conecte-se conosco


Economia

Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,6 anos em 2019

Publicado

Economia


A expectativa de vida ao nascer no Brasil em 2019 era de 76,6 anos, segundo dados da Tábua da Mortalidade, divulgados hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A estimativa é 0,3 ano superior à de 2018, divulgada na pesquisa do ano passado (76,3 anos).

A Tábua da Mortalidade é divulgada anualmente pelo IBGE e usa como referência dados de 1º de julho do ano anterior.

O dado, que é uma média da expectativa de vida dos dois sexos, foi publicado na edição de hoje (26) do Diário Oficial da União. A divisão do dado, por sexo, será feita às 10h pelo IBGE.

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
Veja Também  Confiança do comércio recua 0,9 ponto em janeiro, quarta queda seguida

Economia

Preço da maçã, banana e melancia sobe forte em dezembro, aponta Conab

Avatar

Publicado


Os preços da maçã, banana e melancia subiram fortemente na maioria dos mercados em dezembro, mostra o primeiro Boletim Prohort de 2021, divulgado hoje (27) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O boletim destaca que os preços no último mês do ano, “como de costume”, refletem o impacto do verão e das festas de fim de ano sobre o comportamento do consumidor. 

No caso da melancia, o preço do quilo chegou a subir 50% em Goiânia; 49% em Brasília; 31,9% em Recife, e 30,3% em Belo Horizonte. A alta ficou na casa de dois dígitos ainda em Curitiba (23,4%), Vitória (21,9%) e São Paulo (19,8%). A única queda foi registrada no Rio de Janeiro (3,49%). A causa para a alta foi a retração da oferta diante de uma explosão da demanda, segundo a Conab.

Em relação à banana, uma das principais frutas consumidas pelo brasileiro, foi registrada alta em todos os nove mercados pesquisados. O preço subiu mais forte em Belo Horizonte (37,9%), Rio de Janeiro (25%), Curitiba (23,5%), São Paulo (19,4%) e Brasília (17%). De acordo com a Conab, a demanda permaneceu normal para a época do ano, mas a produção, em especial da banana prata, segue caindo. Houve também aumento das exportações, sobretudo para a Argentina.

Veja Também  Dupla de Páscoa pode pagar R$ 30 milhões; veja como antecipar sua aposta

A alta da maçã, por sua vez, chegou a 30,3% em Brasília; 18,2% em Goiânia; 16,1% em Belo Horizonte, e 15,4% em Vitória. O preço também subiu em todos os demais mercados, com destaque para Curitiba (10%), Recife (9,4%) e Fortaleza (7,2%). Segundo a Conab, apesar de uma demanda reduzida no fim de ano, “observa-se a continuidade do movimento de redução da oferta”.

As exportações de frutas, no geral, subiram no mês passado, informou a Conab. O volume exportado chegou em dezembro com mais de 1 milhão de toneladas, cerca de 6% acima do ano anterior. 

Tomate, batata e cenoura

Segundo o Boletim Prohort, o preço do tomate caiu na maioria dos mercados em dezembro, enquanto o preço da batata e da cenoura subiu.

No caso do tomate, apesar da alta da demanda, o preço caiu diante da maior oferta do produto. Em Goiânia, o preço chegou a cair 20,7%. Em Fortaleza, a queda foi de 18,3%. A redução chegou ainda a 15,7% em Belo Horizonte e 13,68% no Rio de Janeiro. Foi registrada alta em Recife (2,5%) e São Paulo (1,7%).

Veja Também  LADE retoma operações comerciais com o Fokker 28

No caso da batata, o preço chegou a subir 14,22% em Belo Horizonte, 13,29% no Rio de Janeiro e 13,03% em Goiânia. Houve alta também em Brasília (9%), Vitória (7,8%) e Curitiba (7,3%). As únicas quedas foram registradas em Fortaleza (11,5%) e Recife (4,1%).

Em relação à cenoura, a alta chegou a 12,8% em São Paulo, 7,9% no Rio de Janeiro, 6,3% em Curitiba e 4,1% em Vitória. Por outro lado, o preço caiu em Goiânia (12,9%), Fortaleza (8,7%) e Recife (3,5%).

O Boletim Prohort acompanha mês a mês os preços de hortaliças e frutas nos centros de distribuição de nove capitais: São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba, Goiânia, Brasília, Recife e Fortaleza.

Edição: Fernando Fraga

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Após polêmica com leite condensado, Portal da Transparência fica fora do ar

Avatar

Publicado


source

Brasil Econômico

Gastos com leite condensado geraram polêmica nesta terça-feira
Reprodução/redes sociais

Gastos com leite condensado geraram polêmica nesta terça-feira

Depois de polêmicas envolvendo os gastos do governo federal em 2020, incluindo os R$ 15 milhões em leite condensado , o Portal da Transparência ficou fora do ar. A plataforma é o meio pelo qual a administração presta contas dos gastos públicos.

O portal saiu do ar na noite de terça-feira (26) e permaneceu sem acesso até a manhã desta quarta-feira (27). Por volta das 8h30, como informa o Estadão, o acesso foi reestabelecido.

Nesta manhã, a Controladoria-Geral da União (CGU) esclareceu, em nota, que o Portal da Transparência ficou fora do ar nesta madrugada devido a um grande volume de acessos.

De acordo com a CGU, a área de tecnologia da informação identificou a instabilidade gerada por uma sobrecarga de acessos “fora do habitual”, e está apurando detalhes a fim de “identificar as causas exatas”.

Ainda na nota, o órgão diz que está realizando “esforços de forma prioritária” para reestabelecer por completo a conexão o mais rápido possível. A CGU ainda disse ter “compromisso com a transparência”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana