conecte-se conosco


Mato Grosso

Governo apresenta plano de obras na Transpantaneira a empresários da região do Pantanal

Publicado

Mato Grosso


Construção de pontes de concreto, reforma de pontes de madeira, encascalhamento e manutenção da Rodovia Transpantaneira (MT-060) fazem parte do plano de ações da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), em parceria com Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), para recuperar a malha rodoviária, melhorar o acesso e, por consequência, impulsionar a retomada do turismo da região do Pantanal mato-grossense.

As ações foram apresentadas pelo secretário adjunto de Obras Rodoviárias da Sinfra, Nilton de Britto, aos empreendedores, proprietários de pousadas no Pantanal e membros da associação do ecoturismo durante reunião por videoconferência na sexta-feira (27.11), que contou ainda com a presença do secretário adjunto de Turismo da Sedec, Jefferson Moreno.

Também participaram do encontro o presidente da Associação de Defesa do Pantanal (Adepan), Ivan Freitas, o diretor e o engenheiro da Adepan, Leopoldo Nigro e Sérgio Arruda, respectivamente, além do superintendente de Parcerias da Sinfra, Fernando Campos e o engenheiro da Sinfra, Michel Medina.

Nilton de Britto apresenta plano de obras na Transpantaneira a empresários da região do Pantanal

De acordo com o adjunto Nilton de Britto, serão construídas nove pontes de concreto em substituição às pontes de madeira que foram queimadas nos incêndios que atingiram a região do Pantanal e que ficaram com estrutura bastante prejudicada. Desse montante, cinco pontes já terão suas obras iniciadas na próxima semana e a empresa já está mobilizada para isso.

“Já temos licitadas e contratadas as obras de nove pontes de concreto e já autorizamos a construção de cinco pontes e um bueiro. Já está autorizado. As outras quatro vamos começar no ano que vem, pois o mercado está com dificuldade para adquirir aço. Assim que cravar as fundações, o que deve levar em média uma semana para cada ponte, a cada 15 dias ficará pronta uma ponte. Os projetos dessas pontes novas são diferentes das que já foram construídas lá. São pontes mais baixas, sem aqueles aterros tobogã”, explicou.

Ainda segundo Nilton, já está nos planos da secretaria realizar a substituição das pontes de madeira por bueiros, que são alternativas mais resistentes, com custo mais baixo do que a construção de uma ponte de concreto e igualmente eficientes.  Hoje, das 120 pontes existentes na rodovia, 83 são feitas de madeira. 

Veja Também  Terça-feira (26): Mato Grosso registra 210.567 casos e 5.019 óbitos

“Queremos acabar com as pontes de madeira na transpantaneira no ano que vem. Todas elas. Nós temos esse planejamento. De 83 pontes de madeira na Transpantaneira, 40 delas serão substituídas por bueiros. No mínimo, talvez até mais. Algumas outras pontes serão aterradas e vão sumir definitivamente. Mas até lá, ninguém vai deixar de passar na Transpantaneira. Aonde puder passar por desvios, vão passar. Não haverá nenhum prejuízo para o acesso”, garantiu.

Serão construídas pontes de concreto, feita a reforma de pontes de madeira e manutenção da rodovia.

Para assegurar essa trafegabilidade pela Transpantaneira, a Sinfra já tem em vigência um convênio com a Associação de Defesa do Pantanal para a execução de melhorias na malha rodoviária, com a conservação e manutenção da rodovia, além da reforma das pontes de madeira que ainda não serão alvo das obras definitivas. 

“Nós estamos preocupados. Tem engenheiro nosso que quase toda semana está indo na Transpantaneira e nós estamos sabendo tudo que está acontecendo. Então, vocês não estão abandonados. O Governo não está abandonando vocês”, disse Nilton de Britto aos empresários. 

O presidente da Adepan, Ivan Freitas da Costa, explicou que está dentro do planejamento o início dos serviços de patrolamento, já na próxima semana, principalmente nos locais que receberam as chuvas mais recentes. Já os desvios, necessários para garantir o trânsito na rodovia durante o período de construção de pontes de concreto, também serão reforçados. Além disso, será dada continuidade às reformas das pontes, cujos serviços estão em andamento desde o mês de outubro.

“Nós já fizemos um desvio em três pontes que foram 100% queimadas. Nessa semana estaremos reforçando esse desvio, aumentando o nível desses desvios. Após esse aumento, faremos o encascalhamento desse desvio. Além disso, já estamos trabalhando na ponte onde será feita uma galeria. Já fizemos o nivelamento para receber essa galeria. Iremos fazer o encascalhamento do local para receber o concreto e a galeria. Também estamos trabalhando desde o mês de outubro nas pontes de madeira. Já são quatro pontes totalmente reformadas”, esclareceu.

Transpantaneira é a principal estrada que dá acesso ao Pantanal e Ação busca a melhoria da malha rodoviária 

Ivan Freitas lembrou ainda que já foram 100 caminhões de cascalho distribuídos nos pontos críticos da rodovia e a previsão é de que, tão logo as pontes forem concluídas, seja possível estocar o cascalho em pontos estratégicos para melhorar a trafegabilidade durante o período chuvoso.

Veja Também  Servidores são capacitados para uso da nova tecnologia educacional

Para Diego Rondon, proprietário de uma pousada no Pantanal, ter o conhecimento dos projetos e de todo o planejamento para melhorias essa rodovia é muito importante, especialmente neste momento em que o segmento hoteleiro atua  pela retomada do turismo na região. “Eu quero fazer investimentos e preciso desses dados, dessa segurança”, disse.

O secretário adjunto de Turismo, Jefferson Moreno, considerou que esse investimento em melhorias  de infraestrutura rodoviária é uma importante ação que vai contribuir com a retomada do turismo da região, que sofreu com o fechamento dos estabelecimentos em razão da pandemia do novo coronavírus e também com as queimadas que atingiram o Pantanal. 

“Temos mais de R$ 46 milhões que serão investidos na parte de infraestrutura junto com a Sinfra, na troca de pontes e galerias para melhorar a trafegabilidade. Com isso, resolvemos esse problema de acesso na Transpantaneira, que é um problema muito crítico há anos. E temos todo um planejamento para a retomada do turismo”, disse.

Melhoria da infraestutura rodoviária dará fôlego para a retomada do turismo na região

E este planejamento, segundo Jefferson, prevê a realização de várias rodadas de negócio para impulsionar o turismo no Pantanal, que deve se restabelecer no ano que vem, especialmente em razão de um convênio realizado pela secretaria para que empresários do trade turístico possam contratar operações de crédito de capital de giro e investimento para se recuperarem economicamente. 

“Já começamos com algumas rodadas de negócios online, uma rodada nacional, com várias pousadas. Teremos uma rodada internacional para que o turismo volte ano que vem com força total.  Temos R$ 20 milhões em caixa, já foram emprestados mais de R$ 18 milhões para capital de giro às empresas e, agora em dezembro, retomamos para  empréstimo destinados a investimento, cujos recursos estavam congelados. Então, o tomador pode pegar até R$ 1 milhão para fazer investimentos nas propriedades para receber os turistas. Acredito muito no planejamento que estamos fazendo”, encerrou.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Terça-feira (26): Mato Grosso registra 210.567 casos e 5.019 óbitos

Avatar

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (26.01), 210.567 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.019 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.563 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 210.567 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 7.696 estão em isolamento domiciliar e 196.826 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 273 internações em UTIs públicas e 307 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 67,92% para UTIs adulto e em 35% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (45.776), Rondonópolis (14.034), Várzea Grande (13.898), Sinop (11.118), Tangará da Serra (9.225), Sorriso (9.077), Lucas do Rio Verde (8.440), Primavera do Leste (6.428), Cáceres (4.908) e Nova Mutum (4.421).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Veja Também  Terceirizado não pode ser designado como fiscal de contratos

O documento ainda aponta que um total de 181.247 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 516 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última segunda-feira (25), o Governo Federal confirmou o total de 8.871.393 casos da Covid-19 no Brasil e 217.664 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 8.844.577 casos da Covid-19 no Brasil e 217.037 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de terça-feira (26).

Recomendações

Já há uma vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Veja Também  Governo de Mato Grosso reduz aluguel de viaturas de R$ 6,8 mil para R$ 3,6 mil cada

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Diretores das escolas estaduais têm até 31 de janeiro para prestar contas

Avatar

Publicado


Os gestores das escolas estaduais de Mato Grosso têm até o dia 31 de janeiro para prestar contas sobre os recursos para alimentação escolar recebidos dos governos Federal e Estadual em 2020. Conforme levantamento da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), até esta terça-feira (26) diretores de 367 unidades de ensino ainda não repassaram os dados, o que é obrigatório.

A Secretaria Adjunta de Administração Sistêmica (SAAS) da Seduc-MT esclarece que os diretores devem procurar a secretaria caso haja dúvidas sobre como fazer a prestação de contas. Também estão sendo programadas visitas de equipes técnicas às unidades de ensino para auxiliar nessa tarefa.

Com isso, a intenção da SAAS é evitar que os diretores deixem de dar esclarecimentos sobre como os valores foram gastos. Há escolas que não prestam contas desde 2009, por exemplo.

“Nossa ideia não é desfavorecer as escolas. O que queremos é que fiquem adimplentes, com a situação regularizada. Por isso queremos também levantar quais são as dificuldades enfrentadas na hora de fazer a prestação de contas”, diz Artur Barros, superintendente de Serviços da SAAS.

Veja Também  Ouvidoria Geral de Polícia constata ampliação de vagas no sistema penitenciário

A não prestação de contas gera notificações extrajudiciais que, se não forem respondidas, podem acarretar na abertura de um procedimento na Unidade Setorial de Correição (USC) da Seduc-MT. O processo, que pode durar de três a seis meses, pode resultar na devolução de recursos ao erário – caso sejam comprovadas irregularidades – e em demissão.

O coordenador de Alimentação Escolar, Hesloan Maia, explica que há muitos casos em que a prestação de contas é realizada, mas com algum tipo de inconsistência ou informação incompleta, e que essas informações precisam ser esclarecidas.

“O que ocorre é que a Seduc pede mais informações e a escola acaba não dando esses esclarecimentos. Em vários desses casos, isso ocorre por falta de conhecimento”, diz Maia.

Artur Barros ressalta que a Seduc-MT está à disposição para tirar as dúvidas dos diretores.

“Queremos orientar, resgatar esses gestores e esclarecer para eles a importância de prestar contas, evitando assim prejudicar tanto a vida funcional deles quanto das escolas”.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana