conecte-se conosco


Internacional

Reino Unido corre risco de novo lockdown

Publicado

Internacional


.

O Reino Unido deve reintroduzir algumas medidas de lockdown contra o coronavírus cedo ou tarde, afirmou um epidemiologista neste sábado (19), com novos casos da covid-19 chegando ao maior índice desde o começo de maio.

Neil Ferguson, professor de epidemiologia do Imperial College, de Londres, e ex-conselheiro do governo, afirmou à BBC que o país enfrentará uma “tempestade perfeita” de infecções, com as pessoas voltando ao trabalho e às escolas.

O primeiro-ministro Boris Johnson disse na sexta-feira (18) que ele não quer outro lockdown nacional, mas que novas restrições podem ser necessárias porque o país enfrentaria uma inevitável segunda onda da covid-19.

“Eu acho que algumas medidas adicionais devem ser necessárias, cedo ou tarde”, disse Ferguson.

Na sexta-feira (18), foi publicado que ministros estavam considerando um segundo lockdown nacional, com novos casos da covid-19 no maior índice em meses, internações hospitalares crescendo e taxas de infecção elevadas em partes do norte da Inglaterra e em Londres.

“Neste momento, estamos nos níveis de infecções que víamos neste país no final de fevereiro, e, se esperarmos mais duas ou quatro semanas, estaremos de volta aos níveis de meados de março, e isso irá – ou pode – causar mortes”, disse Ferguson.

Veja Também  Trump vota na Flórida e Biden vai à Pensilvânia

Dados do governo, deste sábado (19), mostraram 4.422 novos casos, 100 a mais que na sexta-feira (18), e o maior total diário desde 8 de maio, com base em testes positivos.

A verdadeira taxa de infecção deve ser maior. A agência de estatísticas do Reino Unido disse na véspera que por volta de 6 mil pessoas por dia, apenas na Inglaterra, provavelmente pegaram a doença durante a semana de 10 de setembro, com base em testes aleatórios.

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, requisitou uma reunião com Johnson e os líderes de País de Gales e Irlanda do Norte, durante as próximas 48 horas, para tentar garantir medidas coordenadas entre as diferentes partes do Reino Unido.

O Reino Unido teve o maior índice de mortes da Europa por covid-19, com mais de 41 mil, segundo a contagem do governo.

O aumento de infecções ainda não levou a um crescimento similar em novas mortes – em parte porque os casos estão concentrados entre pessoas mais jovens -, mas as internações hospitalares estão começando a crescer.

Veja Também  Urnas abrem no Chile para plebiscito histórico de nova Constituição

Mais de 10 milhões de pessoas em partes do norte e da região central da Inglaterra já estão sob alguma forma de lockdown, como proibição de convidar amigos ou familiares para suas casas, ou visitar bares e restaurantes depois das 22h.

Comentários Facebook

Internacional

Espanha decreta novo estado de emergência em luta contra covid-19

Avatar

Publicado


O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou um novo estado de emergência neste domingo (25) em um esforço para conter o aumento nas infecções pelo novo  coronavírus, impondo toques de recolher noturnos e proibindo as viagens entre as regiões do país em alguns casos.

“Estamos vivendo em uma situação extrema, é a mais grave na última metade de século”, disse ele em entrevista coletiva após uma reunião de gabinete.

A medida entra em vigor na noite deste domingo e exigirá que todas as regiões, exceto as Ilhas Canárias, imponham um toque de recolher noturno.

O estado de emergência precisará ser aprovado pelo Parlamento para durar além de um prazo de 15 dias.

Um número crescente de regiões do país tem pedido que o governo implemente a medida.

A Espanha impôs um dos lockdowns mais severos no início da pandemia e depois relaxou as medidas ao longo do verão no Hemisfério Norte.

Mas como em muitos outros países da Europa, a Espanha tem vivido uma segunda onda nas últimas semanas e agora tem os maiores números de infecções da Europa Ocidental. O total de casos subiu para 1.046.132 na sexta-feira (23), enquanto o número de mortos se aproxima de 35 mil.

Veja Também  Europa se torna segunda região a ter 250 mil mortes por covid-19

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Itália determina que bares fechem cedo contra nova onda de covid-19

Avatar

Publicado


A Itália ordenou neste domingo que bares e restaurantes encerrem atividades às 18h e que academias públicas, cinemas e piscinas devem fechar as portas de forma a tentar conter o rápido ressurgimento do coronavírus no país, que elevou as taxas diárias de infecção a novos recordes.

O primeiro-ministro Giuseppe Conte disse que as medidas visam a proteger a saúde pública e a economia e devem ser eficazes para que a curva ascendente da epidemia seja controlada nas próximas semanas.

“Achamos que sofreremos um pouco este mês, mas ao cerrar os dentes com essas restrições, poderemos respirar novamente em dezembro”, disse ele em entrevista coletiva.

A Itália, que já foi o país mais atingido pela pandemia na Europa, foi ultrapassada por outros no continente, incluindo Espanha, França e Grã-Bretanha, mas as taxas de infecção estão se recuperando rapidamente e os serviços de saúde estão sob pressão crescente.

Ressaltando a propagação da doença, os principais porta-vozes de Conte e do presidente Sergio Mattarella informaram que os dois líderes testaram positivo para o vírus. O porta-voz de Conte, Rocco Casalino, disse em comunicado que viu Conte pela última vez na terça-feira, ocasião em que eles usaram máscaras e mantiveram o distanciamento social.

Veja Também  Europa se torna segunda região a ter 250 mil mortes por covid-19

As novas medidas, que entram em vigor na segunda-feira, foram acordadas com as autoridades regionais do país.

Edição: Maria Claudia

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana