conecte-se conosco


SÃO BENEDITO

Hospital São Benedito fecha o mês de maio com 68 altas de pacientes que venceram a covid-19

Publicado

Destaque

 

O mês de maio foi marcado por muitas vitórias dos profissionais da saúde e de 68 pacientes do Hospital São Benedito na batalha contra a covid-19. Ao longo desse período, foram registradas 68 altas médicas, ou seja, 68 novos recomeços de vida.  Dois desses recomeços aconteceram nas vidas do casal Fausto Carvalho de Oliveira, 37, e Tatiana Tibaldi, 35. Ambos contraíram a covid-19 ao mesmo tempo e ficaram 6 dias internados. A filha de um ano de idade, Raquel, também foi acometida, mas de forma leve.

Fausto, que trabalha como entregador, afirma que descobriu que estava doente quando acordou numa manhã e, ao colocar os pés no chão, não conseguia pisar de tanta fraqueza, ele havia perdido massa muscular de uma forma abrupta. Ao procurar inicialmente a Policlínica do Coxipó, ele não apresentava dificuldade para respirar, no entanto, sua saturação estava baixa e o pulmão já estava com quase 40% de comprometimento. A esposa sofreu com quase 50% de infecção pulmonar. “O avanço do vírus no meu coro foi muito rápido! Eu não sei se sentia raiva, ódio, só conseguia pensar na minha filha. Liguei para o meu pai e pedi para ele ficar com ela porque não sabia se a viria novamente. Essa doença, se você der bobeira, ela te mata. Eu me senti 50% morto”, relata Fausto.

Veja Também  Batida deixa carro esmagado e três pessoas feridas na 163 em MT

Cristão, o entregador acredita que a doença foi uma forma que Deus encontrou de chamar sua atenção para viver uma vida com novos e melhores hábitos. Acredita ainda que os profissionais da saúde, de certa forma, foram usados por Deus para lhe ajudar. “Quando a gente deu entrada no hospital, tive certeza que muitas coisas teriam que mudar na minha vida. Deus preparou aquele lugar, aquela situação para a gente mudar. A todo momento, ele mostrava que estava comigo. A gente tem mais que agradecer do que se vitimizar. No Hospital São Benedito eles conseguem captar o lado humano. Eles não te tratam como um pedaço de carne. Eles te olham nos olhos, te chamam pelo nome, são sempre positivos! Para eles que estão acostumados a agir dessa forma no trabalho, pode virar algo automático, mas para quem está numa situação de fragilidade, é muita coisa”, destaca o paciente.

Tal avaliação vai de encontro ao que o diretor clínico do Hospital São Benedito, Giovane Fortuna, expõe. “A melhora do paciente está diretamente ligada à observação e ao cuidado de cada profissional responsável nas UTIs e enfermarias. Todos são treinados e instruídos a sempre tratar e respeitar os pacientes como gostariam de ser tratados, caso estivessem na mesma situação. Ter essa consciência é muito importante para um bom padrão de atendimento”, explica.

Veja Também  Polícia inicia perícia em carro incendiado que pode ser de Lázaro

O profissional revela que, ao longo desses meses de pandemia de covid-19, as equipes foram se aprofundando cada vez mais no tratamento dos pacientes graves. “Foram desenvolvidos novos protocolos de assistência multiprofissional, bem como otimizações na área de ventilação mecânica, o que contribuiu positivamente para obtermos os resultados atuais. Associado a isso, a vacinação tem contribuído muito para diminuição das internações e, principalmente, uma redução da gravidade dos casos que necessitam internação”.

Questionado sobre o sentimento ao ver cada paciente sendo liberado com alta de volta para sua casa e família, o médico diz: “Certamente toda a equipe fica muito feliz com a quantidade de altas de pacientes nos últimos dias. É gratificante ver pessoas retornando aos seus lares e saber que o nosso trabalho foi bem realizado e obteve o resultado esperado”.

Desde o mês de março, o Hospital São Benedito transformou-se em unidade para atendimento exclusivo para tratamento de pacientes com covid-19 e conta com 60 leitos de UTI e 40 de enfermaria.

Comentários Facebook

Destaque

Coronavírus: live de Wesley Safadão será investigada por aglomeração

Publicado

 

Coronavírus: live de Wesley Safadão será investigada por aglomeração
The Music Journal Brazil

Coronavírus: live de Wesley Safadão será investigada por aglomeração

A live temática de festa junina do cantor Wesley Safadão será investigada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). A instituição instaurou uma notícia para a averiguação de aglomeração durante o evento, ocorrido no último sábado (19).

O evento contou com as participações de Alceu Valença , da dupla Israel e Rodolffo e da vencedora do BBB21, Juliette Freire.

A transmissão, que bateu o recorde da live de Gusttavo Lima , recebeu muitas críticas dos internautas que reclamaram da aglomeração.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Veja Também  Governador Mauro Mendes abandona MT 241, que vira só buracos
Continue lendo

Destaque

Várzea Grande (MT) abre pré-cadastro para vacinar lactantes contra Covid-19

Publicado

As mães que amamentam crianças de até um ano começarão a ser imunizadas contra a Covid-19 em Várzea Grande. Na noite desta terça-feira (22), foi aberto o pré-cadastro para as lactantes.

A inscrição deve ser feita no site oficial da prefeitura de Várzea Grande pelo endereço www.varzeagrande.mt.gov.br.

A decisão possui o respaldo da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) que aprovou, durante reunião realizada no dia 11, a vacinação contra a Covid-19 de lactantes em Mato Grosso.

Dessa maneira, as próximas remessas encaminhadas pelo Ministério da Saúde já terão quantidades de doses pactuadas para este público.

O secretário municipal de Saúde, Gonçalo de Barros, destacou que a imunização vai alcançar as mães de bebês com até um ano, portanto, no dia da vacinação, ela deve apresentar, além do documento pessoal com foto e carteira do SUS, a certidão de nascimento da criança.

Para a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é recomendada a vacinação contra a covid-19 para lactantes.

A orientação segue o que preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS), que se posiciona ao afirmar que, se a lactante é pertencente a um grupo no qual a vacinação é recomendada, ela deve ser oferecida. Além disso, a SBP não aconselha a interrupção da amamentação após a vacinação.

Veja Também  Curso promovido pelo Estado mobiliza comunidade para combater incêndios florestais

SBP destaca o benefício da vacinação da lactante, que é propiciar a proteção contra a Covid-19, diminuindo, portanto, o risco teórico de transmitir a infecção aos filhos destas mães vacinadas. Além disso, o leite materno contém anticorpos (IgA secretora contra o SARS-CoV-2) que poderiam potencialmente proteger o bebê amamentado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas