conecte-se conosco


ROUBO

Em Nova Guarita, PM prende três e recupera quase 1 kg de ouro e R$ 23,7 mil de roubo

Publicado

Destaque

 

Policiais do Núcleo da Polícia Militar em Nova Guarita (697 km de Cuiabá) prenderem três suspeitos, dois homens de 18 e 22 anos, e uma adolescente de 16, e frustraram o roubo em uma loja de compra e venda de ouro na tarde desta sexta-feira (26.02).

Os assaltantes foram flagrados no momento em que deixavam o comércio levando 773,03 gramas de ouro (em forma de barra e pepitas), R$ 23,7 mil em dinheiro, R$ 5 mil em cheques, relógios e outras mercadorias. A adolescente era quem carregava a sacola com os produtos.

A adolescente fugiu em um veículo Volkswagen modelo UP. O condutor que a esperava no carro arrancou em marcha ré, contornou e depois seguiu em alta velocidade sendo acompanhado pelos policiais até a localidade conhecida por ‘Sétima Agrovila’, entre os municípios de Nova Guarita e Terra Nova do Norte. Nesse local um deles, de 18 anos, foi preso, e a adolescente fugiu se embrenhando em uma área de mata fechada.

Com reforço de equipes do 15º Comando Regional de Peixoto de Azevedo e Terra Nova do Norte, a PM seguiu em diligência por Nova Guarita, Terra Nova e outras regiões próximas. Logo depois, em uma rua de Nova Guarita ocorreu a prisão de um motociclista que deu apoio aos assaltantes.

Veja Também  Dono da Mecânica Goiás Disel de Várzea Grande morre em grave acidente

Já na MT-208, em Terra Nova do Norte, ocorreu a apreensão da adolescente que havia fugido. Todos os produtos roubados, que estavam no carro usado na tentativa de fuga, foram recuperados.

Os demais envolvidos já foram identificados pela Polícia Militar. Equipes continuam em diligências na região na tentativa de prendê-los. Os três suspeitos, a identificação dos outros envolvidos assim como todos os produtos recuperados foram entregues a Polícia Judiciária Civil.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque – denúncia 08000.65.39.39. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook

Destaque

Mato Grosso ultrapassa a marca de 9 mil mortes por Covid-19

Avatar

Publicado

Mato Grosso chegou a 9.031 mortes em decorrência da Covid-19 neste sábado (17), conforme dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT). Somente neste ano, foram 4.511 óbitos, o que representa 49,9% do total registrado durante a pandemia.

Em oito meses de pandemia em 2020, Mato Grosso notificou 4.520 mortes. Já nos primeiros quatro meses de 2021, o estado se aproxima desta marca.
Neste ano, a média de mortes é de 301 pessoas por semana.
No entanto, as últimas semanas foram mais letais. Em menos de duas semanas, morreram cerca de mil pessoas. No dia 5 deste mês, Mato Grosso bateu oito mil óbitos. Agora já são mais de 9 mil vidas perdidas.
O número de casos também está próximo do índice registrado durante 2020. No ano passado, foram 180,4 mil pessoas infectadas pelo coronavírus no estado. Neste ano, já são 161.843 casos confirmados.
Nas últimas 24 horas, Mato Grosso registrou 34 mortes em decorrência da Covid-19 e 1.169 novos casos.
Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (72.681), Rondonópolis (25.516), Várzea Grande (22.409), Sinop (17.959), Sorriso (12.304), Tangará da Serra (11.393), Lucas do Rio Verde (11.005), Primavera do Leste (9.771), Cáceres (7.351) e Alta Floresta (6.498).

Comentários Facebook
Veja Também  Em Mato Grosso, 31 municípios estão com risco muito alto de contaminação pela Covid-19
Continue lendo

Destaque

Dia Mundial da Hemofilia: condição genética dificulta coagulação

Avatar

Publicado

 

O Dia Mundial da Hemofilia, neste sábado, 17 de abril, foi criado com a finalidade de conscientizar a sociedade e difundir informações sobre a hemofilia e outras desordens hemorrágicas hereditárias que afetam mais de 24 mil pessoas no Brasil. A hemofilia afeta a coagulação do sangue e provoca dificuldade para controlar sangramentos.

Neste ano, a Associação Brasileira de Pessoas com Hemofilia (Abraphem) lançou a campanha Dominando a Hemofilia: Construindo Conhecimento para um Melhor Tratamento. No início do mês, a associação lançou um jogo de tabuleiro que foi distribuído gratuitamente a crianças de 6 a 9 anos em hemocentros de todo o país. Neste sábado, a associação vai lançar um vídeo educativo para crianças e promover um debate online sobre Inibidores: Mitos e Realidade. As informações estão no site da Abraphem.

De acordo com a presidente da associação, Mariana Freire, um dos desafios permanentes no Brasil é garantir atendimento multidisciplinar fora dos grandes centros: “Pacientes que vivem longe dos grandes centros ficam sem a possibilidade de tratamento ortopédico, fisioterapêutico e odontológico especializados, que são essenciais para a qualidade de vida das pessoas com hemofilia”.

Veja Também  Com mais de 35 anos de serviço prestado em Várzea Grande, morre Sandra Latorraca vitima de coronavírus

Pandemia

Outro tema de destaque neste ano são os desafios às pessoas com hemofilia no contexto da pandemia de covid-19. De acordo com Abraphem, no início da pandemia não houve tantos prejuízos.

O Ministério da Saúde orientou que fossem disponibilizadas doses dos fatores proteicos usados no tratamento da hemofilia para dois meses. O objetivo era evitar o deslocamento frequente dos pacientes aos hemocentros. No ano passado, consultas chegaram a ser suspensas, mas com a redução das curvas de mortes e casos de covid-19 em todo o país, muitos centros voltaram à rotina normal.

Contudo, com a chegada da segunda onda de covid-19 no fim do ano, as consultas voltaram a ser suspensas em muitos estados, o que gerou dificuldades de atendimento.

Características

A hemofilia está presente fundamentalmente em homens. A taxa de incidência é de um caso a cada 5 mil a 10 mil nascimentos para hemofilia A, e um a cada 30 mil a 40 mil na modalidade de hemofilia B. A diferença entre elas diz respeito ao fator de coagulação que cada uma atinge, além da incidência: o tipo A é cinco vezes mais comum que o B.

Veja Também  Nova lei traz mudanças nas regras para compra e venda de veículos; entenda

De acordo com a Abraphem, o único tratamento é o da infusão do fator de coagulação na veia. O procedimento é realizado em centros de tratamento de hemofilia.

Cuidados

Conforme a Abraphem, é importante que as famílias e amigos tratem pessoas com hemofilia da mesma forma que tratam outras. No caso de crianças que ainda não aprenderam a reconhecer dor e sangramento, a entidade faz algumas recomendações.

Pais devem observar, por exemplo, se há manchas roxas na pele ou em partes do corpo, perda de sangue pela boca ou algum músculo ou articulação contraídos ou com dificuldade de movimentação.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana