conecte-se conosco


Mulher

Obesidade infantil é uma doença e deve ser tratada!

Publicado

Mulher


source

Alto Astral

Obesidade infantil é uma doença e deve ser tratada!
Reprodução: Alto Astral

Obesidade infantil é uma doença e deve ser tratada!

Muito tem se ouvido falar sobre obesidade , já que ela é considerada uma comorbidade e seus portadores são grupo de risco para a Covid-19 . No entanto, essa condição vem apresentando números exacerbados há muitos anos e não acomete apenas adultos.

Conforme mostram pesquisas recentes, as crianças têm sofrido cada vez mais com a doença: dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, de 2019, apontam que uma em cada três crianças (de 5 a 9 anos) está acima do peso, sendo 5% delas diagnosticadas com obesidade infantil grave.

Embora o resultado expressivo seja de dois anos atrás, a endocrinologista pediátrica Maria Luiza Azevedo, do Hospital Anchieta de Brasília, acredita na piora do cenário durante a pandemia e isolamento social. “As crianças se encontram com tempo maior de tela do que o indicado de duas horas por dia, mais sedentárias e estressadas, com sono irregular e alimentação pior em qualidade e quantidade”, afirma.

A médica alerta que esse ganho excessivo de peso não é um fator de preocupação apenas para a Covid-19, mas também por predispor outras patologias, como hipertensão arterial e diabetes tipo 2. Por isso, ela ressalta a importância de cuidar do quadro: “é muito importante que os pais e cuidadores tentem melhorar essa rotina como um todo e continuar o acompanhamento com o pediatra e equipe multidisciplinar, de modo a prevenir a obesidade infantil”.

Veja Também  Horóscopo do dia: previsões para 23 de junho de 2021

Prevenção e tratamento

Olhar para a alimentação dos pequenos é a chave desse tratamento. Além de escolher alimentos saudáveis e ricos em nutrientes, optando sempre por verduras, frutas e legumes , e reduzindo o consumo de industrializados, vale ainda mudar os hábitos alimentares .

Ficar longe de celulares, tablets e televisões durante a refeição, aumentar o consumo de água e comer menos e melhor por mais vezes ao dia são algumas dicas nutricionais para ajudar nessa jornada de mudança do estilo de vida da criança.

Você viu?

Para a nutricionista Adriana Stavro, encorajar dietas saudáveis ​​e explorar maneiras de aumentar a atividade física (considerando as restrições decorrentes da pandemia), são estratégias simultâneas para mitigar o ganho de peso.

Assim, é fundamental entender que essa prática se refere a qualquer movimento corporal que produza gasto energético acima dos níveis de repouso e não apenas a exercícios e esportes, segundo a coordenadora plena da Bodytech Asa Norte, Daniela Lopes.

“É importante que a criança pratique atividades desportivas para melhorar a saúde e a socialização, porém, deve-se tomar cuidado com as consequências de uma atividade física ou treinamento precoce e sem um acompanhamento adequado”, alerta a profissional.

Veja Também  DIU: entenda como funciona o método anticoncepcional

Daniela explica que os exercícios aeróbicos são essenciais no auxílio do processo de perda de peso corporal, como, por exemplo, caminhada rápida, corrida, pular corda, ciclismo e natação. Ela garante ainda que os benefícios vão além do emagrecimento, trazendo contribuições para as esferas emocional e social.

Portanto, a promover movimentação e reeducação alimentar, criando condições objetivas para sua realização, são os principais componentes de uma vida mais saudável entre crianças e adolescentes. “É de extrema importância cultivar desde a infância a necessidade da prática regular desses hábitos, destacando seus benefícios ao longo da vida”, conclui a coordenadora.

Consultoria: Maria Luiza Azevedo, endocrinologista pediátrica do Hospital Anchieta de Brasília; Adriana Stavro, nutricionista; e Daniela Lopes, coordenadora plena da Bodytech Asa Norte.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook

Mulher

Vontade de cortar a franja sozinha em casa? Confira este passo a passo

Publicado


source
Franja
Reprodução/Instagram/Bruna Marquesine

Franja


Atire a primeira pedra quem nunca pensou (ou tentou) cortar a franja sozinha em casa. Ao longo da pandemia, muita gente se aventurou com as próprias madeixas : raspando, pintando, cortando só as pontinhas. Mas  a franja é campeã absoluta de buscas no Google quando o assunto é mudança de cabelo em casa.

Para ajudar quem não aguenta mais ficar sem cortar o cabelo, mas ainda não se sente segura a ir até o salão (o que é prudente, já que a terceira onda está aí), a cabeleireira e Michele Marques fez um tutorial para  cortar a franja em casa sem arruinar o cabelo. .

Veja Também  Vale a pena remover uma tatuagem?

“É importante observar o caimento natural do seu cabelo e possíveis redemoinhos na região da franja”, explica a profissional, professora da área da beleza há mais de 20 anos. No caso da boneca-modelo, ela usa o cabelo para o lado e vai fazer uma franja universal com caimento natural, que vai para qualquer lado.


Você viu?

Dicas tesoura de ouro:

  • Lembre de não puxar o cabelo com muita força para ele não subir muito quando soltar.
  • Se tiver redemoinho, deixe soltinho na raiz
  • Ao decidir o comprimento, corte com centímetros extras. “Uma margem de erro não faz mal à ninguém”.

Franja curta

Se a sua intenção for uma franja mais curta, você pode seguir este passo a passo caso queira um formato arredondado. Para uma franja mais retinha, você vai segir os mesmos passos até à separação da parte da franja, mas não vai torcer o cabelo para cortar, buscando deixá-lo o mais reto possível, ensina Michele.

Veja Também  DIU: entenda como funciona o método anticoncepcional

“Tá, mas e a tesoura?”

Nós sabemos que provavelmente você vai querer usar a que tem em casa mesmo. Mas caso você queira investir um pouquinho (cerca de R$ 50), a recomendação da Michele para cortes de cabelo é uma com fio navalha de pelo menos seis polegadas, pois ela não vai mastigar as pontas do seu cabelo.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Amor na vida real: “Conheci o meu marido na clínica de hemodiálise”

Publicado


source
Rejane e Cidnei Oliveira
Arquivo pessoal

Rejane e Cidnei Oliveira

Sabe aquelas histórias de novela, onde um casal se conhece em um contexto inesperado?  Foi o que aconteceu com a trabalhadora doméstica Rejane Oliveira, 42, e o auxiliar de limpeza Cidnei Oliveira, 45. Para eles, o amor surgiu numa situação e local totalmente inesperados. Os dois são pacientes renais e frequentavam o mesmo centro clínico de diálise quando eram mais jovens.

“Ele ficava sozinho, eu não via ninguém com ele. Aí a enfermeira falava: ‘Poxa, tem um rapaz lá na emergência, fica sozinho, coitado’ e eu falei para ela: ‘Posso ficar conversando com ele?’ e ela disse que sim”, conta Rejane. 

De conversa em conversa, o interesse foi crescendo, até que segundo Rejane, “explodiu”. Ela conta que as amigas incentivaram o relacionamento, mas que ela tinha receio.  “Eu falei: ‘Eu não quero um renal igual a mim’. As pessoas ficaram falando e eu falava que não, não tinha como rolar e que eles eram malucos”, conta. 

Até que um dia, mais uma cena clássica de novela aconteceu. “Teve um dia que eu dialisei com ele e eu estava de vestido, mas estava frio. Ele me perguntou se eu estava com frio e me emprestou o casaco dele”, diz. Ela disse que depois disso, ele saiu do hospital e a amizade permaneceu. 

Você viu?

“A gente foi pegando amizade e ele me perguntou se eu conhecia Angra. Eu falei que não e ele perguntou se eu queria conhecer. Eu disse que sim.” Rejane conta que o pai de Cidnei tinha uma casa no município e que eles viajaram juntos. Depois disso, o amor foi crescendo, até que os dois oficializaram o namoro e logo em seguida foram morar juntos.  

Veja Também  Helô Pinheiro veste o mesmo vestido de noiva 55 anos após casamento

“Nós morávamos sozinhos. Eu como era serelepe, perguntei se ele gostaria de morar comigo. Ele aceitou no mesmo dia. Fomos buscar as coisas dele e estamos juntos até hoje. A gente ficou junto com três dias que tinha dado um beijinho, aí eu pedi ele em casamento”, conta. 

Duas décadas juntos na diálise

Os dois estão juntos há vinte anos e desde que se encontraram na clínica, não deixaram de ir ao tratamento juntos. “A gente sempre está junto. Nunca fui em um dia e ele em outro. Teve uma vez que eu fui dialisar sem ele e foi muito ruim, eu fiquei muito triste, senti a falta dele.” 

A história atrai os ouvidos dos curiosos e apaixonados. “As pessoas acham bonito, interessante, falam: ‘Que coisa linda o jeito que vocês se conheceram’, é assim”, conta. Ela diz que encontrar o amor dessa maneira foi muito emocionante. “Eu gostei, fiquei feliz. Graças a Deus sou muito feliz até hoje.” 

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana