conecte-se conosco


TSE

No Paraná, gestores e servidores discutem melhorias no processo eleitoral

Publicado

TSE


De dois em dois anos, logo após as eleições, os servidores do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) têm um encontro marcado para compartilhar as experiências vividas durante o período eleitoral e debater soluções para aperfeiçoar a prestação de serviços no pleito seguinte. É o encontro Prepara, que desde 2008 reúne, nas dependências da Corte Eleitoral paranaense, os servidores de todas as zonas eleitorais do estado para uma avaliação conjunta do desempenho da equipe ao longo da eleição.

Todas as sete edições realizadas foram marcantes e superaram as expectativas, que já eram bastante altas, segundo a servidora Solange Maria Vieira, da Coordenadoria de Planejamento Estratégico do Tribunal paranaense, uma das responsáveis pelo encontro.

“O Prepara é muito aguardado pelos servidores. Não só pela oportunidade de debater os temas da eleição, mas também pela promoção do encontro entre os colegas das zonas eleitorais e os da sede. A interação é um dos objetivos do evento. Criou-se uma cultura”, conta.

O encontro é patrocinado pelo presidente da Corte Eleitoral paranaense, desembargador Tito Campos de Paula, pelo vice-presidente e corregedor do TRE-PR, Vitor Roberto Silva, e pelo diretor-geral do Tribunal, Valcir Mombach.

Veja Também  Confira a pauta de julgamento da sessão plenária do TSE desta quinta-feira (15)

Ambientação e treinamento de novos servidores

O ingresso do analista judiciário Willian Gallera na Justiça Eleitoral, em 2007, coincide com a data da criação do encontro pós-eleições, que foi idealizado, inicialmente, como uma forma de dar as boas-vindas aos novos servidores da Casa, bem como de treiná-los para exercerem atividades judiciais e administrativas.

“Toda vez que termina o processo eleitoral, o TRE do Paraná chama os servidores do interior para se encontrarem na sede do Tribunal. Ali a gente discute o que aprendemos, o que pode ser melhorado, o que teve de problema. Nós apresentamos as dificuldades que tivemos à administração e ouvimos deles propostas de mudanças que podem ser implementadas para termos melhorias na próxima eleição. É um evento bem produtivo”, avalia o servidor, que já trabalhou na 146ª Zona Eleitoral de Londrina e está atualmente lotado na Coordenadoria de Planejamento Estratégico (Cope) do TRE-PR.

Ele destaca a importância de cada um dos eventos realizados para o aprimoramento do trabalho exercido pelos servidores, mas destaca a edição que ocorreu no mês seguinte ao das Eleições Gerais de 2018 como uma das mais emblemáticas.

Veja Também  TSE convoca novas eleições para prefeito de Boa Esperança (ES)

“Nossa atividade tem mudado muito no decorrer do tempo. A eleição de 2018 foi muito difícil para a gente, por conta da questão das fake news, principalmente no dia da votação. O Prepara foi um momento de desabafar um pouco sobre tudo o que a gente tinha passado ali”, lembra Willian.

Para o analista judiciário, toda discussão levada pelos servidores de todo o estado à Administração representa uma oportunidade de evolução profissional e um modo de reconhecimento do Tribunal pelos serviços prestados por eles. 

Em 2020, o evento tradicionalmente realizado depois das eleições não ocorreu, em razão das restrições impostas para prevenir o contágio pelo novo coronavírus, mas a expectativa é a de que o encontro possa acontecer ainda este ano.

Este texto faz parte da série “Nós somos a Justiça Eleitoral”, que vai mostrar a todos os brasileiros quem são as pessoas que trabalham diariamente para oferecer o melhor serviço ao eleitor. A série será publicada durante todos os dias de fevereiro, mês em que se comemora o aniversário de 89 anos de criação da Justiça Eleitoral.

BA/LC, DM

Fonte: TSE

Comentários Facebook

TSE

Clica e Confirma destaca os serviços que podem ser realizados nos sites do TSE e dos TREs

Avatar

Publicado


Já está no ar mais uma edição do Clica e Confirma, o podcast da Justiça Eleitoral. O episódio 43 mostra uma série de serviços oferecidos ao eleitor nos sites dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) de todo o país e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Com essa opção, o interessado não precisa se dirigir a um cartório eleitoral. É possível, por exemplo, tirar o título de eleitor, atualizar os dados no cadastro eleitoral e emitir certidões, como a de quitação eleitoral e a de crimes eleitorais.

Outro assunto no Clica e Confirma desta semana é a assinatura do acordo de cooperação técnica entre o TSE e a Presidência da República para implementar a Identificação Civil Nacional (ICN). O objetivo é promover o fortalecimento de um sistema nacional de identificação com documento único. Segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, a ICN tem dois grandes papéis: “Simplificar a vida dos cidadãos e permitir a conferência dos dados de cada cidadão, evitando fraudes”.

O programa ainda traz as informações da primeira eleição suplementar de 2021 realizada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR). Ao todo, 2.830 eleitores compareceram às urnas em Munhoz de Mello para escolher a nova administração municipal. A votação ocorreu das 7h às 17h, respeitando os protocolos de segurança sanitária, em dois locais de votação.

Veja Também  TSE realiza audiência pública para aquisição de novas urnas eletrônicas

O Clica e Confirma é apresentado pelo jornalista Rimack Souto. Você pode ouvir o Clica e Confirma no Spotify e no Portal do TSE.

PN/LC, DM

Fonte: TSE

Comentários Facebook
Continue lendo

TSE

TSE realiza audiência pública para aquisição de novas urnas eletrônicas

Avatar

Publicado


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizou na tarde desta sexta-feira (16) uma audiência pública para a divulgação à sociedade de informações sobre a futura aquisição de até 176 mil novas urnas eletrônicas a serem utilizadas nas Eleições Gerais de 2022. Em razão das medidas restritivas de distanciamento social impostas pela pandemia de Covid-19, a audiência foi realizada por videoconferência, com transmissão ao vivo pelo canal do TSE no YouTube.

A audiência pública é o primeiro passo para o processo de licitação, que segue as exigências da Lei nº 8.666/1993 (Lei de Licitações e Contratos). A compra dos novos equipamentos obedecerá ao Sistema de Registro de Preços, previsto no artigo 39 da referida lei. Recentemente, o Tribunal adquiriu 32.609 urnas do modelo UE 2020 para atualizar parte do parque tecnológico, em virtude da necessária substituição das urnas fabricadas em 2006 e 2008, cuja vida útil está esgotada.

Abertura

A mesa virtual da audiência pública foi presidida pelo juiz auxiliar da Presidência do TSE, Sandro Nunes Vieira. Também integraram a mesa o diretor-geral, Rui Moreira, a secretária de Administração, Adaíres Aguiar, a chefe da Assessoria Jurídica, Mércia Oliveira, o secretário de Tecnologia da Informação, Giuseppe Janino, e o coordenador de Tecnologia Eleitoral do TSE, Rafael Azevedo.

Ao abrir a reunião, Sandro Nunes Vieira ressaltou que as urnas eletrônicas são planejadas para serem substituídas após seis eleições, o que supera os 10 anos de uso desde a sua fabricação. Ele explicou que os principais motivos que levam a essa substituição são a obsolescência tecnológica, a necessidade de evolução da segurança ou o aumento da taxa de falhas nas urnas antigas. Assim, as mais de 194 mil urnas que completaram sua sexta eleição em 2020 devem ser substituídas antes do pleito de 2022.

Veja Também  TSE convoca novas eleições para prefeito de Boa Esperança (ES)

Em seguida, o secretário Giuseppe Janino destacou que o Brasil é a quarta maior democracia do mundo e realiza, a cada dois anos, a maior eleição informatizada do planeta. Giuseppe lembrou que o processo eletrônico de votação completou 25 anos de existência e mudou significativamente o cenário eleitoral brasileiro.

“Saímos de um processo eleitoral manual, com baixos índices de credibilidade, até alcançarmos a confiança da maioria dos cidadãos brasileiros graças à introdução da tecnologia como base de todos os procedimentos eleitorais, que vão desde o registro do eleitor para a captação e a apuração do voto até a divulgação dos resultados das eleições”, ressaltou.

Giuseppe enfatizou que a audiência pública inicia a missão de materializar mais uma versão da urna eletrônica, buscando sempre a atualização de seus componentes, por meio da utilização de tecnologias de ponta capazes de garantir o nível de excelência conquistado ao longo desses 25 anos, com segurança, integridade, auditabilidade e rastreabilidade, entre outros atributos.

Contribuições

Antes de iniciar a audiência, Rafael Azevedo fez um breve relato sobre as especificações técnicas de hardware, software, segurança, modelo de design, garantia e manutenção, embalagens, suprimentos, peças de reposição e cronograma de entrega das urnas nas 27 capitais do país, entre outras especificações.

Veja Também  Protocolos do TSE prestam atendimento a advogados e cidadãos

Rafael também ressaltou que, diante do quadro de pandemia, o TSE está estudando a questão dos protocolos sanitários para a realização dos testes técnicos de engenharia, que serão oportunamente divulgados pela Corte Eleitoral.

Todos os representantes das empresas especializadas inscritas para a audiência enviaram suas contribuições por escrito e preferiram não se pronunciar verbalmente. Eles optaram por aguardar os esclarecimentos do Tribunal sobre suas dúvidas, sugestões e contribuições para o aprimoramento do projeto básico elaborado pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TSE para a aquisição das urnas modelo UE 2022.

Os inscritos foram: Thialo Macedo e Marcelo Batistela (Daten); Marco Antônio Barbosa Lallo (Positivo Tecnologia); Vinícius Ferreira (HID Global); Zoltán Solymossy (Diebold); e Cristian Oliveira (Intel Brasil).

Confira o edital da audiência pública.

MC/LC, DM

Fonte: TSE

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana