conecte-se conosco


Mato Grosso

Dia do Auditor é celebrado com debate sobre papel de agregar valor aos serviços públicos

Publicado

Mato Grosso


O papel da auditoria interna de adicionar valor aos resultados das instituições públicas foi o foco da programação especial relativa ao Dia do Auditor Interno. O evento on-line foi realizado nesta semana em conjunto pela Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) e Associação dos Auditores da CGE (Assae).

O ponto alto da programação foi a palestra “O Papel da Auditoria Interna no Modelo de Três Linhas”, ministrada pela coordenador-geral de Métodos, Capacitação e Qualidade da Controladoria Geral da União (CGU), Sérgio Filgueiras de Paula.

Na explanação, o representante da CGU explicou que o “Modelo de Três Linhas” foi instituído no ano de 2008 pelo Institute of Internal Auditors (IIA) para ajudar as organizações a identificar estruturas e processos que facilitem a governança e o gerenciamento de riscos e melhor auxiliem no alcance dos objetivos.

O modelo estabelece os papeis da gestão e da auditoria interna no controle das atividades de uma organização. Compete à gestão (alta administração e profissionais dos níveis tático e operacional) os papeis da primeira e da segunda linhas no controle interno. Já a terceira linha de controle é de competência da auditoria interna, representada pelas Controladorias e Auditorias-Gerais da União, dos estados e dos municípios.

“Quando se fala em controle interno, logo se associa à CGU e as Controladorias estaduais. Contudo, a gestão é responsável primária do controle interno, de liderar e dirigir ações, estabelecer e manter estruturas e processos, garantir a conformidade etc. Já a auditoria interna é responsável por avaliar se os controles instituídos pela gestão são adequados. E todos eles (gestão em todos os seus níveis e auditoria interna) devem estar alinhados em suas respectivas ações com vistas à condução de políticas públicas e à prestação de serviços de interesse da sociedade”, comentou.

O modelo passou por recente atualização, na qual a auditoria interna passou a ter o propósito preponderante de agregar valor às organizações e não somente analisar situações pontuais e encontrar erros e falhas de gestão.

Veja Também  Secel convoca contemplados em editais da Lei Aldir Blanc para capacitação

Para tanto, direciona a atuação a riscos-chave, de relevância, no momento do acontecimento e com base na estratégia da organização em análise. “A auditoria interna deve avaliar os macroprocessos, identificar os riscos envolvidos e contribuir com sugestões de melhoria para que a gestão atinja seus objetivos como um todo”.

Apesar de ter independência de atuação, a auditoria interna, como terceira linha de controle, deve ser aliada do órgão que está sendo avaliado.

“A auditoria interna é independente na avaliação e assessoria da gestão, o que não significa atuar isolada. Ao contrário, a auditoria interna deve ser parceira do bom gestor, ajudá-lo, de forma sistematizada e disciplinada, a melhorar seus processos e, consequentemente, a atingir os objetivos da organização”, destacou o representante da CGU.

Desafios

O secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida, destacou que, apesar da recente atualização no modelo, a CGE vem atuando nesta linha desde o ano de 2014, quando a função essencial da instituição passou a ser de agregar valor aos serviços públicos. Entretanto, segundo ele, a Controladoria ainda tem muito a avançar no envolvimento mais efetivo com a gestão pública para potencializar os resultados entregues à sociedade.

“O Dia do Auditor é um momento de alegria. Porém, também é momento de sabermos que por trás desse nome de auditoria interna existe uma enorme responsabilidade. Temos o dever de contribuir, de melhorar a gestão e, consequentemente, melhorar a qualidade do serviço público prestado”, disse.

Pensando a profissão além do que é conhecido pela sociedade, o secretário-controlador defendeu que os desafios impostos pelas discussões sobre o controle interno precisam resultar numa quebra de paradigmas.

“Os desafios do controle são gigantes. A função do controle interno evoluiu no Brasil e no mundo, o que não contempla mais que atuemos somente para encontrar problemas. Temos de ir muito além disso. Precisamos identificar as causas dos problemas e propor soluções para que isso reverbere numa melhor entrega de serviços públicos”, observou o titular da CGE.

Veja Também  Profissionais da linha de frente do combate à Covid-19 são vacinados no interior

Já presidente da Assae, André Luiz Costa Ferreira, pontuou alguns valores inerentes à atuação dos auditores, como responsabilidade, imparcialidade e comprometimento com a gestão pública.

“Gostaria de abrir a palestra falando sobre paixões e a realidade. Aprendi com o meu pai que todas as instituições são perfeitas. O problema são os homens, que são falhos. Não devemos permitir que a paixões nos guiem quando falamos de gestão pública. O que nos pertence é trabalhar para poder engrandecer e construir uma instituição forte (CGE-MT), tão importante para o Estado de Mato Grosso”, ressaltou.

Parceria

O presidente da Assae enfatizou a importância do papel da associação, assim como a função social da Controladoria. Apontou como foi essencial a parceria entre a entidade e a CGE-MT nos anos de 2019 e 2020 na promoção de capacitações voltadas ao aprimoramento do conhecimento dos auditores e, por consequência, da qualidade do atendimento prestado aos órgãos estaduais.

“Neste biênio (2019/2020), a oportunidade que tivemos de trabalhar em conjunto no desenvolvimento de palestras, cursos e agora lives será benéfica para nossa carreira e para o fortalecimento da nossa instituição”, comemorou ele, cujo mandato se encerra no dia 31 de dezembro de 2020.

O evento teve também a exibição de mensagens gravadas pelo 2º vice-presidente do Conselho Nacional de Controle Interno e controlador-geral do Estado de Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Girão de Arruda; e pelo presidente do Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado e da Federação Nacional dos Auditores de Controle Interno Público, Rudinei Marques.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Domingo (24): Mato Grosso registra 208.088 casos e 4.968 óbitos por Covid-19

Avatar

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste domingo (24.01), 208.088 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 4.968 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 341 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 208.088 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 8.296 estão em isolamento domiciliar e 193.762 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 283 internações em UTIs públicas e 319 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 70,43% para UTIs adulto e em 37% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (45.380), Várzea Grande (13.815), Rondonópolis (13.840), Sinop (11.009), Tangará da Serra (9.173), Sorriso (9.048), Lucas do Rio Verde (8.388), Primavera do Leste (6.367), Cáceres (4.838) e Nova Mutum (4.373).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 178.572 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.271 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

No último sábado (23), o Governo Federal confirmou o total de 8.816.254 casos da Covid-19 no Brasil e 216.445 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 8.753.920 casos da Covid-19 no Brasil e 215.243 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de domingo (24).

Recomendações

Já há uma vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Veja Também  Residência artística com fotógrafa e artista visual de Florianópolis abre inscrições
Continue lendo

Mato Grosso

Remessa com 24 mil doses da vacina de Oxford será destinada aos trabalhadores da saúde

Avatar

Publicado


O Governo de Mato Grosso recebeu, neste domingo (24.01), 24 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford. O quantitativo foi encaminhado pelo Ministério da Saúde e será totalmente destinado aos trabalhadores que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus. 

Diferente da primeira remessa – em que foram encaminhadas 126 mil doses para imunizar cerca de 63 mil pessoas, com 2 doses para cada -, neste lote o Ministério da Saúde decidiu encaminhar os imunizantes relativos especificamente à primeira dose, de forma que todo o quantitativo será utilizado na primeira aplicação. 

A remessa com as unidades da segunda dose da vacina AstraZeneca será encaminhada posteriormente pelo Ministério da Saúde. 

“Vamos trabalhar muito para intensificar o ritmo da campanha de vacinação. É importante reforçar que essas vacinas serão utilizadas prioritariamente para imunizar os trabalhadores da saúde à frente do combate ao coronavírus”, disse o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Como este é um imunizante diferente daquele já distribuído, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) irá elencar junto ao Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems-MT) o público prioritário que integra o grupo de trabalhadores da saúde. Depois do alinhamento, será feita a distribuição proporcional aos municípios. 

Veja Também  "Meta é entregar 41 mil títulos de regularização fundiária até 2022", afirma presidente do Intermat

No momento, as equipes da Vigilância Estadual trabalham na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento para distribuição e retirada dos municípios. 

“O Estado repetirá toda a logística que já foi desenhada para a distribuição das doses da CoronaVac, contando com o apoio das equipes de segurança”, concluiu o secretário adjunto de Vigilância à Saúde em exercício, Oberdan Coutinho Lira.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana