conecte-se conosco


Internacional

Erupção de vulcão em ilha de La Palma provoca fugas e destrói casas

Publicado

Internacional


A primeira erupção vulcânica das Ilhas Canárias em 50 anos obrigou a retirada de cerca de 5 mil pessoas, incluindo aproximadamente 500 turistas, e destruiu cerca de 100 casas, disseram autoridades nesta segunda-feira (20).

O vulcão entrou em erupção nesse domingo (19), lançando lava a centenas de metros de altura, atingindo casas e florestas e enviando rocha derretida rumo ao Oceano Atlântico, ao longo de uma área escassamente povoada de La Palma, ilha do extremo noroeste do arquipélago das Canárias.

Nenhuma morte foi registrada, mas o vulcão ainda estava ativo nesta segunda-feira. Um repórter da Reuters viu fumaça espessa saindo do vulcão e casas em chamas.

Autoridades disseram ter esperança de não ter que retirar mais ninguém.

“A lava está seguindo para o litoral e o dano será material. De acordo com especialistas, há cerca de 17 milhões a 20 milhões de metros cúbicos de lava”, disse o presidente regional, Ángel Victor Torres, à Rádio Cadena Ser.

O fluxo de lava já destruiu cerca de 100 casas, disse Mariano Hernández, presidente do conselho de La Palma.

Cerca de 20 moradias foram engolidas no vilarejo de El Paso, assim como trechos de ruas, disse o prefeito Sergio Rodríguez à emissora estatal TVE. A lava estava se espalhando por vilarejos vizinhos e colocando centenas em risco, acrescentou.

O vulcanólogo Nemesio Pérez disse que mortes são improváveis, contanto que ninguém se comporte irresponsavelmente.

* Reportagens adicionais de Inti Landauro, Emma Pinedo, Corina Pons e Nathan Allen 

Comentários Facebook

Internacional

Reservas de gás na Europa são as mais baixas da década

Publicado


A média das reservas de gás na Europa era de 90% antes da pandemia de covid-19. Os dados oficiais de outubro reduzem essa capacidade para 75% . A Rússia, principal fornecedora de gás dos países europeus, está também a disponibilizando a produção para a Ásia.

A Europa poderá enfrentar escassez energética quando o consumo aumentar durante o inverno. O preço do gás já registra uma subida, em média, de 350% na fatura da energia dos europeus.

O abandono do uso do carvão diante das exigências ambientais fez com que os países recorram ao gás para suprir as necessidades energéticas. Todos querem gás agora, desde os consumidores domésticos às atividades industriais.

As empresas de distribuição de energia multiplicam esforços procurando recursos de gás para enfrentar as necessidades.

A Europa importa cerca de 90% do gás da Rússia. O segundo gasoduto que ligará esse centro distribuidor à Alemanha, contornando a Ucrânia, ainda não está concluído.

Entre a diversidade na geração de eletricidade com carvão, capacidade hídrica e nuclear e uma proporção significativa de energia proveniente de fontes renováveis, como eólica e solar, o gás desempenha papel fundamental em alguns dos maiores mercados de energia do continente.

A empresa russa Gazoprom, que tem mantido esse fornecimento, trabalha no máximo há dez anos e não tem, aparentemente, margem para aumentar a produção.

Na equação, entra outro grande consumidor de gás, a Ásia.

O inverno está chegando ao hemisfério norte, por isso, se “um inverno frio na Europa combinar com outro na Ásia, as reservas europeias serão esvaziadas. Então, não haverá gás disponível para atender às necessidades, a não ser que a Rússia adicione mais capacidade na produção” afirma o analista de energia John Kemp, citado na publicação espanhola La Vanguardia.

Kemp adverte ainda que “as reservas podem se esgotar na primavera, portanto os cortes de oferta serão inevitáveis”.

Carlos Solé, responsável pela secção da Economia e Regulação da empresa de consultoria KPMG na Espanha, explica que “o gás continuará a ter peso importante na matriz energética na próxima década, desde que a descarbonização seja implementada. Os dados indicam que metade da necessidade nos próximos anos virá da Ásia, o que implica que, se a Europa quiser garantir o abastecimento, terá que competir no mercado internacional”.

Os especialistas acreditam que as reservas de gás na Europa podem depender de um clima menos rigoroso durante o inverno.

À mesa, está a compra conjunta de gás natural liquefeito (GNL) pelos países europeus, mas os governos ainda não encontraram solução para o armazenamento e quem distribui para quem.

Mais uma vez, a Ásia apresenta-se como a maior região importadora de GNL, onde países como Japão, China e Índia estão a comprar o combustível antes do inverno, fazendo aumentar a pressão no mercado e a estrangular o acesso da Europa ao recurso energético.

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Morre o general Colin Powell

Publicado


O general Colin Powell , primeiro secretário de Estado afro-americano dos Estados Unidos, morreu hoje (18), aos 84 anos, vítima de complicações da covid-19.

Em publicação na sua página no Facebook, a família Powell informou que o general tinha o esquema de vacinação completo. 

(Em atualização)

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso