conecte-se conosco


Mato Grosso

Reuniões regionais para debater o Plano de Resíduos Sólidos começam dia 31 de maio

Publicado

Mato Grosso


Os encontros regionais para apresentar e debater o Plano Estadual de Resíduos Sólidos de Mato Grosso (PERS) começarão a ser realizados a partir do dia 31 de maio e seguem até dia 9 de junho. A expectativa é alcançar os 141 municípios mato-grossenses, apresentando os dados já coletados em todo o processo de execução do plano.

As reuniões serão coordenadas pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), responsável pela elaboração do PERS, com a participação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT)  e abertas à população em geral.

Os encontros virtuais acontecerão em 5 regiões do estado. As discussões em Cuiabá envolverão 30 municípios, em Sinop a abrangência é de 42 cidades, Barra do Garças de 30, Rondonópolis de 18 e Cáceres 21 municípios.

As reuniões poderão ser acompanhadas pelo link  e não precisa de inscrição antecipada.

CONFIRA AS DATAS EM CADA REGIÃO

Cuiabá – 31 de maio

Sinop – 1º de junho

Barra do Garças – 2 de junho

Rondonópolis – 8 de junho

Cáceres- 9 de junho

PERS

O PERS vem sendo construído desde agosto de 2020 com a entrega pela UFMT do Projeto de Mobilização Social à Sema. O Plano deve abranger todo o território do Estado, com horizonte de atuação de 20 anos e revisão a cada 4 anos, de forma a atender ao estabelecido na Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei Federal nº 12.305/2010.

Veja Também  Governo de Mato Grosso não tem poder para alterar regra do Confaz sobre ICMS da energia solar

A secretaria de Meio Ambiente Mauren Lazzaretti avalia o plano como essencial para o estado. “Nos dedicamos arduamente a destravar o processo de contratação deste Plano, que é importante para organizar e dar as diretrizes gerais de gestão para os municípios e para o próprio Estado no que tange ao manejo adequado dos resíduos”.

Além de questões sobre Aspectos Sociais – Perfil de Associações e Cooperativas de Catadores, as discussões foram estendidas aos seguintes eixos: Resíduos Sólidos Urbanos, Resíduos Sólidos na Indústria, Resíduos Sólidos na Saúde, Resíduos Sólidos da Mineração, Resíduos Sólidos de Logística, Resíduos Sólidos no Transporte, Resíduos Sólidos na Construção, Resíduos Sólidos no Saneamento, Resíduos Agrossilvipastoris – geral e particularizado em Pecuária, Indústria, Agroindústria Associada ao Estado e Resíduos Sólidos do Setor Madeireiro.

De acordo com a coordenadora técnica do projeto, professora Eliana Rondon, da UFMT, o plano é um processo que visa impulsionar a gradual mudança de atitudes, hábitos e consumo na sociedade. “Ele deve apontar caminhos, orientar investimentos, subsidiar e definir diretrizes para os planos de regiões metropolitanas, aglomerações urbanas e microrregionais”.

Veja Também  Dois suspeitos de roubo a cooperativas de crédito são presos após tentarem comprar carro à vista

Além disso, será uma ferramenta para o acesso a incentivos ou financiamentos de entidades federais de crédito ou fomento, como explica o professor Paulo Modesto Filho, coordenador-geral do PERS/UFMT. “O modelo de planejamento é participativo, estimula os segmentos sociais a contribuírem com discussões, proposições, divulgação e validações”.

Em razão da pandemia da covid-19, as reuniões se deram a distância, por meio de 13 Webinars – encontros setoriais com uso da Tecnologia da Informação. Uma série de reuniões temáticas com participação de órgãos públicos e setores sociais e econômicos envolvidos diretamente com o PERS foram realizadas em fevereiro e março deste ano.

Para saber mais informações sobre o PERS acesse o site

*Com informações Assessoria PERS/UFMT

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Hospitais regionais serão construídos em terrenos doados por prefeituras; SES trabalha para lançar editais das obras

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) trabalha para lançar os editais de licitação para construção dos quatro novos hospitais regionais, nas cidades de Alta Floresta, Juína, Confresa e Tangará da Serra. As unidades de saúde serão construídas em terrenos doados pelas prefeituras. 

A Superintendência de Obras da SES-MT explica que para a construção das unidades é feita uma parceria com os municípios, que ficam responsáveis por adquirir o terreno e doa-lo para a gestão estadual, que fará a obra. Além disso, antes da construção, as prefeituras devem fazer a sondagem e a topografia da área.

As cidades onde os hospitais serão construídos foram anunciados pelo governador Mauro Mendes e seguirão um padrão de qualidade e modernização das unidades de saúde.

Os hospitais contarão com 141 leitos de enfermaria e 40 UTIs, entre adultas, pediátricas, neonatal e unidade semi-intensiva neonatal, para atendimento na média e alta complexidade.

As unidades de Saúde também terão 10 consultórios médicos, 2 consultórios para atendimento a gestantes, 6 salas de centro cirúrgico, além de espaços para banco de sangue, banco de leite materno e realização de exames, como tomografia e colonoscopia.

Veja Também  Governo de Mato Grosso não tem poder para alterar regra do Confaz sobre ICMS da energia solar

A previsão é que após a licitação e a definição da empresa que irá tocar cada obra, os hospitais sejam entregues em até 24 meses.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Estado propõe manter adicional aos profissionais da linha de frente por mais 6 meses

Publicado


O Governo de Mato Grosso propôs manter o pagamento da verba adicional aos profissionais da Saúde Estadual que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 por mais seis meses. A continuidade da verba foi aprovada em primeira votação nesta quarta-feira (23.06).

Iniciado com a Lei nº 667 e prorrogado pelas Leis nº 678 e nº 684, o benefício vem sendo mantido desde julho de 2020. Após a segunda votação e aprovação pela Casa de Leis, a verba indenizatória entrará em vigor e passará a valer a partir do mês de julho de 2021.

Até o momento, já foram beneficiados cerca de 4,2 mil servidores da Rede Estadual de Saúde. 

O benefício é destinado especificamente aos servidores que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 em unidades hospitalares, ambulatoriais e finalísticas da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Contudo, a verba adicional não é fixa e está relacionada à situação de cada profissional junto às unidades. 

O benefício também não é válido para os profissionais contratados e remunerados exclusivamente pelo sistema de plantão, pois o valor a ser recebido é exatamente aquele previsto em edital do Processo Seletivo correspondente.

Veja Também  "O princípio para um casamento duradouro é o respeito", afirma inscrito para o Casamento Abençoado
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas