conecte-se conosco


Cuiabá

Cuiabá receberá quatro pacientes em estado grave de Covid-19 oriundos de Rondônia

Publicado

Cuiabá


Assessoria

Clique para ampliar

Cuiabá vai receber quatro pacientes em estado grave da Covid-19 procedentes do estado de Rondônia, onde o sistema de saúde colapsou pela falta de leitos e profissionais da saúde suficientes para atender a toda a demanda. Dos transferidos, que devem chegar ainda nesta terça-feira (21), dois ocuparão leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Referência à Covid-19 e dois ficarão em leitos de UTI no Hospital São Benedito. 

O prefeito Emanuel Pinheiro destacou que o momento é de solidariedade mútua entre os entes federativos, neste momento de pandemia. “Lamentavelmente, nós recebemos a notícia de que o estado de Rondónia estava com cerca de 40 pacientes a espera de leitos de UTI Covid. O governo de Rondônia solicitou ao Ministério da Saúde, na segunda-feira (25), a transferência desses pacientes para outros estados, inclusive Mato Grosso. E nós, da Prefeitura de Cuiabá,  prontamente nos colocamos à disposição para oferecer essa ajuda humanitária tão necessária, para salvar vidas de irmãos brasileiros, oferecendo leitos de UTI para tratamento desses pacientes. Tenho acompanhado diariamente os números relativos aos casos confirmados e às taxas de ocupações dos nossos hospitais, juntamente com o Comitê de Enfrentamento à Covid-19. Graças a Deus e ao Senhor Bom Jesus de Cuiabá, estamos em uma situação relativamente confortável para conseguir atender à nossa população e ainda poder estender a mão àqueles que vêm de outras cidades e estados da federação”, destacou o prefeito.

Veja Também  Secretária acompanha vereadores em visita de inspeção no Hospital de Referência que disponibiliza 95 leitos de UTI's exclusivas para Covid

A secretária municipal de saúde, Ozenira Félix, afirmou que, tão logo recebeu o pedido de ajuda da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a incumbência de acolher os pacientes rondonienses do prefeito Emanuel Pinheiro, determinou às equipes de regulação e dos hospitais que tomem todas as providências necessárias para garantir o atendimento médico aos transferidos. “A Secretaria de Estado de Saúde, através do secretário Gilberto Figueiredo, entrou em contato conosco solicitando esse apoio, com a oferta de leitos de UTI. E nós, com o aval do prefeito Emanuel Pinheiro, nos colocamos à dispoção imediatamente. Entendemos a gravidade da situação de Rondônia e não podemos nos esquivar da missão de ajudar a salvar vidas num momento tão delicado como este. A equipe da Secretaria Municipal de Saúde está toda empenhada para garantir esse acolhimento. ”, destacou. 

No último domingo (24), a Prefeitura de Cuiabá, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), já ofereceu ajuda humanitária a pacientes acometidos pela Covid-19 oriundos de Manaus, que estavam sendo transferidos em uma avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para Uberaba (MG) e fizeram pouso no aeroporto Marechal Rondon para que a aeronave fosse reabastecida. Na ocasião, a SMS enviou uma ambulância de suporte avançado, com médico e enfermeiro, que entrou na pista e se posicionou ao lado do avião da FAB. Não foi necessário uso da equipe de emergência pois não houve intercorrência enquanto os pacientes a bordo aqui estiveram. 

Veja Também  Prefeitura recebe 6.410 doses de vacina e avança na campanha de imunização em Cuiabá

Comentários Facebook

Cuiabá

Museu do Rio passa por reforma e revitalização completa

Avatar

Publicado


Davi Valle

Clique para ampliar

O Museu do Rio, um do cartões postais de Cuiabá, recebe serviços de reforma e revitalização do local a fim de oferecer todo conforto e segurança aos visitantes. A Prefeitura de Cuiabá – por meio da Secretaria Municipal de Turismo trabalha nessa reestruturação para o fortalecimento do setor, conforme determinação do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro.  

Toda a rede elétrica de baixa tensão será substituída para garantir o funcionamento de condicionadores de ar, do sistema de vigilância eletrônica e para a implantação de novos equipamentos de sonorização modernos.

“Essas ações visam a reintegração do Rio Cuiabá ao convívio dos munícipes, resgatando e valorizando esse patrimônio histórico e cultural presente na região com opções de gastronomia, entretenimento e lazer”, disse a secretária municipal de Turismo, Iracilda Campos.

O Museu do Rio foi construído em 1899 e tombado pelo governo do Estado em 1983. Recuperado pela Prefeitura, o imóvel passou a abrigar o Museu do Rio Cuiabá, recebendo o nome de “Hid Alfredo Scaff”.

“Temos que focar em ações que tragam resultados satisfatórios à população. Uma das marcas do nosso prefeito Emanuel Pinheiro é a valorização do que  Cuiabá tem, fazendo renascer o turismo que está adormecido”, comentou Iracilda.

Veja Também  Secretária acompanha vereadores em visita de inspeção no Hospital de Referência que disponibiliza 95 leitos de UTI's exclusivas para Covid

Com a reabertura do local, serão realizados eventos culturais, exposições, feiras e atividades para atrair turistas e até os próprios moradores da capital, sendo esse um dos principais objetivos de desmembramento da pasta do Turismo.

“Todo esforço está sendo dispensado para entregar mais esse presente do aniversário dos 302 anos da capital. Após a entrega oficial, serão mantidas todas as normas de biossegurança a fim de evitar a proliferação do Covid-19”, informou a secretária municipal de Turismo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Mães relatam alívio por filhos conseguirem aplicação de medicamento de alto custo

Avatar

Publicado


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

Davi Lucca Maia Rodrigues, 6 meses, nasceu com hipoplasia do coração esquerdo, uma anomalia muito grave que compromete a oferta de sangue para o coração, que a mãe dele, a vendedora Roseli Barbosa Maia, descobriu no quinto mês de gestação. Segundo ela, ainda na gravidez, o médico que a acompanhou no pré-natal disse que seu filho teria que nascer em outra capital porque senão, não viveria mais do que duas horas após o parto. “Tive muita fé e com 6 dias de vida dele, fomos para São Paulo fazer uma cirurgia, uma bandagem nos ramos pulmonares e a colocação de um stent na válvula do coração”, conta Roseli. Durante a internação do filho, ela foi orientada pelo cardiologista que o filho deveria ser medicado com a imunoglobulina Palivizumabe, medicamento de alto custo (em média R$ 5 mil a dose no mercado) que ajuda o sistema imunológico da criança a se prevenir contra doenças respiratórias.

Ao retornar para Cuiabá, Roseli continuou o tratamento cardiológico do filho e, com o início da sazonalidade do vírus sincicial respiratório (VSR), conseguiu os encaminhamentos necessários junto ao cardiologista Alessandro Gonçalves, que atende no Centro de Especialidades Médicas (CEM), da Secretaria Municipal de Saúde, e deu entrada no pedido para aplicação da imunoglobulina em seu filho, que recebeu a primeira das cinco aplicações na quarta-feira (24). “Foi muito rápido! Entrei com o pedido segunda-feira passada (15) e hoje ele já está tomando a vacina. Fiquei muito feliz de ter conseguido. Tudo o que for para ajudar a saúde do meu filho é bem-vindo”, disse esperançosa de que o filho não terá que enfrentar novas internações.

Veja Também  Semob vai atuar contra motoristas que estacionam em vagas de idosos e deficientes em supermercados e shoppings

Quem já passou pela experiência com o filho de ter a assistência da aplicação do Palivizumabe por parte da Secretaria Municipal de Saúde é a dona de casa Enielza dos Santos, mãe de Elias dos Santos Magalhães de Souza, 1 ano e 11 meses. Em 2020, ele recebeu cinco doses da imunoglobulina de forma totalmente gratuita e, neste ano, ele tomou sua primeira e última dose, uma vez que a aplicação pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é garantida até a idade em que Elias está atualmente. 

De acordo com Enielza, o filho já nasceu com cardiopatia e foi submetido à cirurgia aos 10 meses de idade. Desde então, ele passou a sempre sofrer com gripes e resfriados. “Qualquer ventinho que ele pegava já ficava gripado. Ele não conseguia respirar, se debatia. Era desesperador!”, recorda. Mas ela também relembra que, logo que o filho passou a tomar a imunoglobulina Palivizumabe pela rede municipal de Saúde, o filho nunca mais sofreu com isso. “Parece que tirou com a mão. Depois da primeira dose, ele nunca mais ficou gripado. Olha, é Deus em primeiro lugar e depois o medicamento”, agradece a mãe de Elias. 

Veja Também  Um dia após morte do tio, Pinheiro lamenta falecimento de sua tia também pela COVID-19

Desde 2019, Cuiabá passou a ser um polo de aplicação da imunoglobulina Palivizumabe. Antes, o medicamento somente era ofertado na rede estadual. Ele é destinado para crianças nascidas com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas (até 28 semanas e 6 dias) com idade inferior a 1 ano (até 11 meses e 29 dias) ou crianças com idade inferior a 2 anos (até 1 ano, 11 meses e 29 dias) com doença pulmonar crônica da prematuridade, displasia bronco pulmonar ou doença cardíaca congênita com repercussão hemodinâmica comprovada.

A médica da família Renata Amoroso, que atua na aplicação do Palivizumabe em Cuiabá, explica que a imunização ocorre nos meses de maior circulação do vírus sincicial respiratório (VSR) que, conforme estudos do Ministério da Saúde, vai de março a julho, no Centro-Oeste brasileiro. Mais do que a aplicação do remédio, o atendimento também compreende uma consulta, onde é feita a pesagem da criança, a ausculta do coração, entre outras avaliações. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana