conecte-se conosco


Saúde

Passa de 300 o número de UBSs sem vacinas contra a Covid-19 em São Paulo

Publicado

Saúde


source
Após receber as denúncias, as reclamações são encaminhadas para uma unidade do Ministério Público para que as providências legais sejam tomadas
Rovena Rosa/Agência Brasil

Após receber as denúncias, as reclamações são encaminhadas para uma unidade do Ministério Público para que as providências legais sejam tomadas


Mais de 300 Unidades Básicas de Saúde (UBS) não tinham mais vacinas contra a Covid-19 na cidade de São Paulo nesta segunda-feira (21) até às 17 horas. Segundo a plataforma “De Olho na Fila” , a falta de doses aumentou ao longo do dia. Às 13h20, eram 155 os locais sem funcionar.

A zona mais afetada foi a Norte, onde o que equivalente a 91% do total de postos estão inoperantes. A segunda região mais afetada é a Sul, com 81% dos locais de vacinação fechados. Já a Leste tem 83 unidades fechadas, o que equivale a 44% do total.

As regiões Oeste e Centro não foram tão afetadas e quase todos os postos por lá estão operando, de acordo com a plataforma da prefeitura. Há, no entanto, um posto fechado na Zona Oeste e dois locais sem vacina na região central.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, este é um problema pontual causado pela alta demanda após a abertura de novos grupos de vacinação. “Para atender a demanda, estão sendo feitos remanejamento/abastecimento de doses entre as unidades vacinadoras do município, para garantir a vacinação nos territórios”, afirmou em nota.

Na última sexta-feira (18), a capital paulista passou a permitir que pessoas com 18 anos ou mais pudessem se inscrever na fila de espera para doses remanescentes — conhecida como “xepa da vacina”. A medida gerou uma corrida para o cadastro e longas filas.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Saúde

Anvisa alerta sobre casos raros de Guillain-Barré após vacinação

Publicado


source
Vacinas contra a Covid-19
Reprodução/FreePic

Vacinas contra a Covid-19


Casos raros de síndrome de Guillain-Barré (SGB) após a vacinação  contra Covid-19 têm sido relatados em diversos países, inclusive no Brasil, alertou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em um comunicado divulgado nessa quarta-feira (28), a Anvisa informa que, até o momento, recebeu 27 notificações de casos suspeitos de SGB após a imunização com a vacina da AstraZeneca, além de três casos com a vacina da Janssen e outros quatro com a CoronaVac, totalizando 34 registros.

A Anvisa explica que a SGB é um distúrbio neurológico autoimune raro, no qual o sistema imunológico danifica as células nervosas. Os episódios pós-vacinação (eventos adversos) também são raros, mas já conhecidos e relacionados a outras vacinas, como a da influenza (gripe).

De acordo com a agência, a maioria das pessoas se recupera totalmente do distúrbio. “O principal risco provocado pela síndrome é quando ocorre o acometimento dos músculos respiratórios. Nesse último caso, a SGB pode levar à morte, caso não sejam adotadas as medidas adequadas”, alertou a agência.

“É importante destacar que a Anvisa mantém a recomendação pela continuidade da vacinação com todas as vacinas contra Covid-19 aprovadas pela Agência, dentro das indicações descritas em bula, uma vez que, até o momento, os benefícios das vacinas superam os riscos”, ressaltou a agência.

Você viu?

Diante dos relatos de eventos adversos raros pós-vacinação, a agência solicitou que as empresas responsáveis pela regularização das vacinas AstraZeneca, Janssen e CoronaVac incluam nas bulas dos respectivos produtos informações sobre o possível risco de SGB.

Sinais e sintomasSegundo a Anvisa, a maior parte dos pacientes percebe inicialmente a SGB pela sensação de dormência ou queimação nas extremidades dos membros inferiores (pés e pernas) e, em seguida, superiores (mãos e braços).

Outra característica, acrescenta a agência, percebida em pelo menos 50% dos casos, é a presença de dor neuropática (provocada por lesão no sistema nervoso) lombar ou nas pernas. Fraqueza progressiva é o sinal mais perceptível, ocorrendo geralmente nesta ordem: membros inferiores, braços, tronco, cabeça e pescoço.

A Anvisa destaca que pessoas vacinadas devem procurar atendimento médico imediato se desenvolverem sinais e sintomas sugestivos de SGB, que incluem, ainda, visão dupla ou dificuldade em mover os olhos, dificuldade de engolir, falar ou mastigar. “Também devem ficar atentas a problemas de coordenação e instabilidade, dificuldade em caminhar, sensações de formigamento nas mãos e pés, fraqueza nos membros, tórax ou rosto, além de problemas com o controle da bexiga e função intestinal”, acrescentou a agência.

Notificação

A ocorrência de SGB pós-vacinação contra Covid-19 deverá ser relatada à Anvisa. “É imprescindível o cuidado na identificação do tipo de vacina suspeita de provocar o evento adverso, como número de lote e fabricante”, ressaltou a agência.Profissionais de saúde e cidadãos podem notificar eventos adversos pelo e-SUS Notifica e pelo formulário web do VigiMed.

A Anvisa lembra que se o caso for de queixa técnica ou de desvios de qualidade observados em vacinas, seringas, agulhas e outros produtos para saúde utilizados no processo de vacinação, as notificações devem ser feitas pelo Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Em meio às Olimpíadas, Japão supera 10 mil casos diários de Covid-19 pela 1ª vez

Publicado


source
Em meio às Olimpíadas, Japão supera 10 mil casos diários de Covid-19 pela 1ª vez
Unsplash

Em meio às Olimpíadas, Japão supera 10 mil casos diários de Covid-19 pela 1ª vez

O Japão superou pela primeira vez desde o início da pandemia a marca de 10 mil casos do novo coronavírus em um único dia.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (29) pela emissora Nippon Television, após a notificação de mais 3.865 contágios diários apenas em Tóquio, número recorde para a capital japonesa.

O repique da pandemia no Japão coincide com a realização dos Jogos Olímpicos, que terminam em 8 de agosto e acontecem sem público para evitar a propagação do novo coronavírus.

O país, no entanto, vem mantendo uma média de menos de 100 mortes por dia desde o início de junho. Por outro lado, o Japão tem apenas 38% de sua população ao menos parcialmente vacinada contra a Covid, segundo o portal Our World in Data, sendo que 27% das pessoas concluíram o ciclo de imunização.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso