conecte-se conosco


CORONAVÍRUS

Brasil tem mais de 70 mil casos de Covid-19 pelo 3º dia e chega a 430 mil óbitos

Publicado

Sem categoria

 

O país também teve 2.383 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou 430.417 óbitos acumulados desde o início da pandemia
Foto: Divulgação

O país também teve 2.383 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou 430.417 óbitos acumulados desde o início da pandemia

O país registrou mais de 70 mil casos de Covid-19  em apenas 24 horas pelo terceiro dia consecutivo. Dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) mostram que, nesta quinta-feira (13), foram 74.592 infecções em apenas um dia.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 15.433.989 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus. A média móvel de casos nos últimos 7 dias voltou a subir e foi de 61.489 novos diagnósticos por dia.

O país também teve 2.383 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou 430.417 óbitos acumulados desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias sofreu leve queda e chegou a 1.924.

Já são 113 dias seguidos no Brasil com a média de mortes acima da marca de mil e 58 dias com essa média acima dos 1.900 mil mortos por dia.

Estados

Você viu?

O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (102.934), Rio de Janeiro (47.355) e Minas Gerais (36.753). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.564), Amapá (1.606) e Acre (1.607).

Em relação aos casos confirmados, São Paulo também lidera, com mais de 3 milhões de casos. Minas Gerais, com 1,4 milhão, e Rio Grande do Sul, com pouco mais de 1 milhão de casos, aparecem na sequência. O estado com menos casos de Covid-19 é o Acre, com 79.955, seguido por Roraima (99.155) e Amapá (108.454).

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 160 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 3,3 milhões morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Pontes e Lacerda

Prefeito de Pontes e Lacerda MT Alcino Barcelos pede para a população se vacinarem

Publicado

Diante da baixa procura pela segunda dose da vacina contra covid-19 e do aumento de internações no município, o prefeito de Pontes e Lacerda, Alcino Barcelos fez um vídeo na última semana, pedindo para que a população restrinja o convívio e se vacine.

Segundo o gestor, doses estão vencendo porque muitas pessoas não querem se imunizar com a segunda dose acreditando que a pandemia acabou. O gestor, que sempre foi defensor de tratamento precoce com remédios ineficazes, agora implora para a população se vacinar.

“Você que não vacinou ainda, vacine. Larga mão de ouvir esses lacradores, esses blogueiros e politiqueiros de plantão. Tá com dúvida? Procure seu médico […] chega um momento grave como esse e você quer ouvir quem? Pessoal que quer views e compartilhamento? Estamos aqui em Pontes e Lacerda desesperados pedindo para as pessoas se vacinarem porque está vencendo vacina da segunda dose. Pessoal não vai vacinar. Só a vacina controlou a pandemia. Quem não enxerga isso aí? Tá claro!”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Sem categoria

Mãe sofre por não atender desejo do filho de doar órgãos que teve morte cerebral

Publicado

A família do empresário Bruno Mendes de Araújo, de 35 anos, que teve morte cerebral no dia 20 deste mês, sofre por não conseguir doar os órgãos dele por problemas de estrutura devido às festas de fim de ano. O empresário sofreu um acidente de motocicleta no dia 16 deste mês, em Cuiabá, e um dos desejos dele era doar os órgãos.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) informou que realizou corretamente todos os procedimentos para a doação e captação de múltiplos órgãos do paciente, mas que foi informada pela Central Nacional de Transplante que não seria possível fazer o procedimento por questões logísticas e porque não existiam pacientes compatíveis.

O Ministério da Saúde disse em nota que os transplantes dependem de diversas particularidades e uma delas é a existência de um paciente compatível pra receber o órgão.

A mãe de Bruno, Isabel Araújo, contou que o foi o outro filho dela quem recebeu a notícia de que o empresário tinha sofrido um acidente. Ele foi internado em um hospital municipal da capital e, posteriormente, foi transferido para um hospital particular.

Bruno foi submetido a duas cirurgias no cérebro e, depois, foi constatado a gravidade das lesões. No dia 20 deste mês foi confirmada a morte encefálica e foi aberto o protocolo para doação de órgãos.

O empresário era doador de sangue e sempre deixou claro para a família que queria doar os órgãos.

“Nós propusemos pagar os exames que o plano não cobria para que tudo fosse feito da forma mais rápida possível porque meu filho estava sendo mantido com o coração batendo para preservar os órgãos”, contou a mãe.

Em uma reunião, o hospital disse que a Central Nacional de Transplante, que é responsável pelo procedimento, não conseguiria ir para Cuiabá para a captação dos órgãos por problemas logísticos devido às festas de fim de ano.

“Meu filho tinha um coração muito generoso. Ele ficaria muito feliz de saber que ele contribuiu para que uma vida prolongasse, para que uma pessoa se tornasse ativa, saísse da dependência de uma máquina”, disse Isabel.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso