conecte-se conosco


Mato Grosso

Adolescentes do Socioeducativo superam desafio do ensino a distância e fazem Enem

Publicado

Mato Grosso


O ano de 2020 foi atípico no Sistema Socioeducativo de Mato Grosso, em função da pandemia do coronavírus. Além da suspensão das visitas presenciais por um longo período, os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa tiveram que se adaptar ao estudo a distância. Vencendo este desafio, 34 estudantes fizeram a inscrição e participam, nesta terça-feira (23.02) e quarta-feira (24.02), do Exame Nacional do Ensino Médio Privado de Liberdade (Enem PPL).

A coordenadora de Educação do Sistema Socioeducativo, Marli Goveia de Oliveira, ressalta que para eles o exame proporciona não só a conclusão do Ensino Médio, mas a oportunidade de continuidade dos estudos em uma faculdade. “A escola incentiva essa participação, fazendo com que eles acreditem na possibilidade que a educação formal oferece, orientando na escolha de uma profissão”.

Ao longo de 2020, o trabalho pedagógico foi feito por meio de apostilas preparadas pelos professores, com escolha de temas e metodologias que possibilitavam o estudo a distância. As atividades feitas eram recolhidas, corrigidas e depois devolvidas com os comentários sobre as dúvidas de cada um.

Veja Também  8,6 mil doses de vacina já foram entregues a Cuiabá e Várzea Grande

Os adolescentes também fizeram simulados preparatórios para o Enem PPL. A coordenadora lembra que quando o estudo presencial estava ativo, também eram preparados cursinhos com os educandos que estavam no Ensino Médio. “Fizemos também simulados em outros anos, o que contribuiu para termos aprovados em universidade federal e privadas, por meio do Enem PPL”.

Caso o adolescente seja aprovado, a unidade socioeducativa faz, junto ao educando, a seleção do local, universidade e curso de interesse. Posteriormente, é feita a matrícula na universidade e a unidade comunica à Promotoria Pública e o juiz responsável, para liberação e início do curso.

“Já tivemos alunos que estavam internados e foram aprovados. Acompanhamos toda a escolha de curso e universidade, e também o início das aulas. Também tivemos outro caso com um adolescente, fizemos o mesmo procedimento, mas ele foi transferido de unidade, e não pudemos acompanhar o desfecho”, conta Marli Goveia.

Novo ano letivo

O ano letivo de 2021 teve início neste mês de fevereiro, com a mesma metodologia de uso de apostilas, desenvolvida no ano passado. Toda semana um grupo de professores entra no saguão e fica próximo de cada quatro alunos, explicando as atividades e solucionando as dúvidas. Depois, as atividades são corrigidas e retornam para eles.

Veja Também  Campanha de financiamento coletivo Museu de Arte Sacra 3D entra na reta final

“Pensamos, no início da pandemia, em várias metodologias, que poderiam ser aplicadas no atendimento do Socieducativo, como aulas gravadas para serem apresentadas em data show, ou aulas preparadas para apresentar em rádio, planejamos também a interatividade no computador, os professores gravariam nessas plataformas, mas infelizmente não houve essa possibilidade”, acrescenta a coordenadora.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Medeiros afirma que oportunismo político atrapalha conclusão da BR-158

Avatar

Publicado


Diante do impasse que se tornou a pavimentação da BR-158, do trecho conhecido como Contorno Leste, saindo de dentro da Terra Indígena Marãiwatsédé, o deputado federal José Medeiros (Podemos) propôs uma força-tarefa para mediar o conflito e viabilizar recursos para concluir a obra. Em conversa com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Medeiros reafirmou a viabilidade de fazer a estrada pelo reserva indígena, que representa cerca de 120 quilômetros e um custo de aproximadamente R$ 250 milhões.

“Há muito tempo venho discutindo e buscando uma solução para a BR-158. Eu disse para o presidente que não faz sentido o Brasil ficar refém da vontade de algumas pessoas. No caso da 158, apenas uma pessoa se posicionou contrário ao traçado original, que é passar a estrada dentro das terras indígenas. A maioria dos indígenas quer a rodovia por dentro, pois acreditam que ela trará melhorias como escolas, postos de saúde, estradas vicinais asfaltadas, entre outras”, disse o parlamentar.

Para colocar um fim nos conflitos, optou-se em fazer a estrada usando um contorno fora de terra indígena. Segundo Medeiros, isso vai praticamente triplicar o valor da obra e levar mais tempo para concluí-la.

Veja Também  Seduc prorroga prazo para distribuição dos kits alimentação escolar

“Falei sobre essa situação com o presidente. A expectativa é reunir com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, nos próximos dias, para buscar uma solução definitiva e célere para esse problema antigo e que envergonha Mato Grosso e o Brasil”, frisa Medeiros.

Medeiros critica o uso político por parte de alguns parlamentares que preferem atacar o Governo Federal e o ministro da Infraestrutura ao invés de ajudar de forma efetiva a resolver a situação.

“O governo está trabalhando para solucionar os problemas de infraestrutura de Mato Grosso. Porém, existem vários impedimentos que travam algumas obras, como é o caso da BR-158. Além das dificuldades orçamentárias, existem ações do Ministério Público Federal (MPF), Organizações Não Governamentais e a questão indígena que impedem que algumas obras sejam executadas de forma célere. O interessante é ver parlamentar de Mato Grosso, como é o caso do senador Carlos Fávaro (PSD), criticando o governo Bolsonaro e o ministro Tarcísio. Ele [Fávaro] não contribuiu com um centavo em emenda para a BR-158. Precisamos deixar de lado o oportunismo político, as falácias e unir forças com a União para resolver o problema que prejudica o escoamento da produção do nosso estado e milhares de pessoas”, enfatiza o deputado federal.

Veja Também  Festival de Narração de Histórias de Primavera do Leste encerra neste sábado (27)

A BR-158 tem aproximadamente 800 quilômetros em Mato Grosso, ligando os municípios de Barra do Garças a Vila Rica – na divisa com o Pará.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Seduc entrega 364 aparelhos de ar condicionado e mobiliário para escolas de Rondonópolis

Avatar

Publicado


A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) fará na segunda-feira (1º.03) a entrega de 364 aparelhos de ar condicionado e mobiliário para 11 escolas da rede estadual de ensino do município.

Na oportunidade, o secretário de Educação, Alan Porto, concederá entrevista à imprensa local, na Escola Estadual Professora Renilda da Silva Moraes, no bairro Coophalis, às 10 horas.

As escolas beneficiadas com aparelhos de ar condicionado e mobiliário serão: EE Antônio Guimarães Balbino; EE Prof. Eunice Souza dos Santos; EE Marechal Dutra; EE Prof. Domingos Aparecido; EE Sebastiana Rodrigues de Souza; EE Ramiro Bernardes da Silva; EE Joaquim Nunes Rocha; EE Prof. Carlos Pereira Barbosa; EE Prof. Maria Elza Ferreira Inácio; EE Prof. Amélia de Oliveira Silva; e EE Prof. Renilda da Silva Morais.

Serviço
Seduc entrega aparelhos de ar condicionado e mobiliário para escolas de Rondonópolis
Data e hora: segunda-feira (1º.03), às 10h
Local: Escola Estadual Professora Renilda da Silva Moraes, em Rondonópolis

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Veja Também  Campanha de financiamento coletivo Museu de Arte Sacra 3D entra na reta final
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana