conecte-se conosco


Mato Grosso

Fávaro quer esconder sua aliança com o PT, afirma Leitão

Publicado

Política

Fávaro quer esconder sua aliança com o PT, afirma Leitão

Candidato ao Senado, Nilson Leitão (PSDB) observa a falta de nexo em quem diz apoiar Jair Bolsonaro, mas que vem de um partido cuja principal aliança é o Partido dos Trabalhadores (PT). Amigo íntimo de Lula e de Dilma Rousseff, Gilberto Kassab, fundador e presidente do PSD, apoiou a campanha de Carlos Fávaro ao Senado em 2018 e continua a fazê-lo em 2020. Além disso, a forte ligação entre o partido de esquerda e Fávaro ficou ainda mais evidente ao contratar o ex-ministro de Rousseff, José Eduardo Cardozo, para cassar o mandato de Selma Arruda (na época, do PSL).

A manobra foi liderada por Fávaro, que, nas eleições passadas, tinha ficado em terceiro lugar na disputa pelas duas vagas abertas em 2018. Ao lado de Cardozo, ex-ministro da Justiça e advogado de Dilma durante o processo de impeachment, ele arquitetou a retirada de Selma Arruda do Senado. Nilson aponta o que ajudou a construir sua carreira política, porém reconhece que Carlos Fávaro só tem um lado na política, o dele.

Veja Também  Projeto proíbe prazo de validade de exame que atesta Transtorno do Espectro Autista (TEA)

“Para isso, ele faz qualquer tipo de coisa, ele se envolve com qualquer tipo de gente, ele abandona qualquer um para não se sacrificar. Para tentar pegar o cargo, vimos ele contratando um advogado petista a peso de ouro. O único que importa, para ele, é ele mesmo. Eu conheço Carlos Fávaro e a ética não faz parte de seu vocabulário”, ressaltou o tucano.

Outro ponto em comum com os petistas foi revelado quando a esposa de Ivan Guimarães, Márcia Zampiron, foi encontrada trabalhando como assessora no gabinete de Carlos Fávaro. Ela, que tinha sido alvo da Polícia Federal na “Operação E$quema S”, escancarou o elo do parlamentar mato-grossense com o alto escalão do PT. Seu marido, conhecido como “Ivan, O Terrível”, manteve longa amizade com José Dirceu, Delúbio Soares, Patrus Ananias e Waldomiro Diniz. Ele também foi presidente do Banco Popular no governo Lula e membro da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A pandemia de coronavírus também foi um dos responsáveis pela sobrevida política do substituto. Assim, o senador-tampão coloca em prática, desde então, um projeto de governo que não foi escolhido e aprovado pelo voto popular. “O cargo de Senador é um cargo que ele ocupa de forma ilegítima”, concluiu Leitão.

Comentários Facebook

Política

Emanuel Pinheiro vence Abílio Júnior e é reeleito prefeito de Cuiabá com 51% dos votos

Abdalla Zarour

Publicado

Divulgação

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) vence Abílio Júnior (Pode) e é reeleito, com mais de 51% dos votos válidos.

Emanuel venceu de virada Abílio já que no primeiro turno o prefeito ficou em segundo lugar.

Desde o início da apuração, Emanuel esteve na frente de Abílio Júnior.

Comentários Facebook
Veja Também  Ibope aponta Abílio Júnior e Emanuel Pinheiro empatados com 50%
Continue lendo

Política

Emanuel Pinheiro vence Abílio Júnir e é reeleito prefeito de Cuiabá com mais de 51% dos votos

Abdalla Zarour

Publicado

Divulgação

Começa às 17 horas a transmissão ao vivo da apuração do segundo turno da eleição para prefeitura de Cuiabá. A transmissão será feita pelo Facebook. O internauta também pode acompanhar a transmissão por aqui.

 

Comentários Facebook
Veja Também  Cinco ocorrências eleitorais são registradas em Cuiabá neste segundo turno
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana