticas nós ampliamos a proposta terapêutica tradicional – centrada em medicamentos específicos contra a doença – para uma abordagem terapêutica integradora, que complemente esse tratamento, incorporando outros aspectos como a aceitação da doença, o bem-estar, a busca pela melhora dos quadros dolorosos, da ansiedade, da angústia e de outros sentimentos que a pessoa porventura possa apresentar no decorrer do tratamento”, ressalta Ana Carolina.

As PICs envolvem estudos baseados em ciência milenar, que se utilizam de recursos terapêuticos cuja aplicação no SUS vem trazendo resultados promissores em casos de depressão, hipertensão entre outros.

Dentre as possibilidades de terapia via SUS, estão: apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia e terapia de florais.

“O desafio atual é alocar conhecimentos e recursos terapêuticos e direcioná-los para o cuidado em hanseníase de modo a contribuir com a qualidade de vida do paciente durante o tratamento e após a alta por cura para que possamos, assim, assegurar a redução da alta carga da doença uma vez que traz impactos nas dimensões do corpo físico, mental das pessoas acometidas pela hanseníase e seus familiares”, conclui a gestora.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Destaque

Morre vítima de Covid ex Deputado e Médico Tampinha

Publicado

Tampinha era ex deputado, médico atuante em Cuiabá, estava internado em São Paulo.

 

O ex-deputado federal José Augusto Curvo, o “Tampinha”, morreu nesta quinta-feira (20) no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo. Ele, que tinha 72 anos, é mais uma vítima da Covid-19.

Tampinha” foi levado à capital paulista no início da semana, após ser diagnosticado com o novo coronavírus. Familiares disseram que optaram pela transferência porque ele estava recuperando de uma cirurgia de hérnia.

Todavia, ao longo da semana, o estado dele se agravou e a morte foi confirmada no início desta tarde.

Médico por formação, “Tampinha” havia tomado todas as doses da vacina contra a Covid-19.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Começa vacinação infantil contra Covid-19 em Sinop; saiba como foi

Publicado

A vacinação infantil contra Covid-19 começou em Sinop. Maria Luiza Venazzi Cavalcanti Verzutti, 8 anos, foi a primeira criança a receber a dose do imunizante Pfizer. Acompanhada dos pais, Cassiane e André Cavalcanti Verzutti, a Malu, como é chamada, foi a primeira criança agendada após anúncio de liberação das vagas e compareceu, no início desta manhã, na Unidade Básica de Saúde José Marchezi Junior (UBS Paraíso).

“A gente têm acompanhado nas redes sociais todas as perdas e, por nós termos uma filha com comorbidade, já vínhamos esperando muito por essa vacina para poder proteger a nossa filha […], então, não perdemos mais tempo e corremos atrás para proteger ela”, explicou o pai de Malu, André, 45 anos.

André, que é empresário em Sinop, reforçou a importância da imunização infantil. “Sou a favor, não somente dessa vacina, mas, como de todas as vacinas, que é um direito de todas as crianças por lei, então essa não seria diferente, né?”, disse. “Deixar nossas crianças correrem riscos, vulnerabilidades, por falha nossa, adultos?”, questionou.

Maria Luiza tem 8 anos, está na quarta série e tem problemas cardíacos, necessitando o uso de marcapasso. Um pouco tímida com a presença da imprensa, ficou com medo da vacina, mas, assim que recebeu a primeira dose da Pfizer infantil, deixou um recado importante para os amigos. “Eu tomei a vacina e convido todos meus amigos a tomarem a vacina também, porque é importante para se proteger e não dói nada, gente”, disse Maria Luiza.

O prefeito Roberto Dorner (Republicanos) acompanhou o início da vacinação infantil e reforçou a importância da imunização considerando o aumento nos casos de Covid-19 que está sendo registrado no município e região. “O apelo que faço a toda população de Sinop: vacinem seus filhos para que não sejam pegos de surpresa por essa maldita pandemia que está assolando o mundo”, disse.

A imunização também foi acompanhada pelas secretárias Daniela Galhardo (Saúde) e Faira Strapazzon (Governo), profissionais da Secretaria Municipal de Saúde e representantes do Escritório Regional de Saúde.

IMUNIZAÇÃO INFANTIL

Sinop está seguindo a recomendação do Ministério da Saúde e deu início a vacinação para crianças com idades de 5 a 11 anos e que apresentam algum tipo das comorbidades elencadas no plano nacional de imunização, síndrome de Down ou deficiência permanente. O agendamento foi liberado na terça-feira (18) e pode ser feito pelo link: https://vacina.sinop.mt.gov.br/agendamento/vacina .

Para atender as recomendações do Governo Federal, a UBS Paraíso foi escolhida inicialmente como ponto único de vacinação para este público. Os atendimentos ocorrem na parte frontal da UBS, que foi organizada e isolada exclusivamente paras as crianças.  “Organizamos o espaço, preparado somente para atender esse público, pensando no conforto das crianças e dos pais”, enfatizou a secretária de Saúde, Daniela Galhardo. A gestora da pasta também destacou que, conforme a chegada das remessas de imunizantes, novas vagas serão liberadas no sistema de agendamento.

Conforme a resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB/MT), o público geral estimado para vacinação entre 5 a 11 anos, em Sinop, é de 15.643 pessoas.

DIFERENÇAS NA VACINAÇÃO PARA CRIANÇAS:

A vacina contra Covid-19 não pode ser administrada de forma concomitante a outras vacinas do calendário infantil, precisando respeitar um intervalo de 15 dias.

A vacina para crianças será aplicada em duas doses de 0,2 mL (equivalente a 10 microgramas). O intervalo entre as doses é de oito semanas. O imunizante tem dosagem e composição diferentes da que é utilizada na dose para os maiores de 12 anos.

A tampa do frasco da vacina é na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também pelos pais, mães e cuidadores que levarão as crianças para serem vacinadas.

A vacinação de crianças desta faixa etária ocorrerá com o acompanhamento de pais ou responsáveis. Para fins de registro, deverá ser exigido um documento oficial de identificação da criança;

É importante apresentação de algum documento que comprove a comorbidade (diferente da vacinação do adulto, o documento não será retido).

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso