conecte-se conosco


DESESPERO

R$ 312 mil: motorista desabrigado pede gorjeta em vídeo no TikTok e ganha bolada

Publicado

Destaque

 

Riley Elliot está no TikTok com a conta @livefreestudios
Reprodução / TikTok

Riley Elliot está no TikTok com a conta @livefreestudios

O motorista de aplicativo Riley Elliot fez um vídeo de desabafo em seu TikTok para relatar um caso difícil que passou. O estadunidense conta que precisou gastar U$ 3, cerca de R$ 17, para usar um estacionamento já que o cliente que pediu uma entrega se recusou a ir até onde ele estava para retirar a comida.

O valor gasto para estacionar foi muito maior do que a taxa de entrega que ele recebeu. Elliot ainda fez um apelo para que os clientes deem gorjetas aos entregadores , que estão desde o início da pandemia arriscando suas vidas para garantir que a economia dos países não pare.

Assista:

O vídeo foi publicado em tal dia. Até a publicação desta matéria, já foi visto por 2,5 milhões de pessoas pelo mundo e tem 401 milhões de curtidas.

Veja Também  Três baleados durante tentativa de chacina, um não resiste e morre

A comunidade TikToker acessou a conta do PayPal do motorista, que está em sua bio, e depositaram , no total US$ 55 mil (cerca de R$ 312 mil). As doações foram usadas para pagar contas do motorista e ajudar conhecidos que também estavam passando algum tipo de necessidade.

Comentários Facebook

Destaque

Nova lei traz mudanças nas regras para compra e venda de veículos; entenda

Avatar

Publicado

 

A Lei Federal nº 14.071/2020 que entrou em vigor esta semana em todo País trouxe alterações no prazo para a realização da comunicação de venda do veículo e reduziu a gravidade da infração e valor da multa para quem não realizar a transferência de propriedade dentro do prazo estipulado pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Com a nova lei, o proprietário vendedor do veículo terá o prazo de até 60 dias para efetuar a comunicação de venda junto ao órgão executivo de trânsito. Antes da mudança, a comunicação deveria ser realizada em um prazo de 30 dias.

A comunicação de venda do veículo, além de ser um procedimento obrigatório do proprietário vendedor, previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), também é uma forma do vendedor se proteger do recebimento de pontuações de eventuais infrações cometidas pelo comprador e também de débitos gerados a partir da venda do veículo.

Como fazer o comunicado de venda

Se quem está vendendo o veículo possuir os documentos de registro e a autorização para transferência de propriedade em papel moeda (popularmente conhecido como CRV) para realizar a comunicação de venda, tanto o proprietário como o comprador deverão preencher o verso do documento com os dados do comprador, reconhecer firma no cartório e, por fim, o comprador deve realizar a transferência de propriedade.

Novo modelo – CRLV-e

Para os veículos registrados a partir do dia 4 de janeiro deste ano, o Detran expedirá ao proprietário vendedor somente o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV-e), em formato digital, não havendo mais a emissão do documento em papel moeda, conforme resolução n° 809 de 2020 do Contran.

Veja Também  Médica trabalha na vacinação contra a Covid-19, após perder avô e pai que era médico e atuava na linha de frente

A Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo (ATPV), que antes vinha em branco, no verso do documento, desde o dia 4 de janeiro é expedida somente quando o proprietário for vender o veículo. Ou seja, não está mais disponível no verso do CRV como era até então.

O documento nesse novo formato deve ser solicitado e emitido de forma presencial em alguma unidade do Detran.

O proprietário quando for vender o veículo deverá solicitar junto ao Detran, de forma presencial, o registro da intenção de venda e, ao final desse serviço, será expedido o documento de autorização de transferência, sem custos, informando os dados do comprador.

O Detran então disponibilizará a ATPV preenchida de forma eletrônica e com o QR Code de segurança, apenas para reconhecimento de firma de comprador e vendedor em cartório e posterior transferência de propriedade.

Transferência de propriedade

A Lei Federal nº 14.071/2020 reduziu a gravidade da infração para quem deixa de transferir o veículo no prazo. Até então, deixar de efetuar o registro do veículo no prazo de 30 dias era infração de natureza grave, sujeita a multa de R$ 195,23 e retenção do veículo para regularização.

Com a mudança, o novo proprietário do veículo que deixar de efetuar o registro no prazo de 30 dias incorrerá em infração média, com multa de R$ 130,16 e a remoção do veículo.

Veja Também  Mais de 200 baterias furtadas de estações de telefonias são recuperadas pela Polícia Civil em depósito

A transferência de propriedade é um procedimento obrigatório e deve ser feita em um prazo de 30 dias, conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), para o novo dono do veículo conseguir emitir o licenciamento anual e evitar possíveis transtornos.

Resolução Contran

Na segunda-feira (12.04) foi publicada a resolução nº 830/2021 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que referenda a portaria nº 210 de 26/03/2021, sobre os prazos de processos e procedimentos relacionados ao trânsito em Mato Grosso.

Pela resolução, está prorrogado por tempo indeterminado o prazo para os cidadãos que adquiriram veículos a partir de 29 de janeiro de 2021 realizarem a transferência de propriedade junto ao Detran-MT.

Com isso, não há necessidade do novo proprietário do veículo realizar a transferência de imediato, pois não incorrerá em infração e nem pagamento de multa por não realizar o procedimento dentro dos 30 dias estipulados pelo Código de Trânsito Brasileiro.

Leia também

Nova lei de trânsito traz mudanças no transporte de crianças em veículos; entenda

Nova lei de trânsito: Carteira de Habilitação passa a ter validade de até 10 anos

Nova lei de trânsito entra em vigor na próxima segunda-feira (12); entenda

Arquivo com as principais alterações do Código de Trânsito anexado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Mais de 200 baterias furtadas de estações de telefonias são recuperadas pela Polícia Civil em depósito

Avatar

Publicado

 

Equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá (DERF) recuperou na nesta terça-feira (13.04), 226 baterias estacionárias que foram furtadas de estações repetidoras de telefonia das empresas OI, Vivo, TIM e Claro. O material recuperado está avaliado em aproximadamente R$ 250 mil.

Conforme apuração da equipe da DERF Cuiabá, as baterias foram furtadas em diversos municípios do interior do estado e na região metropolitana de Cuiabá e foram localizadas em uma distribuidora de baterias localizadas na Capital.

O gerente de depósito foi preso em flagrante pelo crime de receptação qualificada e após procedimentos policiais na delegacia, foi encaminhado para audiência de custódia.

As baterias foram devidamente reconhecidas e devolvidas às empresas de telefonia.

As investigações da DERF continuam para identificação dos autores dos furtos e pretensos receptadores.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Veja Também  Morre vítima de coronavírus professor Loracil, diretor da Escola Tenente Abílio
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana