conecte-se conosco


Internacional

Câmara aprova impeachment de presidente dos EUA

Publicado

Internacional


A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou, hoje (13), o impeachment do presidente Donald Trump. Trump foi acusado formalmente de incitar uma insurreição contra o governo dos Estados Unidos. O impeachment na Câmara desencadeia um julgamento no Senado.

O único artigo do impeachment foi aprovado pela Câmara, de maioria democrata, por 232 a 197. Dez votos foram de republicanos, partido do presidente, que está nos últimos dias de seu mandato.

A votação realizada com as forças da Guarda Nacional e a polícia protegendo o Capitólio, que foi cercado por uma cerca de segurança erguida após o tumulto de 6 de janeiro.

O processo segue agora para o Senado, atualmente de maioria republicana. O Senado retorna do recesso em 19 de janeiro.

No dia 6, uma multidão invadiu o Capitólio e interrompeu a certificação formal da vitória do presidente eleito, Joe Biden, na eleição de 3 de novembro. Cinco pessoas morreram durante a invasão, inclusive um policial. Biden deve assumir o cargo em 20 de janeiro.

* Com informações da Agência Reuters

Edição: Fábio Massalli

Veja Também  Auroras boreais podem ser vistas nas noites geladas do Norte da Europa

Comentários Facebook

Internacional

Biden vai pedir quarentena a passageiros internacionais

Avatar

Publicado


O presidente norte-americano, Joe Biden, assinou decreto nessa quinta-feira (21) para requerer que passageiros internacionais de viagens aéreas façam quarentena ao chegarem aos Estados Unidos (EUA). Ele orientou as agências do país a implementarem rapidamente uma obrigação federal de uso de máscaras em transportes entre os estados.

O decreto de Biden diz que, “na medida do possível”, viajantes aéreos precisam cumprir as orientações do CDC [Centro de Controle e Prevenção de Doenças] em relação a viagens internacionais, “incluindo períodos recomendados de autoquarentena”, mas não explica como isso será aplicado.

O decreto também orienta as agências dos EUA a manterem conversas com o Canadá e México em relação a “protocolos de saúde pública para postos de entrada por terra”, incluindo a implementação de diretrizes do CDC. Quase todas as viagens não essenciais nas fronteiras terrestres dos EUA com o Canadá e México foram suspensas até 21 de fevereiro.

Comentários Facebook
Veja Também  Auroras boreais podem ser vistas nas noites geladas do Norte da Europa
Continue lendo

Internacional

Armas nucleares: ONU e papa saúdam tratado sem assinatura de potências

Avatar

Publicado


 O tratado internacional de proibição de armas nucleares, não assinado pelos países que têm armamento atómico, entra nesta sexta-feira (22) em vigor, numa concretização saudada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pelo papa Francisco.

“O tratado representa uma etapa importante no caminho para um mundo sem armas nucleares e demonstra forte apoio a iniciativas multilaterais de desarmamento nuclear”, destacou, em comunicado, o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Trata-se do “primeiro tratado multilateral de desarmamento nuclear concluído em mais de 20 anos”, acrescentou Guterres, que pediu “a todos os Estados para trabalharem no sentido do progresso da segurança e proteção coletivas”.

O documento proíbe a utilização, o desenvolvimento, a produção, os testes, o estacionamento, o armazenamento e a ameaça de uso dessas armas.

É o “primeiro instrumento juridicamente vinculativo a proibir explicitamente essas armas, cuja utilização tem impacto indiscriminado, atinge grande número de pessoas em pouco tempo e causa danos a longo prazo ao ambiente”, considerou nesta semana o papa Francisco.

“Encorajo vivamente todos os Estados e todas as pessoas a trabalharem com determinação para promover as condições necessárias a um mundo sem armas nucleares, contribuindo para o avanço da paz e da cooperação multilateral, de que a humanidade tanto precisa hoje em dia”, acrescentou.

Veja Também  China diz que dez homens presos em mina de ouro procuram colegas

Também o presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Peter Maurer, disse, em comunicado, que esta é uma vitória para a humanidade, destacando a necessidade de atingir o objetivo do tratado: “um mundo sem armas nucleares”.

Em 24 de outubro, o tratado, aprovado por uma centena de nações, foi ratificado por 50 países, o que permitiu a entrada em vigor 90 dias depois, ou seja, hoje.

Cenário atual e reações

Com os Estados Unidos e a Rússia, que detêm 90% desse tipo de armamento, o mundo conta com nove potências nucleares: China, França, Reino Unido, Índia, Paquistão, Israel e Coreia do Norte.

A maioria desses países defende que os arsenais servem de dissuasão e afirmam aplicar o tratado de não proliferação, que visa a impedir a disseminação do armamento a outras nações.

O tratado de proibição das armas nucleares foi estabelecido por iniciativa da Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (Ican), uma organização não governamental distinguida com o prémio Nobel da Paz em 2017.

O Japão, único país bombardeado com armas nucleares, não assinou o tratado e questionou a eficácia do documento por não ter sido aprovado pelas potências atômicas.

Veja Também  Modi diz que Índia é autossuficiente em vacinas contra covid-19

Portugal também não assinou o tratado por considerar que não responde à necessidade de desarmamento e não observa as preocupações de segurança de muitos países, afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, em entrevista ao jornal online SeteMargens.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana