conecte-se conosco


Economia

Campos Neto: Banco Central está relativamente tranquilo com inflação

Publicado

Economia


source

Agência Brasil

Banco Central
Lorena Amaro

Banco Central, mesmo com tranquilidade, segue vigiando o dos preços

Sem olhar para o curto prazo, o Banco Central (BC) analisa a inflação num intervalo mais amplo, disse hoje (25) o presidente do órgão, Roberto Campos Neto . Em evento organizado por cooperativas de crédito, ele disse que o  BC ainda está tranquilo em relação ao comportamento dos preços, apesar de estar vigilante.

“Temos dito que estamos relativamente tranquilos. Estamos acompanhando o processo”, declarou Campos Neto em evento organizado pelo Sicoob Engecred .

Ele disse que a autoridade monetária não pode ater-se as oscilações temporárias de preços ao definir a taxa Selic (juros básicos da economia), mas observar a inflação no médio e no longo prazo.

“Há quatro meses, por exemplo, a gente estava recebendo uma enxurrada de críticas no sentido de que deveria ter reduzido ainda mais os juros básicos, já que o cenário de inflação era outro”, declarou Campos Neto. Atualmente, a Selic está em 2% ao ano, no menor nível da história. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC informou que o impacto dos alimentos sobre a inflação é temporário.

Veja Também  Azul transporta usinas de produção de oxigênio para Manaus

Plano fiscal

No evento, o presidente do BC voltou a defender a necessidade de que o país retome as reformas estruturais após o fim da pandemia. Segundo ele, um plano fiscal precisa ser levado a cabo para conter a dívida pública, que cresceu durante o surto global de covid-19.

“O problema principal do Brasil agora é a dívida grande para administrar. Um ponto super importante, talvez ponto chave, é conquistar credibilidade com a continuação das reformas e com um plano que indique a clara percepção para investidores que país está preocupado com trajetória da dívida pública”, comentou.

Campos Neto lembrou que a curva de juros doméstica atualmente é uma das mais inclinadas do mundo, atribuindo o fato às incertezas em relação ao quadro fiscal.

Apesar de a Selic (taxa de mais curto prazo) ter caído para o menor nível da história, as taxas dos títulos públicos de médio e de longo prazo aumentaram desde o início da pandemia por causa dos receios sobre a economia brasileira. Quanto maior a inclinação, maior a desconfiança dos investidores.

Veja Também  GOL inicia transporte de vacinas contra a Covid-19

Na avaliação de Campos Neto, os agentes de mercado estão preocupados com o impacto de uma eventual extensão do auxílio emergencial sobre as contas públicas. Ele reiterou que hoje não há quase nenhum espaço para novos gastos do governo.

Comentários Facebook

Economia

LATAM começa amanhã transporte de vacinas contra a Covid-19

Avatar

Publicado


source

Contato Radar

undefined
Gabriel Araújo

LATAM começa amanhã transporte de vacinas contra a Covid-19

Da mesma forma que a GOL , a LATAM também iniciará o transporte gratuito de vacinas para combate à Covid-19 amanhã (18).

De acordo com a companhia, serão 513 caixas (que equivalem a 15 toneladas de vacinas) distribuídas para os estados da Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba e Pernambuco.

Esteja informado: clique aqui e leia mais notícias de aviação!

Você viu?

A LATAM informa que tem, por meio de suas aeronaves da família Airbus A320, a capacidade de levar até 800.000 doses do imunizante, considerando que este número pode variar de acordo com o tipo da vacina a ser transportada.

O post LATAM começa amanhã transporte de vacinas contra a Covid-19 apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook
Veja Também  Azul transporta usinas de produção de oxigênio para Manaus
Continue lendo

Economia

STJ mantém multa de R$ 1,5 bi a empreiteiras por fraude em obras do metrô de SP

Avatar

Publicado


source
metro
Reprodução

STJ mantém multa de R$ 1,5 bi a empreiteiras por fraude em obras do metrô de SP

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, rejeitou pedido para suspender o pagamento de R$ 1,5 bilhão ao qual três construtoras foram condenadas por irregularidades na construção de linhas do metrô de São Paulo. Queiroz Galvão, OAS e OECI haviam feito a solicitação em caráter liminar. Martins negou atendê-las anteontem. Elas afirmam que sofreram uma “condenação injusta”.

As empreiteiras foram condenadas, em primeira e segunda instância, em uma ação civil pública em que o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) as acusa de fraudar as licitações de lotes de novas linhas do metrô da capital.

O valor imposto na sentença é equivalente a 17% do total do contrato firmado com o metrô e visa ressarcir a instituição responsável pelo modal de transporte. Há um mês, o metrô solicitou judicialmente que o montante fosse pago conforme determinado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Veja Também  Os modelos de aeronaves que a GOL já utilizou nos seus 20 anos

Martins destacou, ao negar a suspensão do pagamento da quantia, que “a execução provisória não configura, por si só, risco de dano irreparável ou de difícil reparação para as devedoras. Isso porque o sistema processual civil traz mecanismos para garantir a reversibilidade das medidas executivas provisórias, bem como para neutralizar o risco de dano reverso”.

Questionamentos

O texto utilizado pelo ministro para justificar a decisão é uma resposta ao argumento das construturas de que o pagamento do valor as colocaria em risco de quebra. Segundo Martins, o Direito brasileiro dispõe de mecanismos para dirimir esse risco.

Você viu?

As empresas também afirmaram, no pedido encaminhado ao STJ, que a condenação sofrida foi “injusta”. O magistrado, no entanto, ponderou que há a possibilidade, prevista pelo Código Civil, de reverter a execução do valor. Isso porque o pagamento será feito agora, enquanto ainda cabem recursos à condenação.

Martins negou a liminar em seu último dia do trabalho antes das férias, iniciadas ontem. Na ausência dele, o STJ ficará sob o comando do ministro Jorge Mussi. Os outros ministros estão em recesso, enquanto a Corte opera em regime de plantão. Estão sendo analisadas apenas ações com caráter urgente e processos atribuídos à presidência do tribunal. Martins retorna em 1º de fevereiro para retomar os trabalhos no STJ.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana