conecte-se conosco


Tecnologia

Novidades no WhatsApp: veja 5 funções que devem chegar em breve ao aplicativo

Avatar

Publicado


source

Olhar Digital

WhatsApp
Reprodução

WhatsApp testa diversas novas funções


O WhatsApp é o aplicativo preferido de muita gente para entrar em contato com seus amigos ou até mesmo com colegas de trabalho. Para se manter sempre como uma opção viável, é claro, o programa acaba sendo constantemente atualizado para adicionar novas funções e não perder espaço para alguns concorrentes como o Telegram .


Antes de muitas funções ficarem disponíveis no WhatsApp para todos, elas acabam passando por uma fase de desenvolvimento bem extensa, sendo que nem mesmo os usuários do aplicativo beta acabam tendo o acesso a elas. Para te ajudar a saber sobre o que pode aparecer em breve no serviço, elaboramos esta lista com as 5 principais novidades que o WhatsApp está preparando. Confira!

Silenciar grupos para sempre

Quem precisa manter contatos com diversas pessoas ao mesmo tempo, acaba vendo os grupos do WhatsApp como uma boa solução, mas que as vezes se tornam uma bagunça. Para ajudar quem não quer sair de um grupo, mas também não deseja ser incomodado por eles, o WhatsApp está implementando uma opção de silenciá-los para sempre , fazendo com que você não receba mais notificações ou alertas dele.

Veja Também  iFood fará entregas com drones no Brasil; testes começam em breve

Atualmente, vale notar, no WhatsApp, você só pode silenciar um grupo por 8 horas, 1 semana ou 1 ano.

Login em múltiplos dispositivos

Por padrão, você só pode usar o WhatsApp em um dispositivo por vez, o que acaba prejudicando muitas pessoas que têm mais de um computador ou celular. Felizmente, cada vez mais, novas funções referentes ao suporte para múltiplos dispositivos estão sendo vistos em desenvolvimento no WhatsApp.

Em relação a limitações, vale lembrar, a última informação a que tivemos acesso supõe que o WhatsApp permitirá que você use o seu serviço em até 4 dispositivos ao mesmo tempo.

Chamadas de vídeo e voz no WhatsApp Web

O WhatsApp Web acaba sendo a forma preferida de muita gente para usar o serviço do WhatsApp no computador, já que nada precisa ser instalado para isso. Apesar de já existir há bastante tempo, o serviço que roda no navegador ainda não tem uma função para realizar chamadas de vídeo ou de voz, algo que felizmente deve estar prestes a mudar.

Veja Também  Facebook remove mais de 22 milhões de posts com discurso de ódio

Mensagens autodestrutivas

Um recurso que já marca presença em alguns aplicativos, mas que faz falta no WhatsApp é o de mensagens que se apagam de forma automática, também conhecidas como mensagens autodestrutivas, algo bem interessante para a privacidade dos usuários. Felizmente, isso para estar prestes a mudar, uma vez que na última versão do WhatsApp Beta foi vista uma  função para enviar mensagens que se destroem automaticamente em 7 dias.

Apesar de a função ter aparecido ou dado sinais de que existe no WhatsApp Beta, vale notar, ela ainda não está habilitada, ou seja, ninguém pode usá-la por enquanto.

Ocultar “visto por último” para um contato

Uma função que muita gente não gosta no WhatsApp é o “visto por último”, que acaba denunciando a última vez em que você esteve online ou que tenha aberto o aplicativo . Para não ser incomodado por este recurso, atualmente, você só tem duas opções: ser visto apenas por seus contatos ou por ninguém.

Caso você esteja tendo problemas com alguém em específico, o WhatsApp passará a te dar opção de ocultar o “visto por último” para determinadas pessoas.

Comentários Facebook

Tecnologia

Facebook bane personagem holandês e gera polêmica; entenda

Avatar

Publicado


source

Olhar Digital

Facebook
Wikimedia Commons/Sander van der Wel

Zwart Piet é uma polêmica tradição holandesa


Na terça-feira (11), o vice-presidente de integridade do Facebook , Guy Rosen, anunciou em um post no blog da empresa que a plataforma está atualizando sua política sobre discurso de ódio . Uma das mudanças inclui banir todas as imagens e vídeos de blackface (técnica de maquiagem para escurecer a pele), incluindo o personagem de natal holandês Zwarte Piet .

O personagem é interpretado por homens brancos adultos que pintam os rostos de preto, usam brincos, perucas de cabelo encaracolado e batom vermelho exagerado. A atualização da política vem em um movimento do Facebook para combater tópicos racistas e antissemitas.

A tradição já recebeu condenação internacional em 2015. Em um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no mesmo ano, especialistas apelaram ao governo da Holanda para eliminar essa prática.

Veja Também  TikTok enganou Google para roubar dados dos usuários; entenda

Polêmicas após o anúncio 

A decisão por parte do Facebook já é alvo de críticas, e alguns veem como uma censura. A página de extrema direita “Pro Zwarte Piet” na rede social criou um evento no qual membros planejam enviar spam para todas suas fotos do personagem, com uma convocação para boicotar a plataforma.

Holandeses estão planejando realizar um encontro para discutir ’um ativismo online mais seguro’, também para debater novas diretrizes para combater discursos de ódio. Por outro lado, ativistas contra o racismo veem a decisão como uma vitória, mas muitos deles também questionam por que uma empresa privada assumiu a liderança neste sentido em vez do governo local holandês. O primeiro-ministro do país, Mark Rutte, que se vestiu como o personagem recentemente, disse que a tradição é racista, mas não a ponto de ir longe e ser totalmente proibida.

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

TikTok é investigado na França por erros em privacidade de dados

Avatar

Publicado


source

Olhar Digital

TikTok
Unsplash/Kon Karampelas

TikTok é investigado na França


O aplicativo TikTok encontra-se em mais um entrave em razão de sua política de privacidade e uso de dados. A rede social da ByteDance  é alvo de investigação da principal agência de privacidade francesa, a Comissão Nacional de Informática e Liberdade (CNIL). Dentre os pontos investigados pela agência está a forma como a empresa se comunica com os usuários, bem como a sua política de proteção às crianças , disse um porta-voz da CNIL. 

Esta investigação é mais uma etapa vivida pelo TikTok no processo de criação de uma sede no bloco europeu, tendo em vista o recente anúncio de um data center na Irlanda, o seu primeiro na União Europeia, com investimento de 500 milhões de euros. De acordo com a CNIL, a criação de uma sede do TikTok na União Europeia vai depender da conformidade da empresa com as regras de proteção de dados do bloco, a GDPR. 

Veja Também  Google permite que celulares prevejam terremotos; entenda como

O que diz a GDPRA

Lei Geral de Proteção de Dados da União Europeia, ou GDPR, é uma das legislações de proteção de dados mais rígidas do mundo, e prevê, inclusive, a multa de até 4% dos lucros anuais globais de qualquer empresa pela violação de privacidade de dados mais graves. Esse documento tem sido discutido amplamente nos 27 países integrantes do bloco, o que justifica as questões levantadas por alguns países em razão da primeira sede do TikTok no continente. 

Em junho, chefes de proteção de dados da União Europeia anunciaram a formação de uma força-tarefa a fim de obter uma melhor compreensão do “processamento e das práticas do TikTok” em todo o bloco. Esta mesma força-tarefa também será a responsável por autorizar a criação da sede que a empresa pretende abrir na Irlanda.

Isso significa que a partir dessa autorização, qualquer investigação alusiva aos dados de usuários da rede social na UE será conduzida diretamente do país. Além da França, outros países europeus anunciaram suas investigações acerca do mesmo assunto. Em maio, a comissão holandesa de proteção de dados disse que está analisando as políticas do TikTok a fim de proteger os dados das crianças, bem como agências ligadas a privacidade de dados da Dinamarca e Reino Unido também anunciaram as suas investigações.

Veja Também  Xiaomi lança Mi 10 Ultra com zoom de 120x e traseira "transparente"

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana