conecte-se conosco


Direto de Brasília

Mesmo após saber de aliada com Covid-19, Boulos manteve agenda com sete eventos

Publicado

Direto de Brasília


source
Boulos
Reprodução

Candidato participou de entrevistas, comícios e outros eventos de campanha ao longo dos últimos dias

Nesta sexta-feira (27), o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos , confirmou que testou positivo para a Covid-19, o que acarretou no cancelamento do último debate com Bruno Covas , atual prefeito que tenta a reeleição, antes do 2° turno das eleições, medida de segurança que não foi seguida pela campanha em eventos anteriores, mesmo após receber a informação de que a deputada Sâmia Bomfim havia sido infectada .

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, Boulos participou de sete eventos desde a última segunda-feira, data em que foi informado da condição de saúde de Sâmia e três dias após o último encontro entre eles. Neste momento, o psolista resolveu realizar um teste, algo que acabou ocorrendo apenas na quinta-feira (26). Assim, a confirmação acabou vindo sete dias após o evento em que ambos estiveram reunidos.

Veja Também  Bloco de Lira é protocolado adicionando dois partidos: PSL e Podemos

Neste período, Boulos esteve em encontro com líderes evangélicos, participou de evento de rua com cerca de 100 pessoas no centro de São Paulo, deu entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura , se encontrou com servidores públicos da área de segurança pública e com o arcebispo dom Odilo Scherer, participou de sabatina na rádio CBN, além de ter se encontrado com mulheres na zona leste para tratar de violência doméstica e em um segundo comício na região da Santa Ifigênia.

Ainda de acordo com a reportagem, Boulos chegou a fazer diversas reuniões com sua equipe e deu outras entrevistas, mas de forma remota. Em todos os compromissos, a campanha informou que todos os presentes usaram máscaras de proteção todo o tempo e que todos os protocolos foram seguidos. Sobre a realização do teste, foi escolhida a “melhor janela” para detecção, entre o terceiro e o décimo dia, na tentativa de evitar um falso negativo e manter a transparência sobre o tema.

Comentários Facebook

Direto de Brasília

Presidente da OAB é convocado por juristas para discutir impeachment

Avatar

Publicado


source
O novo presidente da OAB, Felipe Santa Cruz
Reprodução/OAB

O novo presidente da OAB, Felipe Santa Cruz

presidente da Ordem dos Advogados do Brasil ( OAB ), Felipe Santa Cruz, foi convidado por advogados, juristas e membros da classe artística para discutir a elaboração de um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinado pela entidade.

Os idealizadores visam convencer Santa Cruz da necessidade da OAB encaminhar um pedido à Câmara dos Deputados . O próprio presidente da ordem dos advogados foi alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro, que disse que o seu pai despareceu durante o período militar por casa de traição dos companheiros ao invés de ter sido raptado por militares durante a ditadura. A Comissão da Verdade apurou que Fernando Santo Cruz desapareceu em 1974, preso por militares agentes do Doi-Codi, no Rio de Janeiro.

Membros do grupo de advogados Prerrogativa, dos movimentos Basta!, Juntos e Somos, além da produtar musical Paula Lavigne articulam o encontro com o representante da OAB. As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Direto de Brasília

Projeto prorroga até abril pagamento do auxílio emergencial, com valor de R$ 600

Avatar

Publicado


O Projeto de Lei 5650/20 prorroga o pagamento do auxílio emergencial como medida de enfrentamento à pandemia de Covid-19, com valor de R$ 600, até abril deste ano. O auxílio foi criado pela Lei 13.982/20 para atender pessoas em situação de vulnerabilidade social durante a emergência de saúde pública provocada pela doença. O projeto tramita na Câmara dos Deputados.

Pago desde abril de 2020, sendo as cinco primeiras parcelas de R$ 600 e as quatro últimas de R$ 300, o auxílio emergencial acabou extinto em 31 de dezembro do ano passado, juntamente com o fim da vigência do decreto 6/20, que reconheceu a situação de emergência de saúde no País.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Tema: Discussão sobre o PL 2881/19. Dep. Chiquinho Brazão (AVANTE - RJ)
Chiquinho Brazão: auxílio traz vantagens sociais e econômicas

Autor do projeto, o deputado Chiquinho Brazão (Avante-RJ) avalia que as vantagens sociais e econômicas trazidas pelo auxílio emergencial devem ser mantidas. “Ainda que de forma temporária, o benefício contribuiu para reduzir o índice de pobreza da população e para manter a atividade econômica”, diz Brazão.

Veja Também  Candidato de Alcolumbre ao Senado diz não ver crime que justifique impeachment

“Caso o auxílio não tivesse sido oferecido desde abril de 2020, o índice de pobreza teria saltado para 36% durante a pandemia. Além da queda de renda da população, o fim do benefício vai afetar a arrecadação de estados e municípios e os pequenos comércios locais”, acrescentou.

STF
Uma liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), em 30 de dezembro de 2020, garantiu a prorrogação das medidas sanitárias de enfrentamento à pandemia, mas não prorrogou o decreto que reconheceu o estado de calamidade pública nem o pagamento do auxílio-emergencial.

Na prática, com o fim do estado de calamidade, o governo volta a ficar submetido às imposições da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), sendo obrigado a cumprir metas de execução do orçamento e limites de endividamento e de gastos com pessoal, o que reduz sensivelmente os recursos disponíveis para financiar políticas de assistência social e ações emergenciais na saúde e no setor produtivo.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Ana Chalub

Veja Também  Comissão de juristas vai revisar legislação sobre racismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana