conecte-se conosco


Nacional

Garotinho tem pena aumentada e fica inelegível até 2029

Publicado

Nacional


source
Anthony Garotinho também terá que pagar multa
Divulgação/ Facebook

Anthony Garotinho também terá que pagar multa


O Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RJ) elevou a condenação  do ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho , por compra de votos nas eleições municipais de 2016 , para 13 anos e 9 meses de prisão. O político ainda terá que pagar uma multa e se torna inelegível pelos oito anos seguintes à condenação, até 2029. O pedido de aumento da pena foi feito pelo Ministério Público Eleitoral.

Por unanimidade, o colegiado do TRE/RJ condenou, nesta quarta-feira (4), Garotinho pelos crimes de corrupção eleitoral, associação criminosa, supressão de documento público e coação no curso do processo, assim como  a Justiça Eleitoral em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, que tinha estabelecido pena de 9 anos e 11 meses de prisão e multa, no valor de R$ 198 mil. 

A partir da Operação Chequinho , a Promotoria Eleitoral em Campos dos Goytacazes denunciou o ex-governador por usar irregularmente o programa social Cheque Cidadão , da prefeitura de Campos dos Goytacazes, para conseguir votos para seu grupo político. Naquele ano, a prefeita era a esposa do réu, Rosinha Matheus, e Garotinho era o secretário municipal de Governo. Segundo a Justiça, o esquema concedia o benefício, voltado a famílias de baixa renda, em troca do compromisso de votar nos candidatos indicados.

Veja Também  Criança de 8 anos é atingida por bala perdida na Zona Oeste do Rio de Janeiro

Você viu?

Entre maio e agosto de 2016, de acordo com o Ministério Público Eleitoral em Campos, o número de novos beneficiários do programa aumentou em mais de 17 mil. Mas, parte dos novos contemplados ao menos constava nas listas oficiais de controle e não atendia aos critérios da legislação municipal. Segundo a procuradora regional eleitoral de Campos, Silvana Batini, eram tantos os novos cadastrados que houve necessidade de contratar 13 digitadores para atender à demanda. 

“As provas reunidas apontam de forma inequívoca a existência de um estratagema criminoso que deturpou a utilização do referido programa social, de forma espúria e sabidamente ilícita, em favor de um grupo político e em prejuízo dos cofres públicos”, sustentou o MP Eleitoral no parecer pela manutenção da condenação.


Comentários Facebook

Nacional

Membros da Secretaria da Cultura realizam dossiê para combater ‘esquerdistas’

Avatar

Publicado


source
 Integrantes da Secretaria da Cultura realizam dossiê para exonerar 'esquerditas'
Reprodução/Flickr

Integrantes da Secretaria da Cultura realizam dossiê para exonerar ‘esquerditas’

Servidores ideológicos que ocupam a Secretaria Especial da Cultura no governo  Jair Bolsonaro (sem partido), comandada por Mário Frias , elaboraram um dossiê em que criticam funcionários “militantes esquerdistas” e enaltecem os ‘direitistas’. As informações são da jornalista Camila Mattoso .

De acordo com interlocutores, a secretaria se isolou do governo federal por ser o ‘reduto de seguidores de Olavo de Carvalho’ e de radicais bolsonaristas que foram perdendo espaço em outros cargos e ministérios.

O documento é chamado de “mapeamento Funarte 2020-2021″ e costuma ser enviado por WhatsApp ou email à cupula da secretaria. No dossiê, é possivel observar seis servidores descritos como “militantes esquerdistas”, ou do PT, e que por isso deveriam ser exonerados .

Segundo a planilha, uma das colaboradores é “servidora há anos e é militante esquerdista, tirar cargo de gratificação. Faz movimentos na Funarte contra governo. Companheira de Marcos Teixeira [Campos, presidente substituto da Funarte na gestão de Regina Duarte], turma do Humberto Braga [presidente da Funarte no governo Michel Temer (MDB)], levantar açãos contra o governo (sic)”.

Veja Também  TCU recomenda abertura de investigação de conduta do ministro Braga Netto

Você viu?

Andrea Paes Leme, secretária-adjunta da Cultura, foi mencionada no dossiê como um dos alvos da ala ideológica. No documento, tuítes da servidora criticando o segundo turno das eleições de 2018 e declarando apoio a João Amoêdo (Novo) corroboram o argumento de “humilhação para Bolsonaro” tê-la no governo.

“A Secretária Especial Adjunta Andrea Abrão Paes Leme se deu bem: enganou o Secretário Especial Mario Frias e sabendo ser o Bolsonaro Bozo bobo acertou em cheio. Saiu do DNIT e agora manda na Cultura. Que humilhação para um Presidente da República dar o segundo posto no comando da Cultura para quem na boca da eleição e 10 dias antes de ser esfaqueado estava ridicularizando-o como uma opção equivalente ao PT (sic)”, relata trecho do dossiê.


Paralelamente, funcionários que se alinham a ideologia do governo são elogiados e dignos de promoção. Um advogado bolsonarista é tido como “jovem conservador ativo”. Outro servidor é tido como “secretário da ala conservadora da OAB-RJ, reconhecido jornalista conservador por nomeação”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Mulher diz que cabelo black power de jovem é “horroroso”; veja vídeo

Avatar

Publicado


source
Luís Henrique de Oliveira afirma que vai processar suspeita de injúria
Foto: Reprodução/Record

Luís Henrique de Oliveira afirma que vai processar suspeita de injúria

Um funcionário de uma farmácia em Uberaba, Minas Gerais, denuncia ter sido alvo de injúria racial após uma cliente criticar o seu corte de cabelo. “Me senti muito humilhado, desrespeitado e violado”, diz Luís Henrique de Oliveira, de 27 anos.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir o que uma idosa, de 66 anos, fala sobre o cabelo do rapaz. Ela fez uma série de comentários racistas e disse que ele deveria voltar para o “gueto”, pois é um “vagabundo”.

De acordo com a Polícia Militar, o caso teve início porque Luís tentou separar uma discussão da cliente com atendentes da farmácia. “Ela estava nervosa, gritando também. Começou a me humilhar, disse que eu deveria voltar para o gueto, me chamou de moleque, falou que o meu cabelo ocupava muito espaço e que não poderiam entrar mais clientes no lugar por causa do meu cabelo”, disse o rapaz em entrevista à Record.

Veja Também  Membros da Secretaria da Cultura realizam dossiê para combater 'esquerdistas'

No vídeo, a idosa reclama do tamanho do cabelo do atendente. “O cabelo dele não pode ser desse tamanho. Ele está atrapalhando as pessoas no mundo. Se o cabelo é ruim ou não, isso é da raça, eu não tenho nada com isso. O rapaz nem quis ir comigo, disse que pediu uma viatura especial pra ele, porque o cabelo dele não deve caber nessa aqui”, falou.

Você viu?

Em outro momento do vídeo, a suspeita já aparece dentro da viatura da PM, mas continua criticando o rapaz. “Horroroso. Todo mundo está alisando cabelo. Eles têm que saber que não são donos do mundo. Tem toda uma regra, um contexto existencial. A gente tem que ter respeito pelo mundo, pelas pessoas. Eu também sou negra. No Brasil não tem ninguém branco”, disse.

Veja o vídeo:



De acordo com PM, a ocorrência foi registrada como injúria. Na delegacia, a idosa assinou um termo se comprometendo a comparecer à audiência. Luís Henrique Medeiros disse que vai processar a mulher para que seja acusada de racismo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana