conecte-se conosco


Economia

Conheça o avião da Embraer que ajuda no combate aos incêndios nas florestas brasileiras

Publicado

Economia


source

Contato Radar

undefined
Luis Neves

Conheça o avião da Embraer que ajuda no combate aos incêndios nas florestas brasileiras

Nos últimos meses, os principais jornais do país vem mostrando inúmeros incêndios em nossas florestas. Para combatê-los, empresas aeroagrícolas trabalham em parceria com órgãos como o Ibama e secretarias estaduais de meio ambiente para proteção das reservas ambientais.

No estado de São Paulo, por exemplo, a própria Secretaria de Segurança Pública contrata empresas de aviação agrícola para treinarem com os bombeiros e ficarem de sobreaviso para incêndios em reservas ambientais ou plantações. Em 2019, empresas aeroagrícolas voaram pelo menos 350 horas contra incêndios em todo país, e mais de 1,8 mil lançamentos de água contra as chamas.

Atualmente o Brasil tem a segunda maior frota de aviões agrícolas do mundo, com cerca de 2,3 mil aeronaves. Desde 1969 o combate a incêndios florestais ou em vegetação é legalmente uma das prerrogativas da aviação agrícola por aqui. Entre as aeronaves utilizadas neste nicho, o modelo Ipanema desenvolvido pela Embraer está entre os aviões mais versáteis, com manutenção simples e por ser o único do mundo, vendido em série, que aceita biocombustível.

Veja Também  Fórum discute alternativas econômicas para o Semiárido

Nesta semana a Embraer apresentou o primeiro protótipo com tecnologia de propulsão 100% elétrica. O projeto anunciado pelo fabricante é fruto de um acordo de cooperação científica e tecnológica com a multinacional brasileira Weg, que está desenvolvendo o motor e o inversor do avião. O protótipo do modelo Ipanema 203 utilizado como plataforma de testes, já está em desenvolvimento e tem o primeiro voo previsto para 2021.

O Ipanema que tem sua montagem final na fábrica da Embraer em Botucatu no interior paulista. Presente na aviação agrícola há 48 anos o Ipanema é um grande sucesso de vendas, e apostando neste sucesso, fomos conhecer de perto os motivos que levaram esta conquista.

O mais recente modelo produzido, é o Ipanema 203 que por ano são produzidos entre 15 e 20 aeronaves do modelo. O seu antecessor, Ipanema 202 pode ser produzido, mas somente sob encomenda.

No comparativo entre os modelos 202 e 203, o último ganhou dois metros a mais de envergadura, cobrindo uma área de 18 m², e um tanque com capacidade 16% maior em volume. A nova envergadura da asa permite que a aeronave pulverize uma área 20% maior.

Veja Também  Governo cobrará auxílio emergencial indevido de 2,6 milhões de pessoas por SMS

Os winglets instalados no modelo 203, proporcionam uma aerodinâmica que diminui a área lateral da aeronave e traz benefícios como: aumento do controle de aplicação, menor arrasto e melhor eficiência da pulverização. No cockpit foram colocados: ar-condicionado, cinto de segurança com air bag e além de uma cabine mais alta que o modelo anterior.

Outra característica do Ipanema 203 está na hélice de 86 polegadas da fabricante Hartzell, instalada no motor Lycoming. O conjunto apresentou o melhor desempenho, com aumento da tração estática, possibilitando operação em pistas menores. As alavancas de comando e os pedais também foram modificados, com ângulos mais suaves que permitem controles ainda mais precisos.

O Ipanema é líder de vendas com 60% do mercado brasileiro. No total, conta com 1.440 unidades entregues ao longo de sua história, sendo um dos principais protagonistas no combate ao incêndio e na agricultura do nosso país.

O post Conheça o avião da Embraer que ajuda no combate aos incêndios nas florestas brasileiras apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook

Economia

Fórum discute alternativas econômicas para o Semiárido

Avatar

Publicado


source

Agência Brasil

Fórum do Desenvolvimento do Semiárido 2020
Hugo Andrade/Inter TV Costa Branca

Fórum do Desenvolvimento do Semiárido 2020

A Frente Parlamentar Mista em Prol do Semiárido abriu, na tarde desta quinta-feira (3), em Mossoró, no Rio Grande do Norte, o Fórum de Desenvolvimento do Semiárido . O evento discute a criação de um plano de desenvolvimento da região, considerando o aproveitando das potencialidades econômicas e a fixação de metas socioeconômicas, hídricas e ambientais.

Na abertura do fórum, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão , afirmou que criar facilidades e soluções para que tudo que for discutido e planejado seja efetivamente implementado é “a grande tarefa do governo Bolsonaro “.

Mourão disse que tem expectativa de que o Semiárido se torne um celeiro produtivo, que a população tenha mais qualidade de vida e que haja uma reversão das políticas regionais.

Veja Também  Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes

“Em muitos casos, ainda hoje, as únicas políticas oficiais destinadas à região são aquelas que combatem a seca , voltadas a grandes obras, normalmente destinadas aos mais ricos e vinculadas ao assistencialismo aos mais pobres, com doações, distribuição de víveres e o interminável desfile de carros-pipa “, destacou o vice-presidente.

Mourão descreveu o Semiárido como “um espaço com grande concentração de terra, água e outros meios singularmente ricos, que estando centralizados em mãos de poucos constitui um indesejável sistema de privilégios “.

Ele ressaltou que tal situação tem gerado níveis expressivos de exclusão social e até mesmo de degradação ambiental, transformando-se em fator determinante das crises socioambiental e econômica vividas em diferentes épocas nessa região.

O Semiárido, formado pela Caatinga e pelo Cerrado , corresponde a 20% do território nacional e mais da metade da Região Nordeste . A região tem população de 25 milhões de pessoas, residentes em 1.200 municípios.

O Fórum de Desenvolvimento do Semiárido, que está sendo realizado na Universidade Federal Rural do Semiárido , vai discutir, até a tarde de sábado (5) propostas para o meio ambiente e recursos hídricos, agronegócio e mercados, energia e recursos minerais, entre outros temas.

Veja Também  Executivos da GOL embarcam no Boeing 737 MAX para comprovar sua segurança

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Pix tem 100 milhões de chaves registradas

Avatar

Publicado


source

Agência Brasil

.
Marcello Casal JR/ABr

A chave pode ser os números do CPF (pessoas) ou do CNPJ (empresas), e-mail, número de celular ou chave aleatória


O sistema de  pagamento instantâneo Pix atingiu a marca das 100 milhões de chaves  nesta quinta-feira (3), conforme informação do Banco Central. A chave, previamente cadastrada, em banco ou outra instituição financeira, permite identificar a conta para receber pagamentos e transferências.


A chave pode ser os números do CPF (pessoas) ou do CNPJ (empresas), e-mail, número de celular ou chave aleatória – sequência alfanumérica utilizada por usuários que não queiram vincular seus dados pessoais às informações de sua conta. O recebedor também pode gerar QR Codes para recebimento de pagamentos. Outra possível é fazer o pagamento ou a transferência sem a chave, mas neste caso, é preciso digitar os dados bancários do recebedor.

Veja Também  Governo cobrará auxílio emergencial indevido de 2,6 milhões de pessoas por SMS

O Pix é gratuito para pessoas físicas nas operações de transferência e de compra. Cada conta de pessoa física pode ter até cinco chaves vinculadas.

No caso de pessoa jurídica, o máximo é de 20 chaves por conta. As instituições financeiras poderão cobrar tarifa das empresas tanto no envio como no recebimento de dinheiro por meio do Pix. Serviços acessórios ligados ao pagamento e ao recebimento de recursos também poderão ser tarifados.

Hoje (3), o Banco Central e a Receita Federal anunciaram que as empresas podem quitar as contas com o Fisco por meio do Pix.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana