conecte-se conosco


Nacional

Covid-19: Tarcísio de Freitas é 14° ministro de Bolsonaro a testar positivo

Publicado

Nacional


source
Ministro Tarcisio e Bolsonaro
Alan Santos/PR

Ministro afirmou que está bem e sem sintomas

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi diagnosticado na noite desta sexta-feira (27) com a Covid-19. Ele é o  14º ministro do governo Jair Bolsonaro a contrair o novo coronavírus.

A informação foi dada pelo presidente em conversa com apoiadores na chegada ao Palácio da Alvorada e confirmada pelo próprio Tarcísio ao Globo.

“Recebi o exame agora no fim do dia e o resultado foi positivo . Estou bem, sem sintomas”, informou o ministro, por mensagem de texto. Nesta sexta-feira, ele viajou a Minas Gerais para inaugurar e visitar obras em rodovias federais e um aeroporto.

Veja Também  Ex-presidente Lula contraiu Covid-19 em dezembro e se recuperou em Cuba

Ao contar a notícia para os simpatizantes, Bolsonaro disse que o ministro já está tomando hidroxicloroquina, medicamente que o próprio tomou quando teve a Covid-19 e que não tem a eficácia cientificamente comprovada para a doença.

O Ministério da Infraestrutura também se manifestou em nota: “o ministro Tarcísio Gomes de Freitas testou positivo para Sars-CoV2, informação confirmada na noite desta sexta-feira (27/11). O ministro está assintomático e deve seguir com suas funções em teletrabalho” .

Nesta semana, o titular da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, também anunciou que está com o novo coronavírus.

Além dele, já contraíram a Covid-19 Eduardo Pazuello (Saúde) , Fábio Faria (Comunicações), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Braga Netto (Casa Civil), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Milton Ribeiro (Educação), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).

Comentários Facebook

Nacional

RJ: Cedae desliga estação por 10 horas e bairros devem ficar 48 horas sem água

Avatar

Publicado


source
Estação de Tratamento de água do Gandu
Luis Alvarenga / Governo do Estado do Rio de Janeiro

Estação de Tratamento de água do Gandu

Na noite de quinta-feira (21), no Rio de Janeiro , a Estação de Tratamento do Gandu, responsável pelo fornecimento de água em vários municípios da cidade, suspendeu sua produção e foi retomada somente na manhã desta sexta-feira (22), contabilizando cerca de 10 horas de paralisação . As informações foram apuradas pelo O Globo. 

Na quinta (21), clientes voltaram a reclamar sobre mau cheiro e gosto ruins da água, como aconteceu no início do ano de 2020 . Mais de 24 bairros registraram reclamações e em alguns casos, falam até sobre a coloração da água. 

De acordo com a Cedae , a decisão foi tomada através da nova análise feita que detecta a presença de algas na lagoa próxima a estação. “O protocolo operacional definido no plano de contingência do Guandu, operando as barragens da captação e paralisando a ETA por algumas horas na noite passada, de maneira preventiva”. 

Você viu?

A empresa ainda informa que regiões que estão no sistema de fornecimento da estação podem ficar sem água e em até 48 horas a situação pode vir a ser normalizada. Casas com caixas d’água ou cisterna, não devem ser desabastecidas. A Cedae ainda informa que montou em plano especial para atender hospitais e outros serviços essenciais com carros-pipa, em caso de alguma eventualidade. 

Veja Também  Desembargador que se recusou a usar máscara é condenado a indenizar guarda

Segundo a Ceade, “três fatores levam à proliferação de algas nos mananciais: água parada, presença de nutrientes e luz solar. O fenômeno ocorre com maior frequência no verão, exigindo medidas preventivas para manutenção da qualidade da água que sai das estações de tratamento”. 

A empresa ainda faz um apelo para que os “clientes que possuam sistemas de reserva usem água de forma equilibrada e adiem tarefas não essenciais que exijam grande consumo”. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Desembargador que se recusou a usar máscara é condenado a indenizar guarda

Avatar

Publicado


source
Desembargador foi condenado por ofensas dirigidas a guarda civil metropolitano
Reprodução: iG Minas Gerais

Desembargador foi condenado por ofensas dirigidas a guarda civil metropolitano

desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, flagrado em junho do ano passado humilhando um guarda civil municipal e se recusar a máscara em uma praia em Santos, no litoral paulista, foi condenado nesta quinta-feira (21) a pagar R$ 20 mil de indenização.

“Julgo procedente ação para condenar o requerido ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$20.000,00, atualizados da data desta sentença, com juros de 1% ao mês contados da data do evento danoso, 18 de julho de 2020, nos termos da súmula 54 do STJ. O requerido arcará com as custas, despesas processuais e honorários advocatícios ora arbitrados em 10% sobre valor da condenação”, determinou o juiz Beltrame Júnior.

Ao ser abordado por desrespeitar as normas de segurança contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2) por não usar a máscara em espaço público, o desembargador desrespeitou os guardas, e ao receber a multa, rasga o papel e joga no chão. Falando ao telefone, Eduardo se referiu aos oficiais como “analfabetos”.

Veja Também  Bolsonaro ataca imprensa: "O que interessa saber da minha caderneta de vacina?"

Você viu?

Em dezembro do ano passado, o Superior Tribunal de Justiça ( STJ ) acatou um pedido do Ministério Público Federal ( MPF ) para abrir inquérito contra Eduardo Almeida pelos crimes de abuso de autoridade e infração de medida sanitária.

Contudo, na última quinta-feira (14), o ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF ), Gilmar Mendes, suspendeu a investigação, alegando que a continuidade do inquérito seria um “risco de ocorrência de prejuízos de difícil reparação ao paciente”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana