conecte-se conosco


Nacional

Terremoto de magnitude 6,9 atinge oceano próximo a Fernando de Noronha

Publicado

Nacional


source
Fernando de Noronha
Ministério do Turismo / Divulgação

Tremor ocorreu a 816 km de Fernando de Noronha

Um terremoto de magnitude 6,9 na escala Richter foi registrado pelo Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Nortes ( UFRN ) no oceano Atlântico, em território pertencente a Pernambuco.

O tremor ocorreu a aproximadamente 282 km dos arquipélagos de São Pedro e São Paulo, a 816 hm de Fernando de Noronha. Apesar so suso, o Laboratório afirma que não há risco de tsunami na região.

“Dada a magnitude do evento é de se esperar que novas réplicas venham a ocorrer nas próximas horas, ou mesmo dias”, comunicou a RSBR, que afirma que tsunamis costumam ocorrer em terremotos acima de 7,5 de magnitude.

Comentários Facebook
Veja Também  Veredor que criticou parada gay é preso por estuprar adolescente

Nacional

Tempo quente e ensolarado nesta quinta em São Paulo

Avatar

Publicado


source
Há previsão de chuvas.
Reprodução/CreativeCommons/Spraf

Há previsão de chuvas.

Predomínio de sol e calor marca a previsão do tempo desta quinta-feira (29), na capital paulista. A temperatura deve entrar em elevação ao longo do dia. O Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas ( CGE ) divulgou que a mínima será de 18ºC e a máxima de 31ºC.

A partir do final da tarde, há a previsão para pancadas de chuvas com trovoadas. A umidade do ar em São Paulo oscila entre 40% e 95%.

Comentários Facebook
Veja Também  Doria agradece Anvisa por aprovação da "vacina mais promissora do mundo"
Continue lendo

Nacional

MPF recorre de decisão que negou afastamento de Salles

Avatar

Publicado


source
MPF reforçou o pedido de afastamento do ministro do meio ambiente
ESTADÃO CONTEÚDO

MPF reforçou o pedido de afastamento do ministro do meio ambiente

O MPF (Ministério Público Federal) recorreu nesta quarta-feira (28) da decisão que negou o pedido de afastar o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles,  acusado de “desestruturar intencionalmente” as estruturas de proteção ambiental do Brasil.

No pedido encaminhado ao TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), o MPF aponta que, ao negar o afastamento de Salles, a Justiça “ignora farta jurisprudência que prevê a intervenção judicial quando a permanência de um acusado de improbidade coloca em risco bens fundamentais e direitos constitucionais”.

O texto também cita várias decisões de tribunais em que autoridades públicas foram mantidas afastadas de seus cargos para proteger a probidade administrativa e direitos coletivos.

A solicitação foi negada no último dia 14 de outubro pelo juiz Márcio França Moreira, da primeira instância da Justiça Federal em Brasília. Ele avaliou que em ações de improbidade só cabe afastamento se houver prejuízo à instrução do processo judicial e que isso não estava presente no caso do ministro.

Veja Também  WhatsApp bane mais de 250 contas suspeitas de disparo em massa

O MPF, porém, afirma que “existem indícios suficientes de que a permanência de Ricardo Salles, além dos graves danos ambientais e administrativos, também ameaça o andamento do processo de improbidade contra ele”.

“Ele precisa ser afastado”, diz o Ministério Público. “A cada dia que ele permanece no cargo, os danos crescem, tanto aos biomas brasileiros quanto ao sistema de proteção ambiental que, mesmo após o ajuizamento da ação, ele nunca parou de atacar”, reforça o pedido.

Segundo o órgão,desde julho, quando o pedido de afastamento foi feito, houve a perda de 27% do Pantanal e tanto o desmatamento quanto as queimadas alcançaram recordes históricos na Amazônia.

“Verifica-se, assim, que o desmatamento no Brasil vem apresentando, ao longo dos últimos dois anos, níveis alarmantes. Recordes de pelo menos uma década vêm sendo reiteradamente vencidos. No ano de 2019, o país foi o responsável, sozinho, por um terço da degradação de florestas nativas no mundo”, diz o recurso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana