conecte-se conosco


Internacional

Líbano: premiê diz que vai convocar eleições; ministra pede demissão

Publicado

Internacional


.

O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, anunciou que vai convocar eleições antecipadas. Doadores buscam angariar dinheiro para a reconstrução de Beirute, que teve o porto atingido por uma explosão na última terça-feira (4), deixando pelo menos 135 pessoas mortas, 5 mil feridas e cerca de 250 mil desabrigadas,

No terreno, continuam os trabalhos de limpeza feitos por centenas de voluntários.

Crise política

Ainda com uma crise social, depois da tragédia no porto, surge agora uma crise politica na Líbia, com o pedido de demissão da ministra da Informação, Manal Abdel Samad.

A crise politica pode apenas ter começado. Espera-se que nas próximas horas ocorram novas saídas do governo.

Os libaneses não estão interessados nas teorias de como aconteceu a explosão. Querem justiça para as vítimas e condenação dos responsáveis que deixaram as quase 3 mil toneladas de amônia no porto de Beirute durante sete anos.

Jovens ativistas prometem não deixar as ruas da capital até a demissão de todo o governo.

Amônia

Foi uma empresa portuguesa que encomendou as quase 3 mil toneladas de nitrato de amônia que explodiram no porto de Beirute. O destino da mercadoria era a Fábrica de Explosivos de Moçambique, mas nunca passou do Líbano, onde ficou retida.

Veja Também  Ao vivo: Bolsonaro discursa na 75ª Assembleia Geral da ONU

A fábrica moçambicana pertence a uma empresa da Póvoa de Lanhoso.

À RTP a empresa garante que nunca foi proprietária dos químicos porque a compra não foi consumada.

*Com informações da RTP

Comentários Facebook

Internacional

Covid-19: maioria dos norte-americanos deve ser vacinada até julho

Avatar

Publicado


.

Uma das maiores autoridades de saúde dos Estados Unidos (EUA), Robert Redfield, disse a um comitê do Senado, nessa quarta-feira (23), que acredita que a vacinação contra a covid-19 ocorrerá ao longo de vários meses e que a maioria dos norte-americanos poderá estar vacinada até julho de 2021.

Chefe do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, Redfield afirmou que acredita que haverá cerca de 700 milhões de doses de vacinas até o fim de março ou abril, o suficiente para 350 milhões de pessoas.

“Acho que vamos precisar de abril, maio, junho, vocês entendem, possivelmente julho, para que o público americano inteiro seja completamente vacinado”, disse ele ao Comitê de Saúde, Educação, Trabalho e Pensões do Senado.

Além de Redfield, Stephen Hahn, chefe da Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA), Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, e Brett Giroir, autoridade dos Serviços Humanos e de Saúde, participaram de audiência a respeito da pandemia de covid-19, que já matou mais de 200 mil pessoas nos EUA.

Veja Também  Covid-19: maioria dos norte-americanos deve ser vacinada até julho

Ainda não existe vacina contra a doença, mas há várias em testes de estágio avançado no país, como as da Pfizer, da Moderna e da Johnson & Johnson As empresas começaram a fabricar as vacinas contando com uma autorização regulatória rápida assim que for provado que funcionam.

Para Anthony Fauci, 50 milhões de doses deverão estar disponíveis em novembro, 100 milhões até o fim de dezembro e um total de 700 milhões até abril.

Autoridades de saúde e o presidente Donald Trump expressaram opiniões diferentes a respeito de quando as vacinas estarão disponíveis para a maioria dos norte-americanos. O processo de decisão de como distribuir as vacinas cabe em grande parte ao CDC.

Redfield disse que a Operação Warp Speed, grupo governamental que conta com autoridades dos departamentos da Saúde, dos Serviços Humanos e da Defesa, decidirá como alocar as vacinas.

A senadora Patty Murray, a democrata mais graduada do comitê, citou alguns exemplos noticiados da pressão do governo Trump sobre as agências de saúde, o que inclui autorizações da FDA para a hidroxicloroquina e o plasma convalescente como tratamentos para a covid-19, e mudanças na diretriz do CDC para testes em indivíduos assintomáticos.

Veja Também  Secretário-geral da ONU pede acordo global contra desigualdades

“Qualquer um desses exemplos de pressão política seria alarmante por si só. Mas, juntos, eles traçam um padrão claro de interferência que é simplesmente aterrorizante”, disse.

O chefe da FDA garantiu que a agência examinará a segurança e eficácia das vacinas para a covid-19, minimizando o papel do governo Trump em seu processo de autorização.

“A FDA não autorizará ou aprovará uma vacina com a qual não nos sentiríamos confortáveis de dar às nossas famílias”, disse o dr. Stephen Hahn.

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Celebração do ano-novo na Times Square, em Nova York, será virtual

Avatar

Publicado


.

A Times Square, em Nova York, vai se despedir de 2020 sem as tradicionais aglomerações de pessoas que marcam a véspera do Ano Novo, com os organizadores da celebração anunciando nesta quarta-feira (23) planos para a realização de um evento menor e virtual em resposta à pandemia de covid-19.

Em um teaser (trailer promocional) preliminar sobre o que deve acontecer em 31 de dezembro, a Times Square Alliance disse que assistir à famosa queda da bola em 2021 será um evento digital para todos, com exceção de um grupo muito limitado de homenageados, que estarão presentes fisicamente com distanciamento social.

“Pessoas de todo o mundo estão prontas para se juntar aos nova-iorquinos nas boas-vindas ao ano novo, com a icônica queda da bola”, disse o prefeito Bill de Blasio em um comunicado. “Um novo ano representa um novo começo, e nós estamos animados para celebrar.”

A comemoração da véspera de Ano Novo na Times Square está entre as maiores do mundo, geralmente atraindo cerca de 1 milhão de pessoas, enquanto mais de 1 bilhão de pessoas assistem pela televisão à queda da bola do topo do One Times Square no momento da chegada do ano novo.

Veja Também  Secretário-geral da ONU pede acordo global contra desigualdades

Muitos dos detalhes e o entretenimento ao vivo, que compõem boa parte das horas de celebração que antecedem a contagem regressiva, ainda estão sendo determinados, afirmou a Times Square Alliance, coprodutora do evento.

Mas o presidente da aliança, Tim Tompkins, prometeu aos espectadores “ofertas virtuais, visuais e digitais significativamente novas e aprimoradas”, em uma celebração dos “espíritos corajosos e criativos” que ajudaram as pessoas a superar um ano que muitos prefeririam esquecer.

Edição: Denise Griesinger

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana