conecte-se conosco


VÁRZEA GRANDE

Unidade da Marfrig em Várzea Grande produz 45% dos alimentos industrializados da companhia no Brasil

Publicado

Destaque

Cidade, que completa 154 anos de história em maio, abraça o polo industrial da empresa há dois anos em Mato Grosso

A Marfrig, líder global em produção de hambúrgueres e uma das maiores empresas de carne bovina do mundo, celebra no dia 15 de maio o aniversário de 154 anos de Várzea Grande (MT). Presente no município há 2 anos, o complexo industrial da Marfrig se orgulha de fazer parte desta história repleta de evolução.

Várzea Grande foi fundada em 1867, no período da Guerra do Paraguai. Situada na margem direita do Rio Cuiabá, a cidade possui cerca de 287.526 habitantes. Dentre eles, 3.717 pessoas fazem parte cotidianamente da conexão que a Marfrig possui com o desenvolvimento direto do município. Seu complexo industrial, que contempla uma planta de abate/desossa e outra de industrializados, destina produtos para cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná.

O Mato Grosso é um dos estados de grande relevância para a Marfrig, seja em âmbito de produção, sustentabilidade ou modelo de negócios. O polo industrial de Várzea Grande, por sua vez, trabalha diariamente para melhorar seus processos de produção e distribuição dos produtos, a fim de manter sempre o alto nível de qualidade para os consumidores.

Veja Também  Novo confronto entre Bope e ladrões de banco, e tem dois mortos e parte de dinheiro recuperado

Desde 2019, o complexo produz alimentos industrializados como hambúrgueres, almôndegas, kibes e carne moída, o que representa 45% dos alimentos processados da companhia no Brasil. Em 2020, após um período de reestruturação, houve uma expansão desta linha, o que fez com que o número de produtos industrializados saltasse de 7 mil toneladas/mês para 9 mil toneladas/mês. O avanço também marcou o aumento da capacidade de abate e desossa – que passou de 1 mil animais/dia para 2 mil animais/dia.

A unidade, que é a maior em produção de alimentos industrializados da companhia, produz 6.148 toneladas de hambúrguer por mês; 494 toneladas/mês de produtos porcionados e 700 toneladas de carne cozida congelada por mês. Os números crescentes e a inovação nos processos comprovam toda a dedicação da Marfrig e seus colaboradores em busca de trazer ainda desenvolvimento para a cidade de Várzea Grande.

Sobre a Marfrig 

A Marfrig é uma das companhias líderes em carne bovina e maior produtora de hambúrguer no mundo, com receita líquida de 67,5 bilhões de reais em 2020, capacidade diária de abate de mais de 31,8 mil bovinos em suas unidades da América do Sul e América do Norte, bem como uma capacidade de produção de 232 000 toneladas de hambúrgueres por ano. Emprega mais de 30 000 colaboradores, distribuídos em 32 unidades produtivas, processa e comercializa carne in natura, produtos processados, pratos prontos à base de carne bovina, produtos complementares e derivados de carne, além de couro para os mercados doméstico e internacional. Reconhecida pela qualidade de seus produtos e por sua atuação sustentável, a Marfrig mantém projetos pioneiros para a preservação do meio ambiente e dos recursos naturais.

Veja Também  Fazendeiros colocam fogo em desmate na região Rural de Nobres

Comentários Facebook

Destaque

Denúncia:Autoridades bolivianas são acusadas de criar empecilhos e pressionar pagamento “por fora” para entrar em San Matias Bolívia

Publicado

Autoridades bolivianas do Serviço de Emigração, em San Matias, são acusadas de criar empecilhos no sentido de pressionar estrangeiros a, supostamente, pagar propina, para adentrar ao país, durante a pandemia. Nos últimos dias, além da documentação pessoal, elas passaram a exigir o RT-PCR (exame molecular que identifica o vírus e confirma o covid-19) e até Seguro Internacional de Saúde.

Como na maioria das vezes as pessoas não dispõem, principalmente, do Seguro Internacional, elas são impedidas de adentrar ao território boliviano. A não ser que desembolsem a quantia de R$ 500. Contudo, conforme os denunciantes, as autoridades bolivianas não emitem nenhum tipo de comprovante do pagamento, o que sugere que o valor seja cobrado “por fora”.

Muitos ,principalmente familiares de jovens que estudam em faculdades bolivianas, na cidade de Santa Cruz de La Sierra, assim como trabalhadores que fazem transporte do Brasil para Bolívia, especificamente entre Cáceres e San Matias, tem sido penalizados com a cobrança e tendo, inclusive, que retornar quando não dispõem de dinheiro para pagar.

Veja Também  Bolsonaro: superpedido de impeachment listará mais de 20 crimes

Caso alguém burlar a fiscalização e for pego do lado boliviano é obrigado a pagar uma multa de 20 bolivianos por dia, o equivalente a R$ 18.  Além disso, tanto o Seguro Internacional, quanto o RT-PCR, tem prazo de validade: o Seguro vale por 8 dias, já o RT-PCR 4 dias. Se ultrapassar esse período e for encontrado transitando, com o documento vencido, também paga multa de 20 bolivianos/dia.

Curioso que o pagamento do “tributo”, conforme os denunciantes, só é obrigado na fronteira entre Cáceres e Sant Matias. Informam que na fronteira entre Corumbá e Porto Gijarro não há obrigatoriedade do Seguro Internacional, apenas o RT-PRC, assim como na fronteira entre Pontes e Lacerda a San Ignácio de Velasco.

As denúncias sobre o caso já chegaram a Câmara Municipal. Na manhã desta quarta-feira, 23, os vereadores estarão se reunindo com a consulesa boliviana, Maria Patrícia Chaves Escobar, para discutir sobre o tema. Os vereadores defendem um tratamento mais humanitário entre brasileiros e bolivianos, levando em conta que San Matias  e Cáceres são cidades gêmeas.

FONTE:DIÁRIO DE  CÁCERES

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Batida deixa carro esmagado e três pessoas feridas na 163 em MT

Publicado

Um acidente entre uma picape Strada e duas carretas deixaram três pessoas gravemente feridas. A colisão ocorreu por volta das 10h30, na BR-163, em Sorriso.

De acordo com a concessionária Rota do Oeste, equipes de resgate da própria concessionária e o Corpo de Bombeiros prestaran atendimento às vítimas. Três ocupantes da Fiat Strada prata, placa de Barão de Melgaço, foram socorridos em estado grave e encaminhados ao Hospital São Lucas, em Lucas do Rio Verde.

Os motoristas das carretas saíram ilesos e assinaram termo de recusa de encaminhamento médico.  Ainda não há informações sobre as causas do acidente.

Comentários Facebook
Veja Também  Tabela de isenção do IR será alterada, mas não cumprirá promessa de Bolsonaro
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana