conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil prende homem que tentava dar golpe em agência bancária de Sinop

Publicado

Policial


.

Assessoria | Polícia Civil-MT

Um homem que tentava aplicar um golpe em uma agência bancária, situada no centro da cidade de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá), foi preso pela Polícia Civil do município na tarde de terça-feira (04.08).

A ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) resultou também na apreensão de 150 peças de carne bovina de diferentes marcas, um veículo e vários cartões bancários de diversas bandeiras.

O suspeito de 31 anos foi preso e autuado em flagrante pelos crimes de estelionato e uso de documento falso.

Os policiais civis foram acionados pela gerente do Banco Sicredi, informando que um rapaz estaria no local tentando abrir uma conta. No entanto, durante o procedimento o sistema do banco emitiu um sinal de alerta de possível fraude nos documentos.

Ainda segundo a gerente, o suspeito tentou adquirir uma linha de crédito no valor de R$ 200 mil, porém, devido à constatação da fraude, o pedido de abertura da conta e a linha de crédito foram negados.

Veja Também  Homem é preso em flagrante depois de roubar celular de casal em Cáceres

Os investigadores checaram dados do suspeito e constataram se tratar de uma pessoa com passagens criminais. Foram verificados também que o documento de identidade (RG) era falso e o número do CPF apresentado era inválido.

Com base nos fatos, a equipe da Derf de Sinop fez a abordagem do suspeito, que acabou confessando que havia falsificado os dados para abrir a conta bancária. Ao ser entrevistado, ele contou que trabalhava com revendas online de carnes de alto valor.

Perguntado sobre a procedência da mercadoria que comercializa, o suspeito revelou que não possuía nenhuma autorização para revenda e nem nota fiscal dos produtos. Na casa dele,  os investigadores encontraram 150 peças de carne acondicionadas dentro do freezer, que foram apreendidas.

Diante do flagrante, o suspeito foi levado para a delegacia onde foi interrogado e autuado pelos crimes de estelionato e uso de documento falso. Ele também poderá ser indiciado por receptação.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook

Policial

Nova delegacia é construída com união de instituições públicas e sociedade

Avatar

Publicado


.

Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Sociedade e servidores da Polícia Civil de São José do Rio Claro (315 km a médio-norte de Cuiabá) conquistaram o sonho da sede nova para a delegacia da cidade, um projeto que para ser colocado em prática contou o envolvimento e união da comunidade e instituições públicas do município. A inauguração do novo prédio está prevista para o final de outubro, mas o atendimento já está funcionando no local.

Esse esforço conjunto resulta em benefício geral, pois a nova delegacia traz mais conforto para o trabalho diário de policiais civis e também no atendimento à população. Para erguer o novo prédio, construído ao lado da antiga delegacia, a Polícia Civil se uniu ao Poder Judiciário, Ministério Público, Conselho da Comunidade e prefeituras de São José do Rio Claro e Nova Maringá para angariar recursos, além, é claro, da colaboração da sociedade por meio de empresas e moradores do município.

Orçada inicialmente em R$ 250 mil, a delegacia foi construída na mesma área ao lado da antiga sede e está com mais de 80% concluída. A previsão é de que seja inaugurada oficialmente no final do mês de outubro. Restam concluir as celas e o muro do novo prédio.

Nesta quinta-feira (17.09), o juiz da Comarca, Luís Felipe Lara, visitou a delegacia e entregou uma chave simbólica do prédio ao delegado da Polícia Civil, Marcello Henrique Maidame.

Veja Também  Batalhão de Trânsito alerta ciclistas para uso obrigatório de equipamentos de segurança durante período de queimadas

Os servidores realizaram a mudança de toda a parte administrativa e os atendimentos à população já estão em andamento no novo prédio.

Projeto e engajamento social

O projeto arquitetônico da nova delegacia foi elaborado pela equipe da Gerência de Obras e Projetos da Polícia Civil e tem um espaço amplo e mais adequado às necessidades atuais da equipe da unidade policial. O novo prédio possui 11 salas, enquanto que a antiga delegacia tem apenas quatro salas, uma recepção que pode acomodar até 30 pessoas, além de um espaço doado pela Prefeitura do município em regime de comodato para abrigar veículos apreendidos. A Polícia Civil providenciou a climatização de todo o prédio e o mobiliário. 

Para erguer o novo prédio, a comunidade de São José do Rio Claro organizou, em fevereiro deste ano, um leilão de gado bovino cujo resultado foi aplicado na obra. O gado foi doado por empresas da região. Também foram vendidas rifas para finalizar a construção.

O delegado de São José do Rio Claro, Marcello Maidame, destaca o apoio e empenho do Conselho da Comunidade, presidido pela advogada Rejane Sonnenberg, o juiz Luís Felipe Lara e o empresariado local que se engajou para que a nova delegacia se tornasse realidade. “Sem os apoios que estamos recebendo desde o início, nada disso seria realidade hoje. Toda a sociedade do município, Judiciário e Ministério Público, as prefeituras de São José e de Nova Maringá e, especialmente, o Conselho da Comunidade colaboraram para erguer essa obra”, apontou o delegado, que junto com o Conselho visitou segmentos empresariais e profissionais autônomos do município para colaborar com a obra da nova delegacia.

Veja Também  Polícia Civil prende integrante de facção criminosa envolvido em diversos roubos em Poconé
Delegacia antiga e o prédio atual

O delegado-geral da Polícia Civil, Mário Dermeval Aravéchia de Resende, destacou o esforço das instituições e da sociedade em colaborar com a estrutura da segurança pública no município. Ele, acompanhado do diretor de Interior, Walfrido Nascimento, e da delegada regional, Alessandrah Marques Alecrim participaram em fevereiro deste ano do leilão realizado no município para angariar recursos destinados à obra da delegacia.

“O engajamento da sociedade e das instituições em São José do Rio Claro, como o Poder Judiciário, que se empenhou nesse projeto, está proporcionando à Polícia Civil um local decente para atender a população e para o trabalho de nossos servidores. É uma união de diversos segmentos sociais que está produzindo um resultado fantástico”, enfatizou o delegado-geral.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Polícia Civil apura desmatamento com derrubada de castanheira no norte de MT

Avatar

Publicado


.

Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Em diligências na região norte do Estado nesta semana, policiais civis da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) comprovaram a existência de mais uma área com desmatamento ilegal, inclusive com derrubada de árvores protegidas pela legislação.

O crime ambiental foi constatado em uma área no município de Cláudia (620 km ao norte de Cuiabá) e a delegacia foi comunicada por fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e do Indea-MT que estão em atuação na região.

A equipe da Delegacia de Meio Ambiente foi até o local, junto com peritos da Politec para checar a denúncia recebida e coletar provas. Entre as árvores derrubadas na área, os policiais encontraram uma castanheira que media, aproximadamente, 30 metros.

Após a coleta de evidências materiais e a realização da perícia, a Dema vai instaurar inquérito policial para investigação do crime ambiental e dar sequência às diligências necessárias para esclarecimento do delito.

De acordo com a delegada titular da Dema, Alessandra Saturnino de Souza Cozzolino, há evidências de crimes ambientais, entre eles o crime, em tese, de desmate ilegal da área e também será apurado se houve eventual fraude na requisição junto à Sema dos pedidos de autorização de desmate e de queima. “Será apurado se houve subterfúgio no intuito de obter a licença no órgão ambiental, com omissão por parte do solicitante de que a área era de castanheira”, explicou a delegada.

Veja Também  Polícia Civil prende integrante de facção criminosa envolvido em diversos roubos em Poconé

A derrubada e corte da castanheira são proibidos, uma vez que a espécie é ameaçada de extinção. A castanheira é uma das árvores mais altas do bioma amazônico, chega a viver 500 anos e pode atingir até 50 metros, o que corresponde à altura de um prédio de 16 andares.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana