conecte-se conosco


Saúde

Brasil tem novo recorde: 4.249 mortes por Covid-19 em 24 horas

Publicado

Saúde


source
Sepultamentos no Cemitério Nossa Senhora Aparecida
Foto: Alex Pazuello/Semcom

Sepultamentos no Cemitério Nossa Senhora Aparecida

O Brasil bateu novo recorde de mortes por Covid-19 em 24 horas nesta quinta-feira (8): 4.249. Com isso, o país chegou ao total de 345.025 óbitos acumulados. A média móvel de mortes voltou a crescer e chegou a 2.820. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia, já são 13.279.857 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus (Sars-CoV-2), com 86.652 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos sete dias foi de 62.859.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 80.742 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 38.657 mortes, seguido por Minas Gerais (26.795), Rio Grande do Sul (21.538) e Paraná (18.492).

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Você viu?

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Veja Também  Covid-19: os riscos de não tomar a segunda dose da vacina; confira

80 mil mortes em São Paulo

Com 1.229 mortes por Covid-19 registradas nesta quinta-feira (8), o estado de São Paulo chegou a 80.742 vidas perdidas para a doença desde o início da pandemia. Também foram registrados 21.004 novos casos, totalizando 2.597.366 infectados.

Covid-19 no mundo 

Mais de 133 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 2,8 milhões morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins. O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

“Situação está longe do fim”, diz presidente da Anvisa

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, disse nesta quinta-feira (8) que a situação pandêmica está longe do fim no Brasil.

“O entendimento que temos aqui na agência, e não é um entendimento dos mais felizes, é que essa situação que atravessamos está longe do seu fim. Não há entre nós a convicção de que a fase pior tenha passado. Nós temos tido uma série de sinalizações de possibilidades ainda mais desafiadoras estão por vir no curto e no médio prazo”.

Veja Também  CoronaVac: Butantan supera 40 milhões de doses entregues ao Ministério da Saúde

Na avaliação de Antônio Barra Torres, toda uma estrutura mundial vai ter que se reorganizar. “Nascerá um novo mundo dessa pandemia. E em setores da economia que, por uma ação fundamentalmente focada no capitalismo, tinham uma justificação, como a terceirização de áreas essenciais de produção em troca de mão de obra mais barata e questão fiscal mais atraente, hoje se dá por comprovado que quem fez essa escolha encontra-se em uma posição de refém diante da oferta de insumos essenciais que vêm do exterior – no caso concreto, basicamente de dois países”.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Saúde

Participantes do comitê da covid-19 fazem pronunciamento após reunião

Avatar

Publicado


A segunda reunião do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 foi realizada nesta manhã, no Palácio do Planalto, em Brasília. Após participar da reunião, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o deputado federal Dr. Luizinho (PP-RJ) concedem entrevista coletiva para falar sobre os resultados das discussões.

Acompanhe, ao vivo, a entrevista coletiva:

O comitê, criado em março deste ano, é composto pelos presidentes da República, Jair Bolsonaro, do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e, na condição de observador, por um representante do Judiciário. Também participaram do comitê o ministro da Saúde e outros integrantes do governo.

Edição: Kelly Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Veja Também  Participantes do comitê da covid-19 fazem pronunciamento após reunião
Continue lendo

Saúde

SP tem falta de kit intubação e acusa Saúde de ignorar apelos, diz jornalista

Avatar

Publicado


source
SP tem falta de kit intubação e acusa Saúde de ignorar apelos, diz jornalista
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

SP tem falta de kit intubação e acusa Saúde de ignorar apelos, diz jornalista

O governo de São Paulo enviou um ofício ao  Ministério da Saúde, nesta última terça-feira (13), afirmando que precisa receber, de maneira urgente, medicamentos do ‘kit intubação’ em 24 horas para repor estoques e evitar o desabastecimento nos hospitais do estado. A informação foi publicada na manhã desta quarta-feira (14) pela coluna da jornalista Mônica Bergamo, da ‘Folha de S. Paulo’.

“A situação de abastecimento de medicamentos, principalmente daqueles que compõem as classes terapêuticas de bloqueadores neuromusculares e sedativos está gravíssima, isto é, na iminência do colapso, considerando os dados de estoque e consumo atualizado pelos hospitais nesses últimos dias”, afirmou um documento do secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn.

Ainda segundo o documento, “a partir dos próximos dias” vai faltar medicamentos, caso nada seja feito. Os medicamentos tem o objetivo de aliviar a dor dos pacientes e fazer com que os médicos consigam entubar pessoas que estão em situação mais grave. Sem os tais medicamentos, os pacientes não suportariam as dores do procedimento e do uso dos aparelhos.

Veja Também  Brasil deve receber mais de 840 mil doses da vacina da Pfizer em junho

Segundo a coluna, Gorinchteyn afirmou no documento que há mais de 40 dias vem formalizando “reiteradamente” ao Ministério da Saúde solicitações para o envio dos kits necessários para que o sistema de saúde do estado não entre em colapso.

Segundo o texto, já foram enviados nove ofícios ao governo federal, mas nenhum deles ainda obteve retorno sobre as solicitações. O secretário ainda afirmou que tem enviado informações diárias sobre estoques ao ministério, mas não tem sido atendido. A quantidade de drogas enviadas ao estado foi até agora “ínfima”, segundo ele.

Você viu?

“O Ministério da Saúde mantém o mercado produtor nacional requisitado administrativamente desde o mês de março, prejudicando e dificultando o acesso dos hospitais, municípios e desta pasta aos fabricantes do kit intubação”, disse Gorinchteyn.

E completou: “O Ministério da Saúde manteve o Estado de São Paulo durante 6 (seis) meses sem fornecimento de qualquer quantidade de medicamentos provenientes das requisições administrativas realizadas”, segue. E “furta-se a esclarecer qual critério adotado para definir a distribuição dos milhões de unidades farmacêuticas requisitadas, face ao quantitativo ínfimo enviado ao Estado de São Paulo”.​

Veja Também  Niterói monta barreiras sanitárias e causa engarrafamentos

Jean Gorinchteyn afirmou também que o governo estadual está tentando manter o sistema abastecido, mas que apenas os esforços estaduais não são suficientes pois a cadeia produtiva não consegue dar conta da demanda. Por isso, segundo ele, é imprescindível que o governo federal também atue para adquirir os kits. 

“A centralização da aquisição do kit intubação em âmbito federal é fundamental para equacionar a gestão da disponibilidade dos medicamentos no mercado nacional, frente às demandas dos estados considerando a competição de mercado instalada entre os vários gestores de todo país, neste cenário de escassez de produtos”, afirmou o secretário.

No final, Gorinchteyn lista a quantidade de quatro bloqueadores neuromusculares, de três fármacos para sedação contínua e de um fármaco para analgesia “em até 24 horas, para suprir o abastecimento de 643 hospitais para os próximos dez dias”.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana