conecte-se conosco


Mato Grosso

Projeto ensina capoeira angola para iniciantes via plataforma digital

Publicado

Mato Grosso


Em razão da pandemia de Covid 19, muitas atividades presenciais em grupo passaram a ser realizadas no campo digital. Em Cuiabá, o projeto “Curso online de iniciação à capoeira angola em Mato Grosso”, desenvolvida pelo professor Éverton Medeiros, ensina elementos da capoeira trazidos pelos africanos de origem banto.

As aulas iniciaram em janeiro e terminam em abril, com o seminário de encerramento do curso com a participação de diversos mestres e professores de capoeira angola, com o objetivo de possibilitar troca de experiências. A iniciativa é contemplada pelo Edital MT Nascentes da Secretaria de Estado de Esporte, Cultura e Lazer (Secel-MT).

De acordo com o professor Éverton Medeiros, a ideia é proporcionar um ambiente de estudos e trocas de saberes sobre a capoeira angola, musicalidade, consciência física e mental, os reflexos e fortalecimento corporais e ritualidade. “O projeto teve boa adesão e as pessoas estão conseguindo desenvolver as habilidades e a apreensão dos fundamentos básicos da capoeira angola”.

A capoeira angola tem movimentos tradicionais, mas cada capoeirista tem a liberdade de reproduzir a partir da sua constituição física e gestualidade. O projeto conta com a parceria do grupo Quilombo Angola, que tem como mestre, Olavo Perri, e que desenvolve há 12 anos um projeto de extensão na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e com o Bando Maré de Março de Capoeira Angola e Samba de Roda, da Bahia, do mestre Guaxini do Mar.

Veja Também  Operação Armagedon prende autores de roubos violentos praticados na região de Chapada dos Guimarães

Conheça mais sobre o grupo Quilombo Angola pela rede social @quilomboangola.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Confaz restringe, mas Governo vai propor extensão da isenção do ICMS da energia solar

Avatar

Publicado


A respeito das dúvidas surgidas sobre a energia elétrica de fonte fotovoltaica (energia solar), nos últimos dias, o Governo do Estado informa que:

1) Não há incidência do ICMS sobre a energia fotovoltaica produzida e imediatamente consumida pela unidade consumidora;

2) Porém, durante o período do dia, em que se tem maior incidência solar, a usina fotovoltaica produz mais energia elétrica do que consome;

3) Esse excesso de energia elétrica produzida durante o dia pela usina fotovoltaica é injetado na rede de distribuição e será compensado com a energia consumida pela unidade;

4) É importante o registro de que o faturamento da energia elétrica pela concessionária abrange o preço da energia propriamente dita e o de uso do sistema de distribuição;

5) O Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ), desde o Convênio 16, de 22 de abril de 2015, desonerou a incidência do ICMS sobre a energia produzida que é injetada na rede de distribuição e, posteriormente, compensada pela unidade consumidora;

6) Contudo, no inc. I do § 1° da Cláusula Primeira do referido Convênio 16, de 2015, o CONFAZ decidiu, desde o ano de 2015, que a isenção do ICMS sobre a energia elétrica produzida a partir de fonte fotovoltaica injetada e compensada “não se aplica (…) aos encargos de conexão ou uso do sistema de distribuição”;

Veja Também  Terça-feira (20): Mato Grosso registra 346.743 casos e 9.233 óbitos por Covid-19

7) Assim, a concessionária distribuidora de energia elétrica em Mato Grosso, verificando que não estava observando o disposto na referida cláusula do Convênio n° 16, de 2015, passou a cobrar, a partir de abril deste ano, o ICMS incidente sobre o uso do sistema de distribuição da energia elétrica produzida pela unidade consumidora e injetada na rede;

8) O Governo do Estado reitera que não alterou nenhuma regra da sua legislação para aumentar a incidência do ICMS sobre a energia fotovoltaica e afirma que proporá ao CONFAZ alteração do inc. I do § 1° da Cláusula Primeira do referido Convênio 16, de 2015, para que o ICMS passe a não incidir também sobre o uso do sistema de distribuição da energia elétrica injetada na rede;

9) Sem a autorização do CONFAZ, nenhum Estado pode isentar o ICMS incidente sobre o uso do sistema de distribuição por energia fotovoltaica injetada na rede, de acordo com o disposto no art. 155, § 2°, XII, ‘g’, da Constituição Federal.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Mauro Mendes defende que vacinas compradas pelo Estado fiquem em Mato Grosso

Avatar

Publicado


Em reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o governador Mauro Mendes defendeu que as doses da vacina Sputnik V, adquiridas pelo Governo do Estado, sejam pagas pelo estado e aplicadas exclusivamente em Mato Grosso. Ao todo, o Estado adquiriu 1,2 milhão de doses da vacina contra a covid-19.

A reunião ocorreu na tarde desta terça-feira (20.04), por videoconferência, com a participação dos governadores do Norte, Nordeste e Centro-Oeste que compraram a Sputnik V.

De acordo com Mauro Mendes, o ministro da Saúde demonstrou intenção de requisitar as vacinas compradas pelos estados, pagar pelas doses, e incluí-las no Plano Nacional de Imunização (PNI).

“Eu tenho defendido que o Estado de Mato Grosso prefere, em primeiro lugar, pagar pelas vacinas para que nós fiquemos com essas vacinas aqui no estado”, afirmou o governador.

Mauro relatou que, caso não seja possível essa primeira alternativa, que o Ministério da Saúde inclua no PNI as doses, mas as entregue apenas aos estados que fizeram a compra, como forma de antecipar as doses que já o Ministério já iria entregar.

Veja Também  Confaz restringe, mas Governo vai propor extensão da isenção do ICMS da energia solar

“Ou seja, nós recebemos as vacinas aqui, aplicamos na nossa população, e as futuras entregas do PNI seriam descontadas e mandadas para os demais estados para poder futuramente reequilibrar essa conta em todo o país”, explicou.

A proposta de antecipação das doses, com a compensação, foi defendida por todos os governadores que adquiriram a Sputnik V. Marcelo Queiroga adiantou que irá encaminhar a proposta para análise da procuradoria do ministério.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana