conecte-se conosco


Saúde

Casos de síndrome respiratória aguda grave voltam a crescer no Brasil

Publicado

Saúde


source
leitos UTI
Rogerio Santana/Governo do Rio de Janeiro

Casos confirmados e suspeitos de Covid-19 aumentam no Brasil

RIO — Pela primeira vez desde julho, a Fiocruz apontou uma tendência de aumento para todo o país nos casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), segundo a última atualização do boletim de monitoramento semanal Infogripe, na terça-feira (24). O levantamento considera números registrados até sábado (21).

A SRAG pode ser causada por vários vírus respiratórios, mas, neste ano, quase 98% dos casos no país têm o vírus da Covid-19 (Sars-CoV-2) como causa, segundo dados da fundação.

As tendências de aumento nos casos já vinham sendo apontadas pela Fiocruz há várias semanas em um número crescente de capitais, mas esta é a primeira vez que esse aumento é sinalizado para todo o território brasileiro.

A última vez em que uma tendência de crescimento havia sido indicada foi na semana de 28 de junho a 4 de julho – período correspondente à semana epidemiológica 27. A semana epidemiológica é uma convenção usada internacionalmente que vai de domingo ao sábado de uma determinada semana. Nesta quarta-feira (25), o Brasil está na semana epidemiológica 48.

Veja Também  AM: restrição na circulação de pessoas será de 24h a partir de amanhã

Doze capitais em alta

As tendências calculadas pela Fiocruz se referem ao período anterior à data do boletim. Por exemplo: as tendências de longo prazo apontam para o que tem sido visto nas 6 semanas anteriores a ele em cada capital; já as de curto prazo apontam para as 3 semanas anteriores.

Doze das 27 capitais brasileiras têm sinal moderado ou forte de que houve crescimento de casos nas últimas 6 semanas.

Capitais com sinal forte de crescimento nas últimas 6 semanas:

  • Belo Horizonte
  • Campo Grande
  • Maceió
  • Salvador

Capitais com sinal moderado de crescimento nas últimas 6 semanas:

  • Curitiba
  • Natal
  • Palmas
  • Plano piloto de Brasília e arredores (Região de Saúde Central do DF)
  • Rio de Janeiro
  • São Luís
  • São Paulo
  • Vitória

O número de capitais sob alerta de aumento a longo prazo vem aumentando: de 7 capitais no início de outubro para 10 no fim do mês e, agora, 12. O cenário nas capitais vem sido alertado pela Fiocruz vem sido apontado desde pelo menos meados de setembro.

Veja Também  Covid-19: mortes ultrapassam 217 mil e casos somam 8,8 milhões no país
Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Saúde

Rondônia estuda transferir pacientes com covid-19 para outros estados

Avatar

Publicado


O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha (Sem Partido), avalia com o governo federal a possibilidade de transferir para outros estados pacientes com covid-19 que aguardam vagas em unidades de terapia intensiva. Dados da secretaria estadual de saúde apontam que, até sábado (23), havia 543 pessoas internadas com a doença. Rocha, entretanto, não citou a quantidade de pacientes a serem transferidos.

A declaração foi feita neste domingo (24) durante uma live no Facebook para tratar do recebimento de novas doses da vacina de Oxford. Rondônia recebeu, até o momento, 13 mil doses.

De acordo com o governador, no sábado, foi feito um contato com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para debater a questão. A medida seria uma alternativa para desafogar a rede de saúde no estado, que já está com 100% dos leitos ocupados.

“Apesar de todas as ações desenvolvidas pelo estado de Rondônia, infelizmente as festas e o avanço rápido da doença fizeram com que nossos leitos ficassem todos ocupados. Desde sexta-feira, estamos trabalhando muito com a transferência de pacientes para hospitais federais no território brasileiro”, disse o governador.

Veja Também  Quem furou fila da vacina no Amazonas não terá segunda dose, determina juíza

Rocha destacou ainda que estuda uma alternativa para evitar a transferência de pacientes, também debatida com o Ministério da Saúde. O plano B seria o envio de médicos e equipamentos por parte do governo federal para atender os pacientes.

“Essa madrugada, nós tivemos outra possibilidade: de o governo federal trazer médicos, mais monitores multi-paramétricos, mais bombas de infusão para que pudéssemos, então, atender os pacientes aqui. Porque temos pessoas contaminadas pela covid-19 que estão aguardando a possibilidade de ir para a UTI”, afirmou Rocha, sem dar mais detalhes sobre as negociações.

Desde o início dos registros de casos da pandemia, são 116.133 casos confirmados em Rondônia, sendo 18.350 casos ativos e 2.097 óbitos. Ontem, foram registrados 933 novos casos e 12 óbitos.

Durante o pronunciamento, o governador ressaltou a necessidade de a população reforçar medidas de distanciamento social e de prevenção contra o vírus – entre elas, o uso de máscaras, de álcool em gel. Rocha destacou que a prevenção é agir para proteger “uns aos outros”.

“Há uma necessidade que eu quero deixar bem claro para toda a população: a prevenção é o melhor remédio neste momento. Vamos vencer, sim, essa pandemia, mas precisamos agir neste momento com a prevenção”, afirmou. “Peço que não façam festas, não façam aglomerações, ainda que de família ou com amigos. Evitem os churrascos de final de semana. Nós estamos em guerra”, disse.

Veja Também  Em colapso, Rondônia vai transferir pacientes com Covid-19 para outros estados

Edição: Paula Laboissière

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Brasil já tem mais de 217 mil mortos por Covid-19; casos somam 8,8 milhões

Avatar

Publicado


source

Agência Brasil

Mais de 217 mil morreram de Covid-19 no Brasil
Marcelo Seabra / Ag. Pará

Mais de 217 mil morreram de Covid-19 no Brasil

O total de pessoas que morreram de Covid-19 desde o início da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil chegou a 217.037, conforme balanço divulgado neste domingo (24) pelo Ministério da Saúde . Em 24 horas, foram registrados 592 óbitos e 28.323 casos confirmados por equipes de saúde. O número de pessoas infectadas no país subiu para 8.884.577.

Você viu?

Há, segundo a pasta, 973.770 casos ativos em acompanhamento por profissionais de saúde – um aumento de 11% em relação ao boletim anterior.

Estados mais afetados

Na lista de estados com mais mortes por Covid-19 , São Paulo ocupa a primeira posição (51.502), seguido por Rio de Janeiro (28.833), Minas Gerais (14.279), Ceará (10.331) e Rio Grande do Sul (10.311). Já as unidades da Federação com menos óbitos pela doença são Roraima, Acre, Amapá, Tocantins e Rondônia.

Em número de casos, São Paulo também lidera (1,69 milhão), seguido por Minas Gerais (690.853), Bahia (565.320), Santa Catarina (558.9075) e Rio Grande do Sul (528.045).

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana