conecte-se conosco


Direto de Brasília

‘No Brasil, cloroquina tem 100% de cura’, diz Bolsonaro a franceses; veja

Publicado

Direto de Brasília


source
bolsonaro
Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender e recomendar o uso da cloroquina para o tratamento da Covid-19. Desta vez, ele respondeu a um grupo de franceses que se reuniu na frente do Palácio da Alvorada.  O remédio ainda não tem comprovação científica de que faz algum efeito contra a doença.

“No Brasil, tomando a cloroquina, no início dos sintomas, 100% de cura”, disse o presidente, que também afirmou desconhecer a situação atual do remédio na França. “Eu sei que alguns cientistas franceses investiram na cloroquina lá atrás. Não sei como está a França no momento reagindo a essa pandemia, se usa cloroquina ou não”, acrescentou.

Veja o vídeo a seguir: 

Veja Também  Mourão diz que garimpo em terras indígenas é "eterno jogo de gato e rato"

Contexto 

O governo da França chegou a proibir o uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19 nos hospitais, depois que dois órgãos responsáveis pela saúde pública no país se declararam contrários à utilização da substância.

O medicamento ainda não tem comprovação científica de que é efetivo no tratamento da doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2). Um estudo recente, com quase 100 mil pacientes com Covid-19, descartou que a cloroquina e a hidroxicloroquina são eficazes contra a doença, enfatizando que os dois medicamentos aumentam o risco de morte.

Comentários Facebook

Direto de Brasília

Filho 04 de Bolsonaro gerou reunião entre patrocinador da sua empresa e ministro

Avatar

Publicado


source
renan
Reprodução/Instagram

Bolsonaro ao lado do filho homem mais novo, Jair Renan Bolsonaro, que irá assumir vaga no partido Aliança pelo Brasil.


O filho 04 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Jair Renan Bolsonaro , foi o responsável por articular um encontro um dos patrocinadores da sua empresa recém-aberta e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. As informações são da Veja .


Segundo a revista, Renan articulou a reunião, que ocorreu no dia 13 de novembro, entre o ministro e um grupo de empresários da Gramazini Granitos e Mármores, empresa do Espírito Santo que patrocina a empresa Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, que é gerida pelo jovem.

A reunião, que não estava na agenda oficial da pasta do Desenvolvimento Regional, teria tido como pauta a proposta dos empresários da Gramazini Granitos de construir casas populares do programa Minha Casa, Minha Vida utilizando pedras, com o argumento de que seriam mais baratas. A revista Veja confirmou com o presidente da empresa, John Lucas Thomazini, que Renan apresentou a proposta para o presidente, que repassou para a pasta da Desenvolvimento Regional.

Veja Também  Mulher do vice de Covas muda versão e diz que não lembra de violência doméstica

Renan teria participado da reunião “na qualidade de ouvinte e por acreditar que o sistema construtivo teria potencial de reduzir custos para a União”, de acorod com a reportagem.


Comentários Facebook
Continue lendo

Direto de Brasília

Câmara debate violência contra mulher na pandemia

Avatar

Publicado


A Câmara dos Deputados realiza na segunda-feira (30) dois debates para discutir a violência contra a mulher na pandemia de Covid-19. Às 15h vai ser discutida a violência institucional e, às 16h, a violência contra vulneráveis.

Os debates acontecem no Plenário 3 e é possível participar pela internet.

José Fernando Ogura/Agência de Notícias do Paraná
Fachada da Delegacia da Mulher em Pato Branco-PR
Campanha quer conscientizar sobre violência e necessidade de apoio às vítimas

21 dias de ativismo
O evento é promovido pela Secretaria da Mulher e pela Primeira-Secretaria, como parte da campanha 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher.

A iniciativa busca conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressão contra meninas e mulheres em todo o mundo. Trata-se de uma mobilização anual, com participação da sociedade civil e do poder público, com a adesão de cerca de 150 países.

Em outros países a mobilização começa em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e se chama 16 Dias de Ativismo. No Brasil começa antes, para incorporar o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), considerando a dupla vulnerabilidade da mulher negra.

Veja Também  Mourão diz que garimpo em terras indígenas é "eterno jogo de gato e rato"

A campanha se encerra dia 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Da Redação – CL

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana