conecte-se conosco


Polícia Federal

Operação Godela II combate fraudes em financiamentos de veículos no RN

Publicado

Polícia Federal


Natal/RN – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (29/7) a Operação Godela II, destinada a apurar fraudes em financiamentos de veículos praticadas entre os anos de 2018 e 2020 no Rio Grande do Norte.

Cerca de 20 policiais federais estão cumprindo 5 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 2ª. Vara Federal/RN, nos municípios de Parnamirim, Espírito Santo e Santo Antônio/RN.

A operação decorre de investigações realizadas por meio de sete inquéritos policiais instaurados nos anos de 2019 e 2020, com base em notícias de crime apresentadas por instituições financeiras e, também, por lojistas lesados.

Os elementos de prova já colhidos indicam que os investigados arregimentavam pessoas para se passarem por terceiros, as quais adquiriam veículos por meio de financiamentos, cujas parcelas não eram quitadas. Até esta data foram identificadas dez aquisições fraudulentas de veículos.

Os suspeitos poderão responder pelo crime de fraude para obtenção de financiamento em instituição financeira, além de associação criminosa e, se condenados, podem cumprir pena de 2 a 4 anos de prisão por cada delito cometido.

A 2ª fase da operação Godela hoje deflagrada dá continuidade aos esforços da Polícia Federal no Rio Grande do Norte, iniciados no ano de 2019, para coibir a prática desse tipo de crime.

(*) Sobre o nome da operação, trata-se de um termo regional que significa “se aproveitar de situação para tirar vantagem à custa dos outros”.

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

Contato:(84)3204.5588
E-mail: [email protected]

(*) Sobre o nome da operação, trata-se de um termo regional que significa “se aproveitar de situação para tirar vantagem à custa dos outros”.

Comentários Facebook

Polícia Federal

PF, IBAMA E PM fiscalizam torneio de canto em Barra de São Miguel/AL

Publicado


Maceió/AL – A Polícia Federal realizou no domingo, 19/9, ação conjunta de fiscalização com o IBAMA e com o Batalhão de Polícia Ambiental da Polícia Militar de Alagoas, no Ginásio Poliesportivo Joé Matias, Praia das Conchas, Centro, município de Barra de São Miguel/AL, com o objetivo de verificar a regularidade dos animais quanto às normas dos órgãos competentes durante um Torneio de Canto de Pássaros.

Durante a fiscalização, foram constatadas diversas irregularidades, principalmente quanto a presença de aves sem a utilização de anilhas sob registro no IBAMA, como também a identificação de aves com anilhas falsificadas ou adulteradas.

Foram conduzidas 16 pessoas para a Superintendência Regional da Polícia Federal em Alagoas para que pudessem prestar esclarecimentos. Foram também encaminhadas 34 aves para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do IBAMA, as quais serão submetidas a exame pericial nas anilhas, com apuração dos resultados em Inquérito Policial que será instaurado na PF em Alagoas.

A falsificação de anilhas constitui uma espécie de crime de falsificação de documento, com pena de reclusão de 2 a 6 anos, previsto no art. 296, § 1º, Inciso I, do Código Penal.

Comunicação Social da Polícia Federal em Alagoas

[email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia Federal

Polícia Federal realiza extradição de uma pessoa condenada pelo crime de homicídio qualificado

Publicado


Belém/PA – Na última semana, a Polícia Federal realizou a extradição de uma pessoa condenada pelo crime de homicídio qualificado (art. 121, § 2° do Código Penal Brasileiro). A extradição foi solicitada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará – Comarca de Redenção/PA.

Vale ressaltar que a extradição é um ato de cooperação internacional que consiste na entrega de uma pessoa, investigada, processada ou condenada por um ou mais crimes, ao país que a reclama. A extradição pode ser solicitada tanto para fins de instrução de investigação ou processo penal a que responde a pessoa reclamada (extradição instrutória), quanto para cumprimento de pena já imposta (extradição executória) e exige decretação de prisão preventiva ou condenação definitiva de pena privativa de liberdade, devendo ser solicitada pelo Poder Judiciário.

Para fins de cumprimento dessa extradição, a representação da Interpol no Estado do Pará entrou em contato com a Vara Penal responsável, a fim de instruir o pedido de difusão internacional do mandado de prisão. Após os devidos procedimentos, a brasileira foi incluída na lista de Difusão Vermelha da Interpol, o que possibilitou que a polícia espanhola efetuasse a referida prisão em outubro de 2019, na cidade de Badajoz, na Espanha, local em que a brasileira estava residindo.

A extradição deveria ter ocorrido em janeiro de 2021, entretanto foi adiada em razão da pandemia e o consequente fechamento das fronteiras espanholas.

Os trabalhos foram coordenados pela Polícia Federal, com o apoio da Adidância na Espanha.

A Extradição ocorreu sem intercorrências.

Comunicação Social da Polícia Federal no Pará

Fone: 91 98586-5044
Email: [email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso