conecte-se conosco


Meu Pet

Fofura! Esse cãozinho escolhendo qual roupa usar vai salvar o seu dia

Publicado

Meu Pet


source
cachorro
Twitter/Reprodução

E aí, gostaram do look escolhido?

Muitos pais de pet alegam não conseguir convencer seu animalzinho a usar roupas , mesmo no frio. Uma pena, já que eles ficam tão fofinhos, né?

Mas esse é um problema que os donos desse cãozinho simpático não parecem ter, já que ele não apenas se adaptou muito bem às roupinhas como até os ajuda a escolher qual ele quer.

O vídeo dele escolhendo um look completo matou muitos usuários do Twitter de fofura, veja abaixo:


Fonte: IG PET

Comentários Facebook
Veja Também  Cachorro na praia pode? Confira os cuidados necessários para proteger seu pet

Meu Pet

Acupuntura: veja como ela pode ser usada para a saúde do seu pet

Avatar

Publicado


source
Sem contraindicação e efeitos colaterais negativos%2C a prática pode aliviar dores%2C tratar várias doenças e acalmar os animais
Reprodução

Sem contraindicação e efeitos colaterais negativos, a prática pode aliviar dores, tratar várias doenças e acalmar os animais

A acupuntura é uma prática da  medicina tradicional chinesa que consiste na inserção de agulhas em partes específicas do corpo do paciente. A técnicaé usada para tratar várias doenças como sinusite, asma, enxaqueca ou artrite, além de melhorar a imunidade. A prática também vem sendo aplicada em animais com o mesmo objetivo de cuidar da saúde dos pets e também para reduzir agitação.

De acordo com o veterinário Huber Gama Filho, especialista em acupuntura da Petz, a prática pode ser feita em qualquer animal, doméstico ou silvestre, pequenos, como aves e roedores, além de animais de grande porte, como bois e cavalos. “Não há restrições quanto à espécie. Todos os animais podem se beneficiar da técnica. Existem diferentes técnicas de acupuntura para diferentes animais e espécies. O mesmo vale para o profissional, já que existem os especializados em certas espécies, como pequenos animais, cães e gatos, e grandes animais e silvestres”, afirma o acupunturista. É necessário que o tratamento seja indicado por um veterinário e realizado por um profissional com formação tanto da acupuntura quanto da veterinária. Nos seres humanos, a terapia com acupuntura começa com uma avaliação e consulta clínica e é seguida por seções. A primeira avaliação pode custar de R$200 a R$300 e as seções deR$ 130 a R$190. Os valores podem ser um pouco mais altos para animais silvestres. Sem contraindicação e efeitos colaterais negativos para os animais, a acupuntura pode aliviar dores, ajudar na recuperação de movimentos, ativar processos regenerativos e de relaxamento, melhorar o fluxo sanguíneo, estimular o sistema imunológico, normalizar as funções orgânicas, aumentar a imunidade, solucionar alergias, tratar hipertensão e cânceres, ajudar a solucionar problemas de fertilidade e tratar diabetes, entre outros. Acupuntura animal também pode ser utilizada para animais submetidos a quimioterapia, em reabilitação pós-operatória e para tratar distúrbios psicológicos, como depressão, ansiedade e hiperatividade. De acordo com o veterinário, o animal pode ter alguns pequenos desconfortos durante as seções, mas não sente dor. “A acupuntura tradicional é realizada com agulhas e a inserção delas na pele do animalzinho pode desencadear um leve desconforto, como uma picada de inseto. Após a inserção da agulha, o animal não deve continuar desconfortável, sendo, na verdade, na maior parte das vezes bastante agradável e relaxante. Os pets, no geral, são mais resistentes à dor do que nós e tendem a aceitar muito bem a terapia sem se incomodar com as ‘picadas’”, afirma. “De qualquer forma, acupuntura não é realizada apenas com agulhas e o estímulo pode ser realizado com diferentes técnicas de acordo com o pet e sua sensibilidade, assim como a patologia a ser tratada. Técnicas com a utilização do laser e a moxabustão (calor) também podem ser realizadas nos atendimentos e o aceite por parte dos pacientes é elevado e com ótimos resultados, além de muito agradável”, explica Gama Filho. De acordo com o veterinário, o tempo de tratamento varia de acordo com o problema de saúdo a ser tratado. “Em patologias agudas, como uma crise de hipertensão, o tratamento deve durar horas ou poucos dias. Já nas patologias de caráter crônico, como paralisias e hérnias de disco, o tratamento pode evoluir para alguns meses”, afirma. Ao longo do tratamento, o intervalo entre uma sessão e outra pode aumentar, a partir das respostas de saúde que o animal apresente.

Veja Também  Cachorrinho tirando uma soneca no carro viraliza no TikTok, assista
Fonte: IG PET

Comentários Facebook
Continue lendo

Meu Pet

Cachorro na praia pode? Confira os cuidados necessários para proteger seu pet

Avatar

Publicado


source
praia
Reprodução

Antes de levar animais de estimação à praia é preciso ter alguns cuidados, como prevenir o verme do coração

O verão chegou e muitos querem passar  os dias ensolarados nas praias , sem abrir mão de seu amigo de quatro patas. Porém, apesar de  várias praias aceitarem pets,  elas são locais seguros para eles? Confira o que dizem os especialistas e que cuidados são necessário caso você decida levar seu “cãopanheiro” pra tomar um banho mar.

O médico veterinário, Mauricio Dias Augusto dos Santos, do Hospital Popular de Medicina Veterinária explica que não há impeditivos para levar seu cão à praia. “Apenas deve-se atentar para alguns cuidados especiais com ele durante esse passeio e respeitar o limite das outras pessoas que não gostariam de interagir com seu bichinho. E é claro que nunca se deve deixar excretas do seu amigo pelo caminho”, explica. 

Veja Também  Cachorra adota filhote de gato abandonado

Você viu?

Cuidados com os bichinhos na praia 

A veterinária da clínica SPet junto a Cobasi São Bernardo Faria Lima, Bianca Bennati, explica que o primeiro cuidado que o tutor deve ter é garantir que o horário você vai para a praia é o mais adequado, preferindo antes das 10h da manhã e depois das 16h, para evitar as horas mais quentes. 

Além disso, é importante garantir uma proteção para pulgas, carrapatos e verme do coração, com o uso de profilaxia para ectoparasitas adequada. Além da vacinação e vermifugação em dia. 

“Uso de protetor solar nas áreas sensíveis ao sol, focinhos, coxins e orelhas, animais muito brancos devem evitar preferencialmente se expor ao sol. O proprietário também deve ficar atento ao animal, para que ele não coma nada inadequado. Oferecer água e comida sempre que for necessário.”, completa Bennati. 

Alguma raça tem que ter algum cuidado especial?

Santos explica que algumas raças possuem limitações físicas que por si só contra-indicam um passeio prolongado.  O principal problema está nas raças braquicefálicas, com focinho achatado, como shi-tzu, buldogues e pug. 

Veja Também  Cachorro na praia pode? Confira os cuidados necessários para proteger seu pet

“Essas raças possuem uma dificuldade natural no sistema respiratório que inibe exercícios intensos e os torna pouco tolerantes ao calor, pois têm dificuldades para manter a temperatura corporal, podendo chegar a uma  hipertermia”, acrescenta o veterinário. 

Para saber se o pet está em condições de viajar é preciso levá-lo ao veterinário para avaliar suas condições físicas. Ele vai indicar possíveis limitações de brincadeiras e exposição ao sol ou calor intensos e fazer a administração de bons preventivos contra a dirofilariose e parasitas externos, além de garantir que seu pet esteja com vacinas e vermifugação em dia.

Fonte: IG PET

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana