conecte-se conosco


Policial

Em barreira policial, homem é pego com pistola e 317 munições de vários calibres

Publicado

Policial


Policiais da 7ª Companhia de Jaciara (a 144 km de Cuiabá) prenderam neste sábado (06.03), um homem, 32 anos, por porte ilegal de arma de fogo e por receptação. Foram apreendidos uma pistola calibre 380, 317 munições de calibres 380, 22,38 e 9 milímetros, 49 cartuchos de calibres 28 e 38, além de 46 cápsulas deflagradas de calibres 380 e 38.

A equipe realizava bloqueio na Estrada Parque, na MT-457 e solicitaram ordem de parada ao motorista de um veículo Fiat Uno. Na vistoria, foi encontrada uma maleta com uma pistola, com carregador e várias munições.

Questionado, o homem disse que não tinha registro e porte. Os policiais foram até sua casa, no bairro Santa Rita, e dentro de uma gaveta no quarto do suspeito estava o restante das munições e cartuchos apreendidos, além de um rádio comunicador e outra maleta de pistola.

Perguntado do motivo de possuir tantas munições, o cidadão respondeu que o material não seria seu, apenas vende armas e munições, mas não explicou a procedência. Em consulta, foi descoberto que a pistola apreenda estava com registro de furto no estado de Goiás.

Veja Também  Trabalho em conjunto permite mudança para nova Escola Tiradentes em Lucas do Rio Verde

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 08000.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook

Policial

Escrivão descobre amor pela carreira policial em ações operacionais e no trabalho investigativo

Avatar

Publicado


Camila Molina/Polícia Civil-MT

Um escrivão de polícia com sangue de investigador correndo nas veias. É assim que o policial civil Hélio Aparecido da Silva, escrivão-chefe da Delegacia de São José dos Quatro Marcos encara a rotina de trabalho, atuando com sede pelo esclarecimento de crimes e acreditando nos benefícios da unificação das tarefas de investigador e escrivão para alcançar a excelência nas investigações.  

A garra e vontade de atuar além das suas funções com o fim de prestar um bom serviço policial certamente são heranças da época em que atuou como soldado de Exército Brasileiro, pouco antes de ingressar na Polícia Civil, em março de 2002.

Quando deixou o Exército, Hélio não pensava em ser policial, mas acabou fazendo o concurso para o cargo de escrivão da Polícia Civil de Mato Grosso e hoje se diz apaixonado pela profissão. No entanto, esse sentimento amor pela carreira não foi sempre assim.

Hélio lembra que quando ingressou na Polícia Civil, lotado na Delegacia de Rio Branco, foi que de fato conheceu o que era a atividade policial e teve uma grande decepção. “Eu esperava que encontraria uma polícia mais avançada, mas tive que, inclusive, trabalhar com máquina de datilografia e papel carbono, uma vez que o boletim de ocorrência era registrado em quatro vias. Tínhamos que revezar para usar o único computador disponível na delegacia para os trabalhos serem acelerados”, lembra.

Participação em operações

Foi quando já estava na Delegacia de São José dos Quatro Marcos, que o escrivão teve a oportunidade de explorar o lado mais operacional da profissão, iniciando a história de amor com a carreira policial. Na ocasião, os policiais participavam de uma diligência de tráfico de drogas na região de Porto Esperidião.

No dia seguinte, o então delegado da unidade, Walfrido Franklim do Nascimento (atual Diretor de Interior), mobilizou os policiais para relatar se as investigações tinham evoluído e que novas diligências seriam realizadas desta vez para apurar a atuação de pistoleiros na região.

Veja Também  Suspeito de roubo é rendido e Gol recuperado em Campo Verde

“Foi então que ele olhou para mim e perguntou se eu iria com eles. Pela minha formação anterior de militar, prontamente aceitei. No final, acabamos deflagrando uma operação muito grande, com a desarticulação de uma organização criminosa com integrantes de uma facção do estado de São Paulo. O fato na época teve grande repercussão na sociedade e engrandeceu o nome da Polícia Civil”, conta o escrivão.

A ação mencionada pelo escrivão é a Operação Têmis, deflagrada em novembro de 2008 e que resultou na prisão de 11 pessoas envolvidas em uma série de crimes na região da fronteira, entre eles homicídios, receptação de veículos roubados e furtados e tráfico de drogas.

As investigações iniciaram com a localização de dois corpos em um canavial, na zona rural de Mirassol d’Oeste. As vítimas foram encontradas com sinais de tortura e sem marcas de perfuração. À polícia, uma testemunha revelou que as duas vítimas se conheciam e que teriam sido contratadas para um serviço de cobrança contra um traficante de Mirassol d’Oeste, em conjunto com três pessoas de Cuiabá. Cada pistoleiro receberia U$ 8 mil dólares pela “empreitada”.

 
Material apreendido na Operação Têmis

Outro caso que marcou a carreira do escrivão foi um crime bárbaro de estupro, homicídio e ocultação de cadáver cometido contra uma adolescente de 17 anos em São José dos Quatro Marcos.  A notícia do desaparecimento da jovem foi comunicada na Delegacia no dia 29 setembro, pela família da adolescente, que informou que a garota havia saído na noite anterior para ir a um show sertanejo e não havia voltado para casa. O corpo da adolescente foi encontrado somente no dia 4 de novembro, em estado de  decomposição, numa região de serra, nas proximidades da localidade conhecida por Cacho, entre as cidades de Cáceres e Mirassol D’Oeste.

Veja Também  Polícia Civil prende no Rio de Janeiro autor de tentativa de estupro e feminicídio cometido em Várzea Grande

Um caminhoneiro de 29 anos, apontado como autor do crime, foi preso dias depois em Goiânia (GO). Enquanto era recambiado para São José dos Quatro Marcos, continuava negando a autoria do crime e só confessou os fatos após tomar conhecimento que a Polícia havia localizado o corpo.

“Foi um caso complicado, em que tivemos que bater muito a cabeça até a elucidação dos fatos, após 45 dias de investigação. As pistas iniciais apontavam para dois suspeitos e foram várias diligências até conseguirmos chegar ao verdadeiro autor. Fizemos um relatório policial minucioso, detalhando cada fato apurado, e mostrando uma investigação diferenciada de crime”, disse o escrivão.

O escrivão que descobriu amor pela profissão policial através do trabalho investigativo revela que diante da falta de efetivo, a atuação unificada das funções de escrivão e investigador traz bons resultados. “Durante os trabalhos, encontramos opiniões diferentes das nossas, mas essa troca de ideias ajuda no desenvolvimento das investigações. Eu acredito na ideia de que alguns escrivães têm esse perfil investigativo aguçado e podem nortear a atuação da Polícia Civil”,  destacou.

 
Turma de escrivães de 2002

Com quase 20 anos de dedicação à Polícia Civil, Hélio diz que o trabalho como policial mudou muito sua vida, em especial o seu posicionamento diante dos problemas. “Eu era muito inibido, mas percebi que precisava me manifestar diante de certas situações, e esse é um posicionamento que passei a ter não só na vida profissional como na pessoal e que me ajuda diariamente no meu cargo que desempenho de chefe dos escrivães”, finalizou.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Suspeito de descumprir medidas de regime semiaberto tem prisão cumprida em Pedra Preta

Avatar

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Um homem com a ordem de prisão decretada por descumprimento das condições do regime semiaberto foi preso, na terça-feira (20.04), em ação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar de Pedra Preta. O suspeito de 38 anos tentou fugir dos policiais  e além de ter o mandado de prisão cumprido foi autuado em flagrante desobediência e resistência à prisão.

As diligências iniciaram assim que a equipes da Polícia Civil e Militar receberam a ordem judicial de prisão, expedida pela Vara Única da comarca de Pedra Preta. Durante as diligências, os policiais localizaram o veículo Renault Duster do suspeito no trevo da cidade, no momento em que se deslocava para zona rural.

O suspeito foi informado sobre o mandado de prisão em aberto e que seria encaminhado para a delegacia, porém não obedeceu a ordem de parada e fugiu em seu veículo, seguindo sentido bairro Cohab. Para conter a fuga do suspeito, os policiais efetuaram um disparo de arma de fogo no pneu dianteiro do seu veículo.

Veja Também  Operação Armagedon prende autores de roubos violentos praticados na região de Chapada dos Guimarães

Mesmo com o disparo, o suspeito continuou em fuga até o momento em que foi cercado por uma viatura. Ele tentou resistir à prisão até ser contido pelos policiais que conseguiram algemá-lo.

Ele foi conduzido à Delegacia de Pedra Preta onde foi autuado em flagrante por desobediência e resistência, além de serem tomadas as providências necessárias para cumprimento do mandado.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana