conecte-se conosco


Nacional

RJ: condutora que atropelou quatro pessoas responderá processo em liberdade

Publicado

Nacional


source
Motorista joga caro em cima de calçada e cerca de quatro pessoas ficam feridas no RJ
Arquivo pessoal/Agência O Dia

Motorista joga caro em cima de calçada e cerca de quatro pessoas ficam feridas no RJ

No Rio de Janeiro , no último domingo (16), um motorista atropelou cerca de quatro pessoas em um restaurante , no bairro de Copacabana, na Zona Sul da cidade. A suspeita responderá pelos crimes de homicídio culposo e lesão corporal culposa no trânsito. As informações foram divulgadas pelo jornal O Dia. 

Conforme conta Bianca Xavier lima, a delegada titular do caso, a condutora do veículo foi encaminhada para realizar um exame de alcoolemia, porém, o resultado deu negativo para embriaguez. Acidente resultou na morte de Manuel Roque, de 79 anos e de outras três pessoas que foram atingidas pelo veículo.

Ainda de acordo com as informações das autoridades, a mulher não teve sua identidade revelada e os investigadores aguardam pelo resultado da perícia, laudos do exame de corpo delito, da necropsia e analisa imagens das câmeras de segurança local.

Abalada pelos acontecimentos, a motorista do carro ficou no local do acidente até que o trabalho da perícia fosse terminado, depois ela saiu em uma ambulância. Um casal de idosos que caminhava pela calçada no momento do acidente, foi atropelado pela motorista. Roque foi encaminhado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, porém,  já chegou sem vida ao local. Sua esposa, Maria Antonia E. De Carvalho, de 73 anos, foi levada para um hospital onde foi constatada uma lesão em sua perna e ela está sendo monitorada pela equipe cirúrgica. 

Veja Também  Homem é preso ao se passar por policial para auxiliar em captura de Lázaro

Você viu?

Outros dois clientes do restaurante foram atingidos além do casal de idosos, mas ficaram com ferimentos sem gravidade. Uma das vítimas, reconhecida como Iracir D. Rosa, de 69 anos, recebeu atendimento ainda no local do ocorrido e foi liberada em seguida. E quarta vítima não necessitou de atendimento médico. 

Leri Lemos, dono do restaurante Deck há mais de 20 anos, declarou nunca ter presenciado situação parecida. “Nunca podia imaginar de um carro entrar aqui dentro. Quando cheguei o senhor estava caído e a senhora, com as pernas quebradas”, ressalta.

O prejuízo do estabelecimento foi calculado em cerca de R$ 10 mil, que será pago pelo seguro da motorista. Mas para Teri, o pior foi o desespero na hora do acidente.

” Muito ruim ver duas pessoas caídas daquele jeito, não poder mexer. Os bombeiros demoraram 20 minutos para chegarem. Pratos no chão, gritaria, todos saíram correndo”, compartilhou.

Segundo a Polícia Militar, agentes do 19º BPM (Copacabana) receberam a denúncia de uma acidente de trânsito na Avenida Atlântica. Ao chegar no local, as autoridades descobriram que a condutora acabou perdendo o controle do automóvel e subiu na calçada. Com isso, ela acabou invadindo o restaurante e atropelando quatro pessoas.

Comentários Facebook

Nacional

Navio se choca com estação de balsas no litoral de São Paulo; veja os vídeos

Publicado


source
Navio se choca com estação de balsas no litoral de São Paulo
Reprodução

Navio se choca com estação de balsas no litoral de São Paulo

Um navio de carga supostamente desgovernado se chocou com um píer onde ficam ancoradas as balsas que fazem a  travessia  entre Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo, na tarde deste domingo.

De acordo com o Departamento Hidroviário, travessia ficou paralisada por cerca de 1h20 devido ao acidente. Ninguém se feriu.

A Capitânia dos Portos, em Santos, informou que uma equipe de peritos está no local para avaliar os danos feitos na área de embarque de bicicletas, que dá acesso às balsas, e também no navio, que ficou avariado.

Segundo a capitânia, o navio da Hamurg Süd levava contêineres, mas não há detalhes sobre o conteúdo embarcado.

Você viu?

Segundo o portal G1, o acidente ocorreu por volta de 14h, no terminal de travessia de balsas de bicicletas. Um navio de carga colidiu e destruiu o píer de atracação.

Veja Também  Bolsonaro diz que governador do RS fez má gestão de recursos da saúde

Ainda não há informações do que provocou o acidente. As causas serão averiguadas pela Capitania dos Portos e Marinha.

Equipes do Departamento Hidroviário trabalharam para retomar o serviço, que voltou a funcionar por volta das 15h.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o momento em que o barco atinge o píer. Assustadas, algumas pessoas correm.

O navio Cap San Antonio, de bandeira dinamarquesa, havia saído de um dos terminais de Santos e seguiria para o Porto de Paranaguá. Com 8,9 metros de calado, a embarcação foi construída em 2014. Tem 333 metros de comprimento e 48,3 de largura. Sua capacidade é de 10.500 TEU (Twenty feet Equivalent Unit/ ou unidade equivalente a um contêiner de 20 pés).

Veja Também  Homem é preso ao se passar por policial para auxiliar em captura de Lázaro

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

PF resgata empregada doméstica em condições análogas à escravidão

Publicado


source
PF resgata empregada doméstica em condições análogas à escravidão
O Dia

PF resgata empregada doméstica em condições análogas à escravidão

Uma mulher foi resgatada de condições análogas à escravidão em São José do Rio Preto nesta sexta-feira, dia 18, em operação conjunta do Ministério Público do Trabalho (MPT) e Polícia Federal (PF). A empregada doméstica trabalhava há pelo menos duas décadas sem registro e remuneração em um condomínio fechado. Durante a operação, um dos patrões foi preso.

De acordo com a PF, a mulher começou a trabalhar para a família ainda na adolescência, não recebia salário regular e tinha uma jornada de trabalho de segunda à segunda. Ela ainda era levada em viagens com os patrões, ocasiões em que era obrigada a trabalhar sem nenhuma contrapartida.

A empregada doméstica não tinha comunicação com o mundo externo, segundo a polícia. O caso foi descoberto em abril deste ano, em denúncia à Polícia Militar. Depois da notificação, o casal e a vítima foram até a delegacia. Na ocasião, a empregada contou que não tinha registro, acesso aos seus documentos pessoais ou convívio social há pelo menos 20 anos.

Em sua defesa, os padrões afirmaram à polícia que faziam os pagamentos pelo trabalho direito para a mãe da funcionária, mesmo que não houvesse formalização. Após a ação da PM, eles chegaram a fazer o registro formal da funcionária enquanto o caso era investigado pelo MPT.

Veja Também  500 mil mortes e protestos: a tragédia brasileira na imprensa internacional

Na sexta-feira, durante a operação de resgate, a vítima contou aos policiais que, além das restrições, passou a ser alvo de ameaças constantes. A funcionária vai receber as verbas indenizatórias de demissão, incluindo 13º e férias, além de FGTS e multa e seguro-desemprego. Ela está sendo atendida pela assistência social da prefeitura de São José dos Campos.

O homem preso responderá pelo crime de redução de trabalhador à condição análoga à escravidão, tipificado pelo artigo 149 do Código Penal. O caso será remetido ao Ministério Público Federal.

Outros casos

Em abril, uma idosa de 63 anos que viveu mais de quatro décadas trabalhando em regime análogo à escravidão foi resgatada no Rio de Janeiro. Segundo informações da secretaria de Assistência Social da prefeitura do Rio, o reencontro com a família aconteceu após dois meses de acolhimento da vítima em um abrigo da prefeitura. A mulher começava a trabalhar às 7 horas todos os dias, cuidava de seis cachorros, limpava o quintal e ia à rua fazer compras. Nas últimas quatro décadas, três gerações de uma mesma família passaram pelos cuidados dela. Sem ganhar nada por isso.

Veja Também  Bolsonaro diz que governador do RS fez má gestão de recursos da saúde

Em junho passado, uma empregada doméstica de 61 anos foi resgatada pelo Ministério Público do Trabalho e pela Polícia Civil de SP vivendo em um depósito em condições degradantes e análogas à escravidão em Alto de Pinheiros, bairro nobre na Zona Oeste de São Paulo.

Você viu?

A dona da casa, Mariah Corazza Üstündag, era gerente global sênior de uma grande marca de cosméticos. Ela foi presa em flagrante e liberada após pagar R$ 2,1 mil de fiança. Segundo informações do Ministério Público do Trabalho (MPT), o marido, Dora Üstündag, 36 anos, só não foi preso porque não estava no local do flagrante.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana