conecte-se conosco


Cuiabá

Agricultura familiar em comunidades rurais é fortalecida com abastecimento de água contínuo

Avatar

Publicado


.

A Prefeitura de Cuiabá está proporcionando o abastecimento de água contínua, por meio do fortalecimento das redes hídricas, para os assentamentos Pai Joaquim , Fazenda Mineira e comunidade rural Rio dos Couros. Ao todo, são mais de 75 famílias atendidas pela iniciativa que fortalece o processo produtivo da agricultura familiar e aumenta o conforto aos moradores da região. 

“É uma imensa satisfação entregar um projeto como esse, que irá beneficiar os pequenos produtores da nossa Capital, que dependem exclusivamente da agricultura familiar. Esse projeto de duplicação não termina, novos estudos estão sendo realizados para contemplar novas famílias”, explica o prefeito Emanuel Pinheiro.

O projeto resultou na duplicação dos canos de abastecimento, em uma extensão de 1.350 metros de rede. “Essas comunidades sofriam com a falta frequente de água, o que dificultava o fortalecimento do processo de cultivo e produção dessas famílias, que tem a agricultura como forma principal de subsistência”, destaca a secretária municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Débora Marques. 

A demanda foi apresentada ao Município pelas Associações dos Produtores, que conhecem bem a realidade vivida nas comunidades rurais. “Essa nova rede será fundamental para de alguma forma dinamizar os cultivos de caixarias, folhosas e produção de pequenos animais. O nosso sentimento é de gratidão. Os nossos agradecimentos ao prefeito Emanuel Pinheiro, que tem atendido nossas solicitações”, declara a presidente da Associação, Iva Miranda.

Quem também está satisfeito com o retorno recebido da Prefeitura, é o presidente da comunidade Rio dos Couros, João Cegonha. Segundo ele, com essa duplicação, o abastecimento de água para essas regiões será contínuo. “Agora que vem o período da seca, a partir do mês de julho e agosto, teremos água o suficiente. Iremos produzir sem preocupação”, pontua.

O projeto foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico e contou com o apoio da Secretaria Municipal de Obras Públicas.

 

 

 

 

 

 

 

Comentários Facebook

Cuiabá

Fiscais sanitários falam sobre desafio de atuar durante pandemia

Avatar

Publicado


.

Cerca de 30 fiscais da Vigilância Sanitária estão envolvidos nos trabalhos das barreiras sanitárias instaladas em quatro rodovias de acesso a Cuiabá, desde quarta-feira (8). São profissionais com várias formações na área da saúde, como enfermeiros, fisioterapeutas, bioquímicos, odontólogos, capacitados para fazer a triagem dos condutores e passageiros abordados nas blitzes e, diante de febre ou demais sintomas de Covid-19, encaminhá-los para uma unidade de saúde.

A fiscal sanitária Gicele Gomes afirma que em 15 anos de profissão e nunca passou por uma situação como esta de pandemia. “É uma situação nova para muitos colegas. Tem sido bastante desgastante nas últimas semanas. Então, como tem crescido o número de casos é bastante desgastante sim, mas também é gratificante saber que nós podemos contribuir com a sociedade na prevenção da saúde”, afirma.

Também é a primeira pandemia enfrentada pela fiscal sanitária Criciane Zambrim, que destaca os cuidados redobrados que ela e os colegas precisam tomar pelo fato de estarem na linha de frente no combate ao novo coronavírus. “A gente tem todos os cuidados pessoais e a gente ainda procura redobrar esses cuidados quando a gente volta para casa porque, ao retornar, a gente está em contato com nossos familiares. Então, sempre há o risco para quem está na linha de frente dessa pandemia de adquirir a doença”.

As fiscais sanitárias Gicele e Criciane reforçam que a intenção da barreira sanitária não é proibir a entrada de pessoas na cidade, mas fazer um diagnóstico antecipado, encaminhando aquelas que apresentarem sintomas da Covid-19 para atendimento médico. “A barreira é necessária sim, principalmente nos veículos que vêm de outros estados, que estão trafegando pela nossa BR. Estamos abordando e conscientizando que nós estamos num estágio mais avançado da doença, para que eles tomem cuidados redobrados também na questão da higienização e da propagação da Covid. É bem preventivo o trabalho”, explica Criciane.

Os profissionais relatam que tem sido positiva a avaliação da população abordada nas barreiras. “As pessoas estão sendo bem receptivas, estão atendendo bem, estão até elogiando a gente pelo trabalho. Gostei muito da participação dos condutores aqui abordados”, disse Divalmo Pereira Mendonça, gerente de Fiscalização da Vigilância Sanitária.

Ainda assim, Criciane Zambrim pondera que, mesmo com tantas informações sendo divulgadas pela mídia, ainda falta conscientização de uma parcela da comunidade. “Ainda há pessoas que se recusam a usar máscara o tempo todo, às vezes não cuidam totalmente no cuidado com o álcool em gel. E são cuidados tão necessários tanto para ela como para as pessoas que estão próximas”, afirma.

Para essas pessoas, a fiscal sanitária Gicele Gomes apela: “Evitem a circulação, se previnam, cuidem-se. Deixem a gente trabalhar por vocês”.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Parte da população quer levar uma vida normal dentro de uma pandemia, lamenta diretor de Vigilância em Saúde

Avatar

Publicado


.

O diretor de Vigilância em Saúde de Cuiabá, Benedito Oscar Campos, destacou que, apesar de extremamente importante, a conscientização popular continua sendo uma das dificuldades enfrentadas pelo Município no combate à Covid-19. De acordo com o diretor, mesmo diante do momento delicado, ainda é comum notar que “uma parte da população quer levar uma vida normal dentro de uma pandemia”. 

Conforme Campos, a Prefeitura de Cuiabá tem adotado um cuidado ainda maior na aplicação de medidas de biossegurança, para não criar uma sensação de que a crise sanitária já foi superada. “Infelizmente, precisamos ser paternalistas e fazer um controle da população. A Prefeitura está tomando decisões duras, o comércio fechado e pagando caro por isso, mas muita gente continua fazendo festinhas, como se nada tivesse acontecendo”, comenta. 

O diretor explica também o longo período com restrições e isolamento social são fatores que o ser humano, comumente, apresenta dificuldades para lidar. Dessa forma, faz-se necessário que o Município sempre se atente a isso ao implantar novas ações. “Toda medida deve ser tomada com muito cuidado, para que não resulte em um descontrole e aglomerações. É uma atenção que estamos tendo para não sofrer o que outras cidades sofreram”, completa. 

As declarações de Campos são confirmadas nas prática pelo trabalho diário realizado pela equipe de fiscalização unificada. Segundo a Secretaria de Ordem Pública, entre os dias 27 de março e 1º de julho, foram lavrados 922 instrumentos fiscais, em 127 bairros, referente ao descumprimento dos decretos municipais que tratam sobre as medidas emergenciais no período de pandemia, como a diminuição do fluxo de pessoas e de aglomerações.

Em relação ao toque de recolher implantado Capital, entre os dias 29 de junho e 5 de julho, foram registrados 135 denúncias de descumprimento. O relatório aponta que a faixa de horário com maior número de ocorrências é a das 23h, com 44% das denúncias. Na faixa de 0h, estão 20% das ocorrências; 16% ocorrem por volta das 22h; 10% na faixa de 1h; 6% na faixa de 2h, 3% em torno de 3h e 1h após as 4h.

Leia mais:

Secretaria de Ordem Pública lavra 922 instrumentos fiscais em 127 bairros

Fiscalização registra 135 denúncias em 7 dias de prorrogação do toque de recolher

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana