conecte-se conosco


Polícia Federal

Polícia Federal investiga grande traficante no Espírito Santo

Publicado

Polícia Federal


Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 22/6, a denominada Operação Sucata, com o objetivo de dar cumprimento a um mandado de prisão em desfavor de um traficante capixaba responsável pelo fornecimento de grandes quantidades de maconha para a região de Garanhuns e arredores. Além da prisão, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do investigado, localizada em um condomínio de alto padrão na orla de Vila Velha.

A investigação busca apurar a existência de um possível esquema refinado de tráfico de drogas, envolvendo a constituição de empresas em nome de laranjas no Estado do Mato Grosso do Sul, com o funcionamento regular do comércio de sucata para mascarar o transporte ilegal de maconha para o Espírito Santo.

Há ainda indícios de lavagem de dinheiro com a constituição de negócios regulares na Grande Vitória, onde os valores auferidos ilegalmente a partir da venda das drogas seriam então regularmente inseridos na economia, com aparência de legalidade.

A Polícia Federal busca, com este tipo de ação, investigar e prender traficantes que atuam no fornecimento de grandes quantidades de droga que abastecem as vendas de varejo que ocorrem em diversos pontos da cidade e causam imensos danos à sociedade.

O investigado poderá responder pela prática do delito de tráfico interestadual de drogas (art. 33 da Lei 11.343/2006) e lavagem de capitais (art. 1º da Lei 9.613/1998).

ENTENDA O CASO

A Operação Sucata teve início com apreensão realizada pela Polícia Rodoviária Federal no dia 3 de agosto do ano passado. Naquele momento, os policiais encontraram, sob toneladas de sucata, uma tonelada de maconha e prenderam o motorista que conduzia a carreta que transportava a droga.

Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo
Telefone: (27) 3041-8051/8029

Comentários Facebook

Polícia Federal

Operação Eslabon II combate organizações criminosas dedicadas ao contrabando e falsificação de vacinas, medicamentos e testes diagnósticos de covid-19

Publicado


Brasília/DF – Entre os meses de fevereiro e maio de 2021, foram realizadas investigações e ações de fiscalização simultâneas, além do compartilhamento de informações de inteligência em sede de cooperação policial internacional, entre nove forças policiais integrantes da Comunidade de Polícias da América – AMERIPOL, (ARGENTINA, BOLIVIA, BRASIL, COLÔMBIA, EQUADOR, EL SALVADOR, GUATEMALA, PANAMÁ e REPÚBLICA DOMINICANA ), em parceria com o Organismo Europeu de Luta Antifraude – OLAF e com o programa EL PAcCTO Support to Ameripol, resultando na Operação ESLABÓN II*.

A operação tem como objetivo o desmantelamento de diversas organizações criminosas dedicadas ao contrabando e/ou falsificação de vacinas, medicamentos, testes diagnósticos (PCR e de Antígenos), insumos e instrumentos médicos; associados à Pandemia do COVID-19, nos referidos países da América do Sul e Central.

Ao todo foram cumpridas 183 ordens de prisão, dentre prisões em flagrante e mandados de prisão preventiva ou temporária, cumpridos 49 mandados de busca e apreensão, sequestrados 11 veículos e apreendidos mais de 6 milhões de equipamentos médicos, mais de 2 milhões de medicamentos, quase 19 mil testes de diagnósticos para Covid-19 (PCR e Antígenos) e quase 5 mil instrumentos médicos.

Ao longo de todas as investigações, foram desarticuladas 40 organizações criminosas dedicadas à falsificação ou ao contrabando de vacinas, insumos ou equipamentos relacionados à Pandemia do COVID-19.

Essas organizações criminosas desenvolviam suas atividades criminosas e lucravam indevidamente com as necessidades dos cidadãos afetados pela pandemia nos mais variados países do continente americano.

Com esta ação, uma importante fonte de recursos ilegais foi afetada em mais de US$ 8 milhões, quantia estimada de todos os bens e produtos ilegais apreendidos.

No tocante ao Brasil, a Polícia Federal foi a responsável pela realização de 43 prisões em flagrante e pela condução de 103 inquéritos policiais, que tiveram como resultado a desarticulação de 34 organizações criminosas.

É importante destacar que com essas ações a AMERIPOL reafirma seu compromisso com a integração para a proteção e segurança de todos os cidadãos dos continentes americanos.

*Eslabon é um termo em espanhol para designar o ELO de uma corrente. O nome dado à operação traduz a necessidade da cooperação policial entre os mais diversos países para o sucesso no combate à criminalidade organizada transnacional.

Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal

Contato: (61) 2024-8142

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia Federal

PF apreende obra de arte suspeita de ter sido roubada de Museu da Líbia

Publicado


Porto Alegre/RS: A Polícia Federal cumpriu hoje (29/7) um mandado de busca e apreensão, com o objetivo de localizar e apreender uma obra de arte adquirida pela internet, suspeita de ter sido roubada de um museu na Líbia, no ano de 1990.

Trata-se de uma escultura de mármore de uma cabeça humana, representando Eusculápio (Head of Asclepius), deus grego da cura, do período de 400 a.C.

A solicitação de busca da obra de arte partiu da Interpol, por meio de comunicação da Interpol Tripoli, na Líbia, ao Escritório Central Nacional da Interpol no Brasil. Conforme a Secretaria Geral da Interpol, a escultura está inserida na base de dados da organização de obras furtadas ou roubadas.

A obra havia sido retida pela Receita Federal no Aeroporto Internacional de Viracopos, permanecendo naquela unidade alfandegária de fevereiro a setembro de 2020, mas foi liberada ao adquirente da peça, mediante a apresentação dos documentos de importação, não sendo possível verificar a ilicitude do objeto.

A obra de arte será periciada e caso confirmada sua autenticidade e procedência, será repatriada à Líbia. O adquirente será ouvido para esclarecer se sabia da origem da escultura.

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Sul

[email protected] | www.pf.gov.br

Fone: (51) 3235-9005/99717-3040

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso