conecte-se conosco


Saúde

Fiocruz esclarece negociação de doses prontas da vacina de Oxford

Publicado

Saúde


A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) esclareceu, por meio de nota publicada hoje (25), que negocia a importação de um novo lote de doses prontas da vacina AstraZeneca/Oxford, mas que ainda não foi acertado o número de doses. 

A importação de doses prontas é uma estratégia adicional da fundação para adiantar a vacinação, enquanto não recebe o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) necessário para iniciar a produção das doses no Brasil. Na semana passada chegaram ao país 2 milhões de doses fabricadas no Instiuto Serum, na Índia, que também é parceiro da AstraZeneca. 

O acordo da Fiocruz com a empresa europeia e a Universidade de Oxford previa que o Instituto de Tecnologia em Imunobiolóigicos (Bio-Manguinhos) receberia em janeiro dois lotes do IFA, suficientes para a produção de 7,5 milhões de doses cada um, permitindo assim a produção das primeiras 15 milhões de doses em território nacional. 

Segundo a Fiocruz, o primeiro lote do IFA está pronto para embarque na China, onde é produzido, e aguarda apenas a  emissão da licença de exportação e a conclusão dos procedimentos alfandegários. Apesar disso, a previsão, ainda sem confirmação, é que a carga pode ser enviada em 8 de fevereiro.

Veja Também  Texto que fala em mais de 20 óbitos após vacinas no Brasil é falso, diz Anvisa

A fundação garante que a AstraZeneca “tem tomado todas as medidas possíveis para proceder com o embarque dos ingredientes no menor prazo possível e conta com o apoio do governo brasileiro, por meio do Ministério das Relações Exteriores e Ministério da Saúde, nas conversas com as autoridades competentes para proceder com o embarque do IFA”. 

A programação inicial previa que, a partir de janeiro, a Fiocruz receberia um lote de IFA a cada duas semanas, totalizando 14 lotes, que seriam suficientes para produzir 100,4 milhões de doses da vacina no primeiro semestre.

A partir do segundo semestre, o acordo de transferência de tecnologia prevê que Bio-Manguinhos nacionalize a produção dos ingredientes, tornando-se autossuficiente para a produção de mais 110 milhões de doses até o fim de 2021.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook

Saúde

Consórcio para compra de vacinas tem adesão de 649 prefeituras

Avatar

Publicado


O consórcio de municípios para compra de vacinas contra a covid-19 já teve manifestação de interesse de 649 prefeituras, segundo a lista divulgada hoje (3) pela Federação Nacional de Prefeitos (FNP). A iniciativa foi lançada na segunda-feira (1º) em uma reunião com cerca de 300 prefeitos.

As administrações municipais podem assinar o termo de intenção do consórcio até sexta-feira (5). A previsão é que a associação seja efetivamente instalada até o dia 22 de março. Deve ser ainda elaborado um modelo de projeto de lei para ser enviado às câmaras municipais para que as cidades participem das compras. 

A ideia é que as prefeituras possam comprar as vacinas caso o Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, não seja capaz de suprir toda a demanda. “O consórcio não é para comprar imediatamente, mas para termos segurança jurídica no caso de o PNI não dar conta de suprir toda a população. Nesse caso, os prefeitos já teriam alternativa para isso”, explicou o presidente da FNP, Jonas Donizette, durante a reunião de lançamento da iniciativa. 

Veja Também  Covid-19: Vacina Covaxin apresenta 80,6% de eficácia em estudos preliminares

Estão sendo avaliadas formas de financiar a aquisição dos imunizantes. Há três possibilidades principais: recursos do governo federal; financiamento por organismos internacionais e doações de investidores privados brasileiros.

A lista de prefeituras que demonstraram intenção de aderir ao consórcio está disponível na página da FNP.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

São Paulo abre 500 novos leitos na rede pública para conter avanço da Covid-19

Avatar

Publicado


source
São Paulo abre 500 novos leitos na rede pública para conter avanço da Covid-19
Rogerio Santana/Governo do Rio de Janeiro

São Paulo abre 500 novos leitos na rede pública para conter avanço da Covid-19

O governo do estado de São Paulo anunciou, na tarde desta quarta-feira (3), durante coletiva de imprensa, que vai abrir 500 novos leitos na rede pública de saúde do estado para conter o avanço da pandemia de Covid-19 no estado. Deste número total, 339 leitos serão de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e outros 161 leitos serão em enfermarias.

Segundo o governador do estado, João Doria (PSDB), os 500 novos leitos serão ativados de maneira gradual, a partir do dia 8 de março. Ainda segundo a gestão estadual, São Paulo aumentou em 152% os leitos de UTI para conter o avanço da Covid-19.

Em atualização 



Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Veja Também  Texto que fala em mais de 20 óbitos após vacinas no Brasil é falso, diz Anvisa
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana